Mundo

Jordânia lança 56 ataques aéreos contra o Estado Islâmico

Jordânia
Jordânia lançou 56 ataques contra o EI. Foto: Reprodução

O governo da Jordânia diz ter realizado 56 ataques aéreos contra alvos do Estado Islâmico em uma vingança pelo assassinato do piloto Muaz al-Kasasbeh, que foi queimado vivo. O chefe da Força Aérea do país disse que os três dias consecutivos de ataques eram “apenas o começo” de campanhas planejadas em uma tentativa de vingar a morte do piloto de 26 anos de idade.

Na semana passada, o Estado Islâmico divulgou um vídeo pretendendo mostrar Kasasbeh ser queimado vivo em uma gaiola enquanto militantes mascarados em uniformes camuflados observavam. O ato foi amplamente condenado como um dos mais repugnantes que já aconteceram e enviou ondas de revolta em todo o Oriente Médio.

Um esquadrão de caças F16 dos Emirados Árabes Unidos chegou na Jordânia. Foto: AP

Um esquadrão de caças F16 dos Emirados Árabes Unidos chegou na Jordânia. Foto: AP

Neste domingo (8), o major-general Mansour al-Jabour disse: “Nós conseguimos o que estávamos procurando: a vingança para Muaz. E este não é o fim, é apenas o começo”.  De acordo com o major-general, os ataques – apelidados de Operação Mártir Moaz na memória do piloto – alvejou depósitos de armas, centros de treinamento, armazéns e instalações militares do Estado Islâmico.

Um esquadrão de caças F16 dos Emirados Árabes Unidos chegou na Jordânia, no domingo, um dia depois o estado do Golfo anunciar que estava sendo enviado para reforçar o esforço militar da coalizão. Ele irá realizar ataques aéreos conjuntos com os colegas jordanianos contra os militantes islâmicos, disse um funcionário da Jordânia no sábado (7). O foco de ataques aéreos da Jordânia é Raqqa, a fortaleza do Estado Islâmico na Síria.

Vídeo mostra o ataque da Jordânia ao EI:

 

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.