Itália autoriza estudo com heparina para tratar coronavírus

Itália autoriza estudo com heparina para tratar coronavírus

Itália autoriza estudo com heparina para tratar coronavírus

Romário Nicácio abril 15, 2020 Coronavírus

(ANSA) – A Agência Italiana de Medicamentos (Aifa, na sigla em italiano) autorizou o início do estudo do uso do anticoagulante heparina para tratar os sintomas provocados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2) em pacientes com quadro de saúde moderado ou severo.

O experimento avaliará a segurança e a eficácia do anticoagulante, que será usado a baixo peso molecular (biossimilar da enoxaparina sódica), em 14 centros italianos envolvidos na pesquisa. O teste, que será feito em 300 pacientes, contará com a aplicação em diversos níveis de dosagem e o medicamento será fornecido gratuitamente pela empresa Techdow Pharma, filial no país do Shenzen Hepalink Pharmaceutical Group.

A enoxaparina sódica é uma heparina a baixo peso molecular com uma elevada ação antitrombótica que, atualmente, é um dos anticoagulantes mais usados para a prevenção e o tratamento da tromboembolismo venoso (TEV) e arterial em pessoas que passaram por uma intervenção cirúrgica. Todos os 300 pacientes admitidos no experimento receberão o medicamento por via subcutânea.

O estudo será coordenado pelo professor de Doenças Infecciosas da Universidade de Bolonha e diretor da Unidade Operacional de Doenças Infecciosas do Hospital Sant’Orsola-Malpighi, Pierluigi Viale.

Segundo os especialistas, a Covid-19 causa comumente alterações na coagulação do sangue e também leva a complicações trombóticas e, por isso, por essa importância significativa tanto em questões de incidência como de relevância clínica, o estudo será feito nesse sentido.

Em janeiro desse ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou a prevenção da TEV em pacientes com o coronavírus com a administração da heparina, preferivelmente, a baixo peso molecular. À luz das evidências científicas recolhidas até o momento e com os resultados encorajantes que provêm dos estudos na China, seja in vitro ou em pacientes, nasceu a ideia de promover um experimento também na Itália, aplicando, em nível terapêutico, uma dosagem média-alta do remédio.

“Uma outra peça importante do nosso arsenal terapêutico contra a Covid-19 entra agora na fase de experimentação clínica e será necessária para entender melhor tanto o seu papel e sua aplicabilidade”, destaca Viale. Além da heparina, há outras medicações vem sendo testadas para tratar o novo coronavírus, como a cloroquina (e a hidroxicloroquina) e diversos antirretrovirais.

Outros artigos