Sem Censura
Imagem: TV Brasil/Divulgação

O Sem Censura desta quarta-feira, 14 de agosto de 2019, recebe artistas da dança, teatro e música.

Uma das convidadas desta edição é Ana Paula Bouzas, premiada atriz, bailarina e coreógrafa, além de diretora de movimento e preparadora de elenco de teatro, cinema e TV. Ele fala de dois projetos dos quais participa esse mês no Rio de Janeiro.

Um deles é a ocupação do Teatro Cacilda Becker chamada “Eu Organizo o Movimento e Convido”. De 15 a 18 de agosto, Ana Paula apresenta o solo “Eu organizo o movimento” – criação dela e de Paulo Marques –, recebe artistas para abrirem a noite com pequenas cenas, e oferece oficinas de movimento.

Ana Paula também fala do monólogo “Inferno”, de Rodrigo de Roure e Luiz Felipe Andrade, em cartaz de 22 de agosto a 08 de setembro na Sala Multiuso do Sesc Copacabana. Escrito especialmente para ela, o texto do espetáculo encerra a trilogia sobre três mulheres: Águida (“Senhora Coisa” – 2002), Gilda (“Os últimos dias de Gilda” – 2003) e, agora, Vânia, protagonista de “Inferno”, todas peças teatrais presentes no livro “Os Últimos Dias” de Rodrigo de Roure.

Para falar também de teatro e de música, o Sem Censura recebe o autor, diretor e ator Gedivam Albuquerque e a atriz Kikha. Eles dão uma canja e falam do musical “Aracy de Almeida, a Dama do Encantado”, que tem texto e direção musical de Gedivan Albuquerque, direção geral de Ernesto Piccolo e Kikha no papel da protagonista.

A peça foi escrita em 2014 para comemorar o centenário da irreverente e polêmica cantora Aracy de Almeida. O espetáculo encerra sua temporada no Teatro Municipal Café Pequeno, no Rio de Janeiro, no dia 25 de agosto.

Outro tema do bate-papo desta quarta-feira é a alienação parental, quando qualquer pessoa que mantenha responsabilidades sobre uma criança (pais e mães biológicos ou afetivos, avós, cônjuges ou responsáveis legais) a induz ao afastamento do outro genitor, impede a convivência, distorce a imagem familiar, coage ou a responsabiliza pelo fim do relacionamento ou pelas ações que cabem somente ao casal.

O produtor e roteirista Alan Minas foi vítima de alienação parental e traz o assunto em suas obras. É autor do documentário premiado “A morte inventada” e acaba de lançar o livro “Gente que se apaga”, que aborda relações familiares pela visão de uma criança.

Sobre o programa

Sob o comando de Vera Barroso, com Bruno Barros e Carol Rocha, o Sem Censura está no ar desde 1985. O programa tem uma hora de duração e extensão de 15 minutos no Facebook. A hashtag #semcensura nas redes sociais garante a interação com o público. O programa foi um dos primeiros da TV brasileira a abrir espaço para a participação dos telespectadores, ainda nos anos 1980.

Tudo isso e muito mais você pode conferir logo após a série Pablo, a partir das 17h, na TV Brasil.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.