DestaquesEconomia

Mercado financeiro e eleições 2018: liderança de Bolsonaro nas pesquisas fez o dólar baixar?

As mais recentes pesquisas de eleição têm gerado mais dúvidas do que certezas no mercado financeiro. Exemplo disso foi a queda do dólar minutos após a pesquisa CNT/MDA mostrar queda de 5% no índice de rejeição do candidato do PSL, Jair Bolsonaro. O dólar fechou em queda de 0,82%, enquanto o IBOV (formado pelas ações das empresas com maior liquidez e maior volume financeiro negociado de todo o volume de negócios da bolsa) encerrou a sessão em alta de 0,99%.

Para os analistas do mercado financeiro, Bolsonaro teria propostas mais alinhadas com as necessidades de reformas estruturais necessárias para o desenvolvimento do país. Por outro lado, Ciro Gomes e Fernando Haddad têm propostas que onerariam as contas do governo federal, agravando a situação fiscal brasileira.

De acordo com o operador financeiro da WM Manhattan, Rafael Mendes, a situação ficou ainda mais evidente após a facada. “Sempre que o Bolsonaro mostra queda de rejeição ou aumento de probabilidades de vencer no 2º turno, vemos a bolsa subir e o valor do dólar descer”, explica.

Rafael Mendes esclarece ainda que, apesar de toda a volatilidade observada no IBOV, câmbio e juros, o volume transacionado em setembro segue abaixo da média anual devido à incerteza eleitoral. “Em setembro, em apenas um pregão o volume superou os R$8 bilhões, enquanto a média diária de 2018 está em R$8,6 bilhões”.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Rafael Nicácio

Co-fundador dos canais Portal N10, Jerimum Geek e do Tudo em Dicas. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do Rio Grande do Norte) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN). E-mail pessoal para contato: rafael_nica@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo