Estresse durante a quarentena pode causar queda capilar

abril 28, 2020 0 Por Brunna Mendes
Estresse durante a quarentena pode causar queda capilar

Estamos passando por um período de isolamento social devido à pandemia do Coronavírus que causou grandes mudanças em nossas vidas e rotinas diárias. Esse fato, combinado à ansiedade gerada pelo aumento de casos da doença que ainda não parece ter solução, pode causar grande quantidade de estresse. E o estresse não é apenas prejudicial para a mente e para o sistema imunológico, mas também para a saúde dos cabelos.

“Em momentos de nervosismo e estresse liberamos cortisol, popularmente conhecido como hormônio do estresse. E estima-se que o aumento do cortisol por um longo período de tempo esteja envolvido no processo de queda dos cabelos, visto que o hormônio pode favorecer o surgimento de quadros inflamatórios que impedem o crescimento adequado dos fios”, afirma a dermatologista e tricologista Dra. Kédima Nassif, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Além disso, o estresse pode promover o aparecimento de problemas no couro cabeludo, como caspa, o que também possui um impacto negativo nos cabelos.”

Por isso, nesse período estressante de isolamento social, devemos ficar atento aos cabelos para identificar um possível aumento na quantidade diária de fios caindo. “A preocupação com a queda deve ser um alerta se as hastes se desprendem espontaneamente em número igual ou maior que 100, se ocorre perda de densidade e proteinização dos fios, se o volume capilar diminui acentuadamente, se a queda persiste por tempo acima de sessenta dias ou ainda se começam a surgir falhas”, alerta a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Além disso, é importante investirmos em cuidados que vão ajudar na redução do estresse e, consequentemente, na prevenção da queda capilar por esse fator, apostando, por exemplo, na prática de meditação e mindfulness. “O Mindfulness pode ser traduzido como atenção ou consciência plena. É uma forma específica de prestar atenção em tudo o que acontece no presente de forma intencional e sem julgamentos. É uma prática que colabora para o gerenciamento do estresse, melhora da concentração e da produtividade”, afirma a Dra. Beatriz Lassance, cirurgiã plástica e membro do Colégio Brasileiro de Medicina do Estilo de Vida.

Então, caso você esteja trabalhando em casa, a médica recomenda investir em pequenos descansos ao longo do dia. “A cada 2 horas levante-se, tome água, olhe pela janela, tome um café, converse com alguém ou faça 5 minutos de meditação”, destaca. Já ao final do dia, desconecte-se e realize algo que te dê prazer. “Use esse tempo de sobra que estamos tendo durante a quarentena para coisas que você queria fazer antes e não conseguia ou não teve atitude de começar. Cozinhe, comece algum projeto, leia um livro, faça exercícios, brinque com seu filho. Procure criar objetivos e prazos para que você cumpra ao longo desse período”, diz o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Existem ainda suplementos que, quando prescritos corretamente por um médico, podem ajudar diretamente na redução do estresse. “Os fitoterápicos, por exemplo são produtos naturais, à base de plantas, que ajudam no controle do estresse com menos efeitos colaterais que os medicamentos ansiolíticos sintéticos”, ressalta Luisa Saldanha, farmacêutica e diretora científica da Pharmapele. “Entre os fitoterápicos de destaque estão ingredientes como a Pinetonina, que promove relaxamento e equilíbrio emocional e diminui os sintomas do estresse, e Relora, que reduz o cortisol, hormônio do estresse, promovendo sensação de relaxamento, bem-estar e felicidade.”

Porém, se você já está sofrendo com queda capilar, o ideal é consultar seu médico, mesmo que através de uma consulta on-line. Ele poderá realizar uma avaliação do seu quadro e indicar o melhor tratamento, que pode incluir, por exemplo, o uso tópico de Minoxidil. “O medicamento promove o aumento da circulação sanguínea do couro cabeludo com consequente melhora na oxigenação da região. Com isso, há a prolongação da fase anágena, ou seja, a fase de crescimento dos fios, que passam a nascer mais fortes e saudáveis”, explica a Dra. Kédima Nassif. “Além disso, o medicamento pode ser combinado com outros ativos antiqueda como cafeína, latanoprosta, fatores de crescimento e extratos botânicos para melhorar sua performance.”

Para o tratamento em casa, existem também suplementos que agem no fortalecimento e melhora da qualidade do fio, como o sílicio Exsynutriment, da Biotec. “O uso contínuo do ativo estimula a reposição de cabelos mais resistentes e espessos, além de atuar promovendo um crescimento acelerado dos fios. Biodisponível, o ingrediente tem melhor absorção pelo organismo”, afirma a farmacêutica Mika Yamaguchi, diretora científica da Biotec. “Se, além da queda, você ainda sofrer com caspa, que também é favorecida pelo estresse e agrava a queda de cabelo, vale a pena apostar no uso de tônicos formulados com ativos como o Defenscalp, que elimina a descamação e reduz a oleosidade capilar, preservando o microbiota do couro cabeludo e ajudando no crescimento dos fios”, completa.

Mas é importante ressaltar novamente que nenhum tipo de tratamento para a queda deve ser adotado sem orientação médica. A queda capilar pode ter diferentes causas e apenas o médico saberá diagnosticar corretamente o problema. “O diagnóstico pode ser feito após a averiguação clínica desse paciente com dosagens laboratoriais, com exame tricológico para saber em que fase os fios estão (anágena, telógena, catagena) e biópsia do couro cabeludo para confirmar se esse paciente é portador da calvície de padrão familiar e hereditário. Com base nessa investigação, o tratamento será prescrito caso a caso e o dermatologista escolherá a melhor conduta”, finaliza a Dra. Claudia Marçal.