Escola Agrícola da UFRN oferta 115 vagas em curso técnicos

Escola Agrícola da UFRN oferta 115 vagas em curso técnicos

Escola Agrícola da UFRN oferta 115 vagas em curso técnicos

Rafael Nicácio outubro 20, 2020 Destaques

A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) abriu processo seletivo para 115 vagas em quatro cursos técnicos, que terão aulas iniciadas em dezembro. Entre eles, a unidade agrícola da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) oferta 20 oportunidades no Curso Técnico em Cozinha, que será oferecido pela primeira vez e ofertado na modalidade subsequente, com duração de um ano e meio.

As inscrições gratuitas para os cursos já estão abertas e seguem até o próximo dia 30 de outubro pela internet (aqui). As informações sobre matrícula, datas e requisitos, podem ser consultadas no edital (clicando aqui).

Vagas

  • Técnico em Agroindústria – 30 vagas
  • Técnico em Agropecuária – 35 vagas
  • Técnico em Aquicultura – 30 vagas
  • Técnico em Cozinha – 20 vagas

A seleção será realizada por meio de análise do desempenho escolar em Língua Portuguesa ou Português e Matemática ou disciplinas equivalentes cursadas no 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio. O edital ainda prevê reserva de vagas para alunos egressos de escolas públicas, por exemplo.

Novo curso na EAJ-UFRN

Curso Técnico em Cozinha Escola Agrícola da UFRN

O novo curso será ofertado na modalidade subsequente e terá duração de um ano e meio. Com atuação alinhada à EAJ, enquanto Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias da UFRN, o curso faz parte do esforço da escola para contribuir com o fortalecimento de toda a cadeia produtiva de alimentos no Rio Grande do Norte. A criação do Técnico em Cozinha foi justificada pelo bom desempenho do setor de serviços em todo país, principalmente no Rio Grande do Norte, e pela necessidade de profissionais qualificados que atendam às exigências do setor de gastronomia.

O diretor da EAJ, Ivan Max, destaca que a ideia do curso é ter vinculação e articulação com a produção agrícola do estado, promovendo uma ligação direta com a unidade. “Como o curso vai se voltar a produção vegetal e animal do RN, a relação com a EAJ será direta, pois isso envolve uma forma de processamento de produção com fins de alimentação. Além disso, a cozinha tradicional rural será explorada nas preparações”, disse.

A expectativa, segundo o Projeto Político Pedagógico do curso, é formar um cidadão preparado para o ambiente de cozinha profissional, que atue com ética e responsabilidade, atento aos aspectos sociais, ambientais, históricos, culturais e turísticos relacionados à gastronomia.

O curso terá oferta de disciplinas que vão da História, Cultura e Alimentação, passando por Técnicas e Habilidades de Cozinha, Empreendedorismo, Noções de Nutrição, Higiene e Boas Práticas de Manipulação, Informática Básica, Habilidades Básicas de Confeitaria e Panificação, Serviços de Alimentos e Bebidas, além das disciplinas que tratam dos mais diversos tipos de alimentos e culinárias existentes.

Os futuros estudantes podem esperar muito mais do que só os conteúdos articulados com a realidade agrícola regional. “Preparamos uma infraestrutura de restaurante escola e um corpo de professoras e professores qualificados para atender as necessidades dessa oferta”, revela o diretor da EAJ, Ivan Max.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos