Devido aos gastos dos municípios do pais, referente a exames realizados para detecção do câncer de mama, o Ministério da Saúde anunciou, nesta segunda-feira (23), um reajuste nos valores pagos as regiões. O valor investido será de R$ 9,4 milhões para identificação da doença. Com essa medida, o governo espera que aumente os procedimentos realizados. A informação sobre os reajustes foi passada pelo no Diário Oficial da União (DOU) na última sexta-feira (20).

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, falou sobre esse incentivo. “Dentro do espírito do Outubro Rosa, que é o mês da prevenção e combate ao câncer de mama, nós estabelecemos uma política de incentivo à confirmação de diagnósticos. Quanto mais cedo confirmado o diagnóstico, mais chances de cura e mais rápido, barato e confortável é o tratamento”, afirmou.

De acordo com Barros, a quantidade de exames de mama foi maior entre os anos de 2010 e 2016. A porcentagem foi 35% maior, ou seja, mais de 3 milhões para mais de 4 milhões de exames durante esse período, entre mulheres de 50 a 69 anos.

A maioria das instituições que realizam esse procedimento é efetivada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), portanto, todas as entidades não-públicas, como beneficentes e filantrópicas receberão os recursos, informou a diretora da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde (SAS), Maria Inez Gadelha.

Ainda segundo Inez Gadelha, os procedimentos de diagnósticos mais precisos para detectar o câncer mamário são: punção por agulha grossa, biópsia e anatomopatológico. O valor do primeiro passará de R$ 68,43 para R$ 140; o segundo, de R$ 24 para R$ 45,83; e o último, de R$ 35 para R$70. Menos precisos, os exames com agulha fina e o citopatológico também foram reajustados. Os valores unitários passaram de R$ 33,24 para R$ 66,48 e R$ 15,97 para R$ 35,34, respectivamente.

A expectativa do Ministério da Saúde é que 2017 ultrapasse os números de 2016. O ano passado foram contabilizados 69,3 mil exames. Para este ano, espera-se 22.848 punções aspirativas de mama por agulha fina; 22.848 citopatológicos; 68.543 punções por agulha grossa; 31.987 biópsias e 100.530 anatomopatológicos.

A cura do Câncer de Mama

Assim como toda a doença, alguns tipos de câncer têm cura outros não. Depende do estágio e se é maligno ou benigno. Se uma pessoa que descobre a doença no estágio inicial, a chance de cura é bem maior do que àquela que descobre no período mais avançado. Se o câncer for diagnosticado no início, a chance de cura é bastante significativa, um índice de 100%, segundo o Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC).

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.