Já ouviu falar de acupuntura na estética facial?

Já ouviu falar de acupuntura na estética facial?

maio 9, 2017 0 Por Beatriz Bergamin

A medicina tradicional chinesa traz soluções alternativas, menos invasivas, que não só aliviam a dor, como também beneficiam os procedimentos estéticos. Este é o caso da acupuntura facial, que tem como objetivo reduzir as marcas de idade no rosto.

Amenizar e retardar o aparecimento de rugas  e outras marcas de expressão no rosto ou simplesmente revitalizar a pele sem precisar de cirurgias e/ou tratamentos dermatológicos complexos e caros  é  algo que a acupuntura facial pode realizar.

A sessão começa com o uso de agulhas para relaxar o corpo, seguidas das agulhas que serão utilizadas no rosto do paciente, estimulando assim o fluxo sanguíneo na região, aumentando a produção natural de colágeno, diminuindo a intensidade das linhas de expressão, melhorando o brilho da pele, além de retardar o surgimento de rugas.

A experiência relaxante do tratamento estético dura cerca de 45 minutos, podendo ser realizada semanalmente dependendo do caso. É possível notar fuma melhora geral no aspecto da pele desde a primeira sessão, embora sejam recomendadas de cinco a dez sessões, além de outras adicionais a cada um mês para manutenção do tratamento.

Se comparada com a acupuntura tradicional, a acupuntura estética também traz efeitos anti – estresse, que acalmam o corpo. A jovialidade e a beleza da pele estão intimamente relacionadas com o equilíbrio da mente e do espírito, o que justifica a importância do efeito relaxante na sessão de acupuntura. Recomenda-se a prática de sessões de acupuntura faciais assim que os primeiros sinais de envelhecimento surgirem, como linhas de expressão no rosto, o que costuma acontecer por volta dos 30 anos de idade.

De acordo com Marcos De Tarso, terapeuta e dono da “Escola Phoenix”, pacientes com insuficiência renal, insuficiência hepática e gestantes devem evitar realizar está técnica e pacientes cardíacos, com by -pass, portadores de diabetes e pessoas que estejam tomando anti – coagulantes, trombolíticos e anti-plaquetários devem conversar com o terapeuta para maiores informações.

É necessário ter uma conversa franca com o terapeuta para que o diagnóstico seja realizado da maneira correta e o tratamento consiga cumprir seu papel.