Maçã pode aumentar função cerebral e reduzir o risco de Alzheimer
Maçã pode trazer vários benefícios para a saúde (Foto: Pixabay)

Maçã pode aumentar função cerebral e reduzir o risco de Alzheimer

Que ela faz bem para a saúde e para o corpo não é nenhum segredo, mas alguns benefícios da maçã, que é uma das principais frutas que integram o grupo de superalimentos, vão além de ajudar a diminuir o colesterol e ajudar você a ficar saciado.

Os compostos naturais encontrados nas maçãs podem reduzir o risco de desenvolver Alzheimer e outras formas de demência, dizem os cientistas. Altas concentrações de compostos em maçãs e outras plantas, conhecidos como fitonutrientes, estimulam a criação de neurônios, em um processo denominado neurogênese. 

Os neurônios são células altamente excitáveis ​​que transmitem informações a partes do corpo por meio de sinais elétricos – e aumentam nossa capacidade de aprendizado e memória.  

Dois compostosquercetina na casca da maçã e ácido diidroxibezóico (DHBA) na polpa da maçã – geraram neurônios no cérebro de camundongos em testes de laboratório. 

O estudo, no entanto, não conseguiu identificar ainda se o suco da maçã também contribui significativamente para a neurogênese, sugerindo que os benefícios se aplicam ao comer a maçã e não apenas a tomar um copo de suco.

A pesquisa foi conduzida por especialistas do Centro Alemão de Doenças Neurodegenerativas (DZNE) em Bonn, Alemanha. “Uma maçã por dia mantém o médico longe – pode haver alguma verdade neste aforismo”, dizem em artigo publicado na  Stem Cell Reports. “Neste estudo, demonstramos que as maçãs contêm compostos pró-neurogênicos tanto em sua casca quanto em sua polpa”.

O estudo mostrou que células-tronco cultivadas em laboratório de cérebros de camundongos adultos geraram mais neurônios e foram protegidas da morte celular quando quercetina ou DHBA foram adicionados às culturas. 

Testes subsequentes em ratos mostraram que em estruturas distintas do cérebro adulto associadas ao aprendizado e à memória, as células-tronco se multiplicaram e geraram mais neurônios quando os ratos receberam altas doses de quercetina ou DHBA. Os efeitos na neurogênese foram comparáveis ​​aos efeitos observados após o exercício físico, que é um estímulo conhecido para a neurogênese.

Consumo da maçã pode impulsionar a função cerebral (Foto: Pixabay)

Isso sugere que compostos naturais em frutas, não apenas quercetina e DHBA, mas potencialmente outros, podem atuar em sinergia para promover a neurogênese e a função cerebral quando administrados em altas concentrações.

Dado o amplo consumo de suco de maçã, os pesquisadores também examinaram se o consumo de suco de maçã concentrado inteiro afetou a neurogênese em ratos de laboratório. 

Para eliminar qualquer possível efeito do aumento da ingestão calórica do açúcar das frutas, um grupo de ratos recebeu uma porção de água com açúcar com calorias iguais, assim como um grupo controle que recebeu água potável normal. 

Três semanas depois de receberem suco de maçã, os ratos foram treinados para localizar uma plataforma de fuga submersa em uma piscina circular, conhecida como tarefa do labirinto de água de Morris.

Isso foi projetado para detectar a contribuição de neurônios gerados por adultos para o desempenho geral em navegação espacial e flexibilidade cognitiva. 

No entanto, a suplementação com suco de maçã não teve efeito sobre a neurogênese ou aprendizagem de adultos. “Dado que a concentração de quercetina no suco de maçã é muito baixa (abaixo de 2 mg / litro)… concluímos que esta é provavelmente uma concentração insuficiente de fitoquímico ativo para modular a neurogênese”, disse a equipe.  

Os pesquisadores apontaram que um estudo de 2010 mostrou que o consumo de suco de maçã melhorou os sintomas comportamentais em pacientes humanos com Alzheimer.

Estudos futuros serão necessários para determinar se a quercetina, DHBA e outros fitonutrientes podem melhorar o aprendizado e a função cognitiva em humanos.

Os flavonóides, fitonutrientes abundantes encontrados em frutas e vegetais, podem modular as vias de sinalização molecular que influenciam as habilidades cognitivas. Os flavonóides dietéticos ocorrem naturalmente em frutas, vegetais, chocolate e bebidas como vinho tinto e chá. 

Outros benefícios da maçã

O consumo da mação também ajuda a diminuir o colesterol. Uma maçã média possui aproximadamente quatro gramas de fibra. Uma parte disso está na forma de pectina, um tipo de fibra solúvel que tem sido associada a redução dos níveis do colesterol ruim. Isso acontece, pois, de acordo com a WebMD, ela bloqueia a absorção de colesterol, ajudando o corpo a usá-lo em vez de armazená-lo.

A fruta pode ajudar a reduzir o risco de um derrame ou ataque cardíaco, que pode ser causado pelo endurecimento das artérias pelo colesterol. 

Segundo a revista Heath, comer pelo menos cinco maçãs por dia pode melhorar a função pulmonar. Provavelmente graças a um antioxidante chamado quercetina encontrada na pele de maçãs, cebolas e tomates, informou a BBC.

Um estudo publicado em 2012 no American Journal of Clinical Nutrition descobriu que as maçãs, bem como pêras e amoras, estavam ligados a um risco menor de desenvolver diabetes tipo 2 por causa de uma classe de antioxidantes, antocianinas, que são também responsáveis para pela coloração frutas e vegetais.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: