Programação da TV Bernardo Vieira

Segunda Chamada – 15/10/2019: Lucia revela a Jaci que não entregou o bebê para as autoridades

Segunda Chamada – 15/10/2019: Lucia revela a Jaci que não entregou o bebê para as autoridades

No segundo episódio da primeira temporada de Segunda Chamada desta terça-feira, 15 de outubro de 2019, Lucia revela a Jaci que não entregou o bebê para as autoridades.

A Escola Estadual Carolina Maria de Jesus é impregnada da vocação inabalável de seus professores, que praticamente dão a vida por seus alunos. E no Dia dos Professores, na próxima terça-feira, 15 de outubro, ‘Segunda Chamada’ presta uma homenagem a eles, seus colegas da vida real. Ao final do episódio, os depoimentos reais são inteiramente dedicados aos mestres que, apesar de todas as dificuldades, se nutrem da beleza e da necessidade da profissão.

Antes, na trama, Lucia (Debora Bloch) precisa lidar com a consequência de ter levado a bebê de Solange (Carol Duarte) para casa e Marco André (Silvio Guindane) enfrenta, em seu primeiro dia de aula, uma situação extrema envolvendo a colega Sônia (Hermila Guedes) e um aluno. Já Eliete (Thalita Carauta) é obrigada a esconder um segredo de Natasha (Linn da Quebrada) para garantir a permanência da estudante na escola.

A noite foi mal dormida para Lucia, que, no dia seguinte ao abandono da bebê de Solange, acorda decidida a resolver a situação a seu modo. No entanto, a mãe da criança parece ter desaparecido sem deixar rastros. Sem escolha, a professora de Português volta à escola, apreensiva pela mentira que precisará contar a Jaci sobre o que aconteceu na noite anterior.

O problema a persegue até a sala de aula, onde a educadora se sente mais segura. O presente e o passado parecem se misturar em sua memória, deixando-a cada vez mais agoniada. Lúcia só volta à realidade quando Alejandra (Rosalva Vanessa) e Javier (Gabriel Rafael Diaz), dois alunos venezuelanos, a tiram, momentaneamente, de suas preocupações com uma dúvida da matéria: “Fiquem atentos aos artigos. Água, no Português, é uma palavra feminina. Então, o correto seria: a água está limpa, e não o água. Alejandra agradece, se esforçando para falar o idioma: “Seria bom se todos fossem pacientes como a senhora.”

O roubo de seu carro e o susto envolvendo Maicon Douglas (Felipe Simas) parecem não ter desanimado Marco André. O professor de Artes, nova matéria da escola, está pronto para fazer a diferença. Dessa vez, ele é acompanhado pela colega Eliete: “Boa sorte! Qualquer coisa, grita que estou aqui do lado”. Achando graça da situação, ele responde: “Tá tranquilo, Eliete. Não é a primeira vez que tô dando aula”. A professora de matemática sabe o que está dizendo: “Mas é a primeira no ensino noturno. Então, boa sorte!”. A princípio, Marco André não parece levar a sério as palavras da colega, mas tudo muda quando, em vão, se apresenta à turma, que o ignora e continua em total estado de algazarra. Com seus modos de escola particular, Marco André pede educadamente a um de seus estudantes: “Ô, amigo! Faz o favor de sentar”. Com seus cabelos grisalhos e rosto cansado, o aluno fecha a cara: “ Meu nome é Osmar e não sou seu amigo. Nem te conheço, meu filho.”

Na sala ao lado, é dia de trabalho de matemática, mas algo tira a concentração dos alunos: o barulho do ventilador que deu curto, de novo. Todos reclamam e Natasha se oferece para mexer no objeto: “Na minha casa, quem mete a mão para consertar tudo sou euzinha”. Ao levantar o braço, a aluna deixa aparecer a sua navalha, no bolso da calça, a mesma que usou no dia anterior para se proteger das agressões dos colegas no banheiro masculino. Eliete percebe e, incomodada, vai tirar satisfação com a aluna: “Imagina se todo mundo entrar armado aqui dentro, garota? Me perdoa, mas não posso fazer vista grossa para uma coisa dessas”. Natasha é firme em sua resposta de que não vai