Sem Censura
Imagem: TV Brasil/Divulgação

O Sem Censura desta sexta-feira, 13 de março de 2020, estresse e seus efeitos em debate.

A dermatologista Gabriella Albuquerque, membro Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), conversa com a apresentadora Vera Barroso sobre a maneira como o estresse pode agravar ou mesmo desencadear doenças de pele. E a neurologista Vanessa Müller explica as diferenças entre estresse e doenças, como a Síndrome de Burnout, e como estas afetam  a saúde mental das pessoas.

Mecanismo de defesa natural do organismo, o estresse pode ser danoso à saúde quando se torna crônico. Inúmeros problemas fisiológicos estão associados ao estresse, que também pode prejudicar a pele, afetar o sistema imunológico e provocar ou agravar uma série de enfermidades. Com frequência, pessoas com doença de pele são vítimas de preconceito e afastamento social, apesar de as doenças não serem contagiosas.

“Dermatite atópica, dermatite seborreica, vitiligo, tudo isso tem uma íntima relação com o estresse”, explica Gabriella Albuquerque. “É óbvio que uma das coisas que mais leva aos nossos consultórios é a famosa queda de cabelo, ou alopecia. E isso deixa as mulheres e os homens muito transtornados.”

De acordo com pesquisa da International Stress Management Association (Isma) no Brasil, 72% dos brasileiros em atuação no mercado de trabalho já desenvolveram alguma sequela ocasionada pelo estresse. Desses, 32% sofreriam de Burnout. E 92% das pessoas com a síndrome continuariam trabalhando.

Para Vanessa Müller, o estresse não deve ser tratado com medicamento, mas sim algumas doenças geradas por ele, como transtorno de ansiedade generalizada e a Síndrome de Burnout. “Aí já se transforma em doença, que é quando você perde uma função ou tem dificuldade de execução ou perda de qualidade de vida”, observa.

A médica acrescenta que é importante estar atento a sintomas e não interpretar as observações dos outros de forma defensiva. Um indivíduo sob estresse pode emanar sinais e não perceber.

“Quando você está num ambiente em que não tem nem tempo para ter foco interno, você talvez não perceba o quanto está afetado e o quanto você já está doente, na realidade. Então, quando você está naquele ‘automatismo’, talvez esteja anestesiado por tudo isso.”

Sobre o programa

Sob o comando de Vera Barroso, com Bruno Barros e Carol Rocha, o Sem Censura está no ar desde 1985. O programa tem uma hora de duração e extensão de 15 minutos no Facebook. A hashtag #semcensura nas redes sociais garante a interação com o público. O programa foi um dos primeiros da TV brasileira a abrir espaço para a participação dos telespectadores, ainda nos anos 1980.

Tudo isso e muito mais você pode conferir logo após a série Pablo, a partir das 18h, na TV Brasil.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.