Governador do RJ descarta possibilidade de racionamento de água nos próximos seis meses

Alertado sobre a crise da água o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, divulgou por meio de nota na noite de ontem (23), que acredita que não será necessário fazer um racionamento de água no estado neste primeiro semestre. No entanto, ele pediu a colaboração da população para que economize a água que chega às suas torneiras. O governador ainda destacou que essa é a maior seca da região nos últimos 84 anos. As informações são da Agência Brasil.

Crise da água: Mais de 1 milhão de pessoas continuam sem água em São Paulo

O Reservatório Paraibuna  atingiu seu volume morto na última quarta-feira (21). Foto: Agência Brasil
O Reservatório Paraibuna atingiu seu volume morto na última quarta-feira (21). Foto: Agência Brasil

De acordo com o Informativo Preliminar Diário da Operação, publicado na última quinta-feira (22) pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível do reservatório de Paraibuna, no Rio Paraíba do Sul, pertencente à Companhia Energética de São Paulo (Cesp), atingiu o chamado volume morto na quarta-feira (21), às 7 horas. Apesar de o governador descartar racionamento, o secretário estadual do Ambiente, André Corrêa, disse que algumas indústrias do norte fluminense poderão sofrer com falta de água. A prioridade do governo, segundo o secretário, é destinar o produto para o consumo humano. Essas empresas já foram avisadas há mais de um ano sobre a possibilidade do corte de água, descartou.

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!