Mundo

Maduro ordena que funcionários opositores deixem governo

Nocolás-Maduro
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro (Foto: Carlos Barrios/ABI)

(ANSA) – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou que funcionários públicos que ocupem cargos diretivos e sejam a favor do referendo promovido pela oposição para tirá-lo do Poder têm até 48 horas para deixar seus empregos.

Apesar de a legislação local proibir a demissão de servidores por motivos políticos, Maduro ordenou a saída de empregados dos ministérios de Alimentação, Indústrias Básicas, Finanças, Trabalho e do Gabinete da Presidência que assinaram a petição pelo referendo.

Segundo o dirigente do Partido Socialista Unido de Venezuela (Psuv) e prefeito de Caracas, Jorge Rodríguez, “pessoas que são contrárias à revolução e ao presidente não podem permanecer em cargos de direção nos ministérios, instituições públicas, governos e prefeituras”.

Ele ainda explicou que serão divulgadas listas com os nomes das pessoas que defenderam publicamente a realização da votação.

Maduro, eleito em 2013, é acusado pela oposição de má administração. Atualmente, o país passa por uma séria crise política e econômica. A Venezuela sofre com uma inflação galopante (a maior da América Latina), acompanhada de uma crise produtiva, problemas de distribuição de produtos de primeira necessidade, mercado golpeado por medidas de restrição e regulamentação. O país também atravessa uma séria crise de abastecimento de energia.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.