Fundador da Ricardo Eletro é preso em MG por sonegação fiscal

julho 8, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Fundador da Ricardo Eletro é preso em MG por sonegação fiscal

Uma operação deflagrada na manhã desta quarta-feira (08/07) pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e pela Receita Federal, prendeu o empresário Ricardo Nunes, fundador e ex-principal acionista da rede varejista Ricardo Eletro.

Segundo a GloboNews, a filha de Ricardo, Laura Nunes, e o irmão dele, Rodrigo Nunes, foram presos na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com a emissora, a operação investiga se houve sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Conhecida por “Direto com o Dono“, a operação cumpre três mandados de prisão e 14 de busca e apreensão em diversas cidades do país e também mira outros empresários do ramo de eletrodomésticos. De acordo com os investigadores, mais de R$ 400 milhões foram sonegados.

A fraude

De acordo com o MPMG, a rede de varejo cobrava dos consumidores, embutido no preço dos produtos, o valor correspondente aos impostos, mas não fazia o repasse. O órgão informou ainda que a empresa se encontra em situação de recuperação extrajudicial, sem condições de arcar com dívidas.

Os bens imóveis de Ricardo Nunes não estão registrados no nome dele, mas de suas filhas, mãe e de um irmão. Ainda segundo a força-tarefa, o crescimento do patrimônio individual do principal sócio ocorreu na mesma época em que os crimes tributários eram praticados, caracterizando lavagem de dinheiro.

Além dos mandados de prisão, a Justiça determinou o sequestro de bens imóveis de Ricardo, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, para ressarcir danos causados ao estado de Minas Gerais.

A empresa

A Ricardo Eletro é uma das principais varejistas de móveis e eletrodomésticos do Brasil e é a principal bandeira do grupo Máquina de Vendas, fundado em 2010 com fusão da Ricardo Eletro (Sudeste), Insinuante (Nordeste), City Lar (Norte), Eletro Shopping (Nordeste) e Salfer (Sul).

A companhia faturou 2 bilhões de reais em 2019 e previa faturar 2,6 bilhões em 2020, antes da pandemia. Nas últimas semanas, vinha reforçando sua operação online em meio à pandemia do coronavírus. A companhia tem 2.400 vendedores e 300 lojas.