ColunasWagner Santos

A LGPD no setor financeiro: o que muda e como devo me adaptar?

O acesso a informações é algo importante para que as empresas possam desenvolver seus trabalhos. Contudo, diversos cuidados são necessários, como para tratar informações  sensíveis dos clientes, garantindo a segurança por meio do LGPD no financeiro.

Isso porque as companhias do setor financeiro precisam coletar dados de pessoas físicas e jurídicas e armazenar as informações em seu sistema para realizar as atividades de gestão financeira, por exemplo.

Por isso, um ponto relevante é que os empresários devem se atentar é a respeito da LGPD no financeiro, visto que são informações sensíveis e apresentam normas para armazenamento, uso e até distribuição.

A pertinência da Lei Geral de Proteção de Dados nas empresas

Estes dados são muito importantes para as empresas, tornando-se uma valiosa moeda de troca, mas também são informações delicadas dos usuários/clientes. 

A valorização tornou banal o processo de coleta e a necessidade das empresas de coletar dados gerou uma preocupação por parte das pessoas, que pensam sobre a segurança de suas informações individuais que receiam a troca com outras instituições.

O questionamento sobre a segurança das informações gerou a necessidade de ter uma norma reguladora, visto que esse ambiente também é recente e diversos órgãos também procuram compreendê-lo melhor.

Com isso, a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) foi criada para proteger os dados pessoais, algo que todo cidadão tem direito.

Todas as empresas, sendo uma Empresa de manutenção de computadores ou uma empresa tão grande quanto a Google, podem e devem concordar com a LGPD, pois o descumprimento pode acarretar multas altíssimas que prejudicam a parte financeira da empresa, além da perda de credibilidade com os clientes.

As companhias devem ter consciência a respeito dos dados pessoais dos indivíduos, por isso, fazer a implementação da LGPD é fundamental para evitar problemas.

A lei tem alguns princípios que dão suporte e guiam o comportamento das empresas, são as principais:

  1. Finalidade 

As empresas devem explicar e especificar ao dono dos dados o porquê da captação das informações.

  1. Adequação

Os dados coletados devem estar correspondentes com a finalidade da empresa.

Ou seja, é necessário coletar informações que sejam necessárias para cadastros ou outras atividades principais, explicando o uso nos serviços ou melhora da experiência na página – por exemplo, e conforme a autorização.

  1. Tratamento necessário

As empresas são totalmente responsáveis pelos dados que coletam dos seus futuros clientes e dos já presentes. 

Sendo assim, quanto menos dados uma empresa de consultoria de TI, coletar, menores serão as suas responsabilidades.

  1. Acesso livre

Os usuários titulares dos dados podem e devem ter o direito de consultar de modo simples e rápido os dados fornecidos para a empresa. 

Outro ponto é garantir um bom atendimento, ou seja, sempre que a pessoa solicitar a exclusão de alguma informação, a empresa precisa estar preparada para esta ação.

  1. Qualidade dos dados

A atualização dos dados deve ser feita periodicamente e o armazenamento deve respeitar o acordo feito no momento da coleta.

  1. Transparência e segurança

As empresas devem estar alinhadas com a segurança, ou seja, fazerem o máximo para proteger os dados das pessoas. Em caso de vazamento de dados, é de responsabilidade da empresa a resolução do problema.

Isto posto, a criação de planos de contingência e o uso de “softwares” que ajudam na proteção das informações e evitam os erros humanos e vazamentos dos dados são fundamentais para a efetividade das ações e controle dos dados.

Estes são alguns princípios que permeiam a LGPD e devem ser respeitados pelas empresas, independentemente da área de atuação.

Inclusive, é preciso ressaltar que com a implementação da LGPD, alguns setores nas empresas sofrem alterações na sua conduta de trabalho. 

As equipes de RH (Recursos Humanos), TI (Tecnologia da Informação), Marketing de vendas, comercial, financeiro e qualquer área que lide diretamente com informações, seja online ou offline, precisam adequar os processos para coleta e análise dessas informações, preservando os dados que forem necessários.

O processo de inserção da parte prática referente à Lei Geral de Proteção de Dados é muito  importante, visto que preserva a imagem da marca e as informações do cliente.

LGPD na área financeira 

No setor financeiro, a Lei Geral de Proteção de Dados se baseia na transparência e consentimento, ou seja, as instituições bancárias e empresas de finanças só podem utilizar os dados das pessoas conforme a autorização.

Na prática, as empresas precisam investir capital para ter equipamentos de qualidade e softwares que ajudem no controle das informações. 

Os computadores que a equipe utiliza para trabalhar, por exemplo, precisa estar atualizado para o funcionamento dos computadores e seguridade no uso das ferramentas e dados.

O setor bancário, por exemplo, é um dos que mais sofre risco com golpes e fraudes. A LGPD é algo que ajuda muito as empresas deste setor, proporcionando um mecanismo de defesa que permitem que as instituições protejam ao máximo os dados dos clientes.

