Intermunicipais não transportarão mais passageiros em pé na Grande Natal

agosto 21, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Intermunicipais não transportarão mais passageiros em pé na Grande Natal

Os ônibus intermunicipais que operam linhas na região metropolitana da capital potiguar não vão rodar com passageiros em pé, ou seja, os motoristas não deverão parar para novos passageiros quando todos os bancos estiverem ocupados. Essa foi a orientação dada às empresas pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Intermunicipais (Setrans).

Ainda de acordo com a entidade, a medida vale a partir desta sexta-feira (21) – data marcada pelo governo para a retomada do serviço com frota regular no estado – e está dentro das normas para evitar lotação e consequente aglomeração por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Serão atingidas pela decisão todas as linhas de ônibus que circulam entre os municípios de Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaíba, São José de Mipibu, Nísia Floresta, Goianinha, Ceará-Mirim e Extremoz. De acordo com a Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Nordeste (Fetronor), 200 veículos operam diversos trajetos entre essas cidades.

Será a primeira vez em que as linhas terão seus horários regulares desde que foram decretadas medidas de isolamento social como prevenção da Covid-19.

Antes do retorno à normalidade das rotas, as empresas tiveram de apresentar ao DER um plano operacional. É justamente neste documento em que elas informam que não vão mais transportar passageiros em pé, para diminuir a lotação dos ônibus.

Motoristas e cobradores estão sendo orientados a proibir novos embarques quando todas as cadeiras estiverem ocupadas. Passageiros que não conseguirem embarcar, terão de esperar outro ônibus para seguir viagem.

Horários de pico

O diretor de transporte do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Rômulo Lins, órgão competente pela gestão e fiscalização do transporte intermunicipal, alerta para os horários de pico e orienta à população a usar os horários chamados de entre picos.

“É interessante ressaltar para a população que a pandemia não acabou e, mesmo que as empresas obedeçam ao protocolo de segurança, cabe a cada pessoa ter discernimento sobre a necessidade de sair de casa. E se for sair, optar por não entrar em ônibus lotado, que todo mundo sabe é uma realidade que não é de agora”, disse.