Manifestantes tomam às ruas do país contra Temer

Em pronunciamento, Temer afirmou que não irá renunciar ao cargo

Milhares de pessoas se reuniram na noite desta quinta-feira (18) em diversas cidades do Brasil para protestarem contra a permanência de Michel Temer na Presidência.

Os atos, que já foram registrados nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Goiânia, têm como objetivo pedir a renúncia do chefe de Estado e a realização de eleições diretas após a divulgação de um áudio da conversa entre Temer e o empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Na gravação, Temer estaria pedindo para Batista manter pagamentos ao ex-deputado Eduardo Cunha, preso em Curitiba, em troca de seu silêncio.

Em Natal, um grupo de manifestantes protestou na Avenida Salgado Filho, na tarde desta quinta-feira (18), pedindo a saída do presidente Michel Temer e a convocação de eleições diretas. O ato começou às 17h e terminou por volta das 20h15. Segundo os organizadores do evento, aproximadamente 3 mil pessoas participaram do ato. A PM não estimou um número.

Manifestantes na avenida Paulista, em São Paulo, protestam e pede a saída do presidente Michel Temer depois de gravações do presidente da JBS envolvendo outros politicos senador Aecio Neves e deputados (Foto:Roberto Parizotti / CUT)

Na Avenida Paulista, em São Paulo, pelo segundo dia consecutivo, movimentos sindicais, partidos e estudantes estão reunidos em frente ao Masp. Alguns grupos ironizam Temer ao gritarem “Fica Temer: na cadeia”. Além disso, os manifestantes entoam gritos de “Fora Temer”, pedem a prisão do chefe de Estado e protestam contra as reformas da previdência e trabalhista, cuja base do governo tenta aprovar no Congresso. Até o momento não há registro de tumultos.

No Rio de Janeiro, há várias pessoas com bandeiras da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Muitos protestantes usam adesivos com “Fora Temer, diretas já”.

Já no centro de Porto Alegre, um grupo se concentrou na Esquina Democrática, cruzamento entre a Avenida Borges de Medeiros e Rua dos Andradas, tradicional ponto de manifestações.Segundo a polícia, mais de 20 mil pessoas estão participando do ato. No entanto, os organizadores dizem 25 mil. O grupo exibe faixas, além de bandeiras de partidos políticos e outros movimentos.

Em Goiânia, diversos manifestantes se reuniram na Avenida Anhanguera. No entanto, uma motorista tentou furar o bloqueio feito durante o ato e atropelou algumas pessoas. Ao menos dois militantes ficaram feridos. De acordo com a organização, cerca de 300 pessoas participaram do ato, que foi encerrado às 18 horas.

Do Portal N10 com Agência ANSA

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato (contato.portaln10@gmail.com) para solicitar a matéria!