Brasil

Ex-gerente da Petrobras é preso na 39ª fase da Lava Jato

Lavas-Jato
Foto: Divulgação

(ANSA) – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (28) a 39ª fase da Lava Jato, batizada de Operação Paralelo. Autorizada pela 13ª Vara Federal de Curitiba, do juiz Sérgio Moro, a etapa incluiu um mandado de prisão preventiva contra o ex-gerente executivo da Petrobras Roberto Gonçalves, sucessor de Pedro Barusco, já condenado pela Lava Jato. Gonçalves foi detido em Roraima, onde visitava familiares.

O nome “Paralelo” se deve a uma suposta atuação clandestina dos investigados no mercado financeiro. Segundo a PF, uma corretora de valores teria sido usada para movimentar recursos ilícitos e viabilizar pagamentos ilegais de funcionários da Petrobras.

A fase anterior da Lava Jato havia sido deflagrada em 23 de fevereiro, com o nome de Blackout, para investigar o pagamento de US$ 40 milhões em propinas pelos operadores financeiros Jorge e Bruno Luz, pai e filho presos em Miami pela Interpol.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias em seu e-mail. O artigo continua após o formulário!

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

Os subornos teriam beneficiado sobretudo peemedebistas, incluindo senadores. Até aqui, a Lava Jato já executou mais de 180 mandados de prisão preventiva ou temporária, 205 de condução coercitiva e cerca de 750 de busca e apreensão. Segundo dados da PF, mais de R$ 745 milhões em bens já foram repatriados.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.