Farmacêutica dos EUA diz ter possível “cura” da covid-19

maio 17, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Farmacêutica dos EUA diz ter possível “cura” da covid-19

A empresa biofarmacêutica da Califórnia (EUA), Sorrento Therapeutics, afirma ter desenvolvido um anticorpo que pode proteger as células da infecção por coronavírus e eliminá-lo do corpo em quatro dias.

A empresa destaca que o anticorpo STI-1499 pode fornecer “100% de inibição” contra a Covid-19 e garante que o tratamento esteja disponível meses antes da vacina contra o coronavírus chegar ao mercado.

“Queremos enfatizar que existe uma cura. Existe uma solução que funciona 100%. Se temos o anticorpo neutralizante em seu corpo, ele não precisa de distanciamento social . É possível reabrir a sociedade sem medo”, disse Henry Ji, CEO da empresa biofarmacêutica.

Segundo o diretor, quando o anticorpo impede que um vírus entre na célula humana, o vírus não pode sobreviver. “Se os vírus não podem entrar na célula, eles não podem se replicar. Isso significa que, se impedirmos que ele entre na célula, o vírus desaparecerá. O corpo limpa o vírus”, disse ele.

Além disso, Henry Ji apontou que o anticorpo pode ser usado como terapia preventiva, uma vez que não há efeitos colaterais e pode ser mais eficaz do que qualquer vacina que possa ser desenvolvida no futuro.

De acordo com a Fox News, a farmacêutica Sorrento Therapeutics fez parceria com a Rede Hospitalar Mount Sinai, com sede em Nova York, para desenvolver um coquetel de anticorpos. Apelidado de Covi-Shield, ele será composto de três anticorpos diferentes, que têm como alvo partes diferentes do vírus, e ficará pendente de aprovação pela Food and Drug Administration (FDA). Se eles obtiverem autorização, o coquetel de anticorpos será usado como tratamento profilático (preventivo) para pessoas que retornarem ao trabalho e para quem foi exposto ao Covid-19.

O Dr. Mark Brunswick, vice-presidente sênior da Sorrento, afirma que o desenvolvimento de tratamentos com anticorpos pode ser mais eficaz no combate rápido ao coronavírus. Enquanto um tratamento de vacina pode levar até 18 meses, o tratamento com anticorpos eficazes pode “ficar disponível em muito menos tempo e com uma taxa de sucesso muito maior”