O segmento de finanças e consultoria tributária sp, precisa se atentar a alguns pontos da lei para conseguirem bons resultados. São eles:

  1. Autorização de dados

Segundo a lei, os dados pessoais são qualquer informação que ajude a identificar uma pessoa. 

Esses dados podem ser o nome completo, perfis nas redes sociais, endereço, número de seguridade social, e-mail, biometria, entre outros.

Para obter estas e outras informações para cadastro, por exemplo, as empresas devem ter o consentimento do indivíduo e os titulares devem saber como a companhia irá utilizar estes dados.

As empresas, assim como uma consultoria financeira empresarial Goiânia, devem sempre informar ao titular dos dados a finalidade para qual os dados foram coletados e sempre buscar o aval da pessoa para o compartilhamento das informações com terceiros, se este for o caso/necessidade – como abordado anteriormente.

Os profissionais que atuam nesta área de consultoria, podem, por exemplo, se especializar fazendo um curso de MBA consultoria empresarial e estudar a Lei Geral de Proteção de Dados.

Assim, ele poderá entender melhor sobre os assuntos do universo financeiro e quais medidas de segurança é necessário ter com as informações para as empresas não sofrerem prejuízos, visto que há uma alta coleta no controle financeiro ou na abertura de conta, por exemplo.

  1. Direito a exclusão de dados

A lei garante a privacidade em relação aos dados pessoais. Conforme a LGPD, as pessoas podem solicitar o acesso para verificar se as informações estão corretas e pode até pedir para excluir dos bancos de informações sem a necessidade de uma autorização externa.

É fundamental estar atento aos dados que o setor financeiro tem armazenado no seu sistema e assim garantir o tratamento adequado da informação para garantir o acesso conforme acertado com o usuário.

  1. Consequências nos casos e violação de dados

As empresas do setor financeiro costumam ter a sua própria política de segurança para os casos de violação de vazamento de dados. 

Entretanto, com a lei em vigor, as empresas devem comunicar às autoridades o mais rápido possível para que providências sejam tomadas.

Por esse motivo, também, protocolos de remediação e todas as medidas devem ser enviadas para as pessoas ficarem cientes do que aconteceu a respeito da violação de dados.

  1. Gestão de fornecedores

Ter um sistema de gestão é muito importante para conseguir cuidar dos dados dos clientes do setor financeiro com qualidade. 

Softwares que realizam a automação dos processos, por exemplo, permitem um melhor acompanhamento sobre as informações e toda a segurança nos processos para empresa e clientes.

Os investimentos no uso de softwares de gerenciamento proporcionam os seguintes ganhos:

  • Padroniza os processos;
  • Aumenta a segurança de dados;
  • Agiliza o gerenciamento das informações;
  • Reduz os custos operacionais;
  • Integra o sistema com outros softwares;
  • Melhora a tomada de decisões.

Sendo assim, escolher um bom software é uma das formas das companhias da área financeira se organizarem e terem os insumos necessários para cuidar da segurança de dados dos seus clientes.

Cuidados que o setor financeiro deve ter conforme a LGPD

As empresas no ramo de finanças precisam lidar diariamente com grande volume de informações e considerar a segurança destas informações é essencial para evitar problemas.

Os empreendimentos financeiros podem e devem sempre entrar em contato com o cliente para ter o consentimento a respeito do uso dos dados. Este procedimento deve ser feito sempre que for dar início a alguma operação financeira ou alguma informação for atualizada.

Além do cuidado com o armazenamento e processamento das informações, os profissionais devem elaborar relatórios para arquivamento.

Assim, investir capital no aluguel de multifuncional, por exemplo, é o modo de ter uma máquina que facilita o trabalho e o acesso do material, se for necessário, no modelo físico.

A empresa que fornece o equipamento, assim como as do segmento financeiro devem ter cuidados com a segurança de dados dos seus clientes, ou seja, em todas as áreas a LGPD deve ser seguida como uma proteção para todos: empresas e sociedade.

Um ponto muito importante para os bancos e instituições financeiras é a realização de testes, que podem ser feitos periodicamente para verificar se o banco de dados foi ou não violado e assim tomar as medidas de remediação do caso.

Este cuidado com os dados é tão importante quanto um controle de acesso corporativo feito pela portaria 24 horas terceirizada, ou sistemicamente, recurso que ajuda a evitar invasões e danos ao patrimônio e a equipe de funcionários, visto que também é possível definir graus de acesso para os colaboradores que lidam com essa informação.

Deste modo, inserir recursos que ajudam nos cuidados da empresa assim como às leis são formas de ter um ótimo desempenho.

Portanto, a implementação da LGPD na sua empresa, especificamente na área financeira, é fundamental para conseguir proteger os dados dos clientes, algo que ajuda na confiança e credibilidade, além de proporcionar ganhos interessantes para curto, médio e longo prazo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Wagner Santos

Meu nome e Wagner Santos CEO da Revista de Marketing e profissional de SEO | Linkbuilder e escrevo sobre dicas para melhorar e alavancar sites na internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo