Funcionários da Amazon rejeitam fazer parte de um sindicato de trabalhadores nos EUA

Funcionários da Amazon rejeitam fazer parte de um sindicato de trabalhadores nos EUA

Funcionários do centro de logística BHM1 da Amazon, no estado americano do Alabama, rejeitaram por uma esmagadora maioria fazer parte do Sindicato de Varejo, Atacado e Lojas de Departamento (RWDSU), informou a empresa por meio de um comunicado.

A contagem final das 3.215 atas emitidas rendeu resultado final de 1.798 votos contra e 739 a favor da iniciativa de sindicalização, que, caso fosse aprovada, teria significado a formação do primeiro sindicato dos trabalhadores da Amazon, o segundo maior empregador da América .

Os resultados da votação, em que participaram apenas 55% dos trabalhadores, serão contestados pela RWSDSU, por alegadas práticas anti-sindicais da empresa que “interferiram” nas eleições através da “coerção e intimidação”. “Exigimos uma investigação completa sobre o comportamento da Amazon na corrupção dessas eleições”, disse Stuart Appelbaum, presidente do sindicato.

Por sua vez, a empresa negou ter interferido na votação. “É fácil prever que o sindicato dirá que a Amazon ganhou esta eleição porque intimidamos os funcionários, mas isso não é verdade. Nossos funcionários ouviram muito mais mensagens anti-Amazon do sindicato, dos legisladores e da mídia do que mensagens a nosso favor”, respondeu a empresa após denúncias.

Da mesma forma, a empresa indicou que está disposta a colaborar com os políticos para aprovar “leis que garantam que todos os trabalhadores nos Estados Unidos tenham garantia de pelo menos US $ 15 por hora, assistência médica desde o primeiro dia e outros benefícios importantes”.

Desde o início da pandemia do coronavírus, a Amazon criou quase meio milhão de novos empregos em todo o mundo, período durante o qual seu fundador, Jeff Bezos, viu sua fortuna crescer 57%.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: