(ANSA) – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, enviou uma carta ao papa Francisco pedindo mediação na crise política que assola o país. A correspondência foi entregue ao núncio apostólico na nação latina, Aldo Giordani, pelo ministro venezuelano da Comunicação, Ernesto Villegas.

Na carta, Maduro pede para o Papa ajudar a encontrar uma solução que pacifique a Venezuela e condena o uso de crianças em protestos, os quais chamou de “atos terroristas”.

Até aqui, a onda de manifestações contra o regime chavista já dura mais de 70 dias e deixou 69 mortos. O presidente havia anunciado no último domingo (11) que enviaria uma mensagem a Francisco para tentar atrair o Vaticano de volta às negociações.

Em outubro passado, a Igreja e a União de Nações Sul-Americanas (Unasul) chegaram a iniciar uma mediação, mas os diálogos foram congelados em dezembro, após a oposição ter acusado o governo de não manter sua palavra nas tratativas.

Na semana passada, o líder católico recebeu no Vaticano bispos da Conferência Episcopal Venezuelana, que lhe entregaram uma lista com o nome das pessoas mortas nas manifestações.

Anteriormente, o arcebispo de Caracas, cardeal Jorge Urosa Savino, já havia acusado Maduro de usar a imagem do Papa para manipular o povo. A oposição alega que o presidente tinha se comprometido a abrir um corredor humanitário, tirar as restrições contra o Parlamento e libertar presos políticos. Já o governo diz que esses temas nunca fizeram parte das negociações.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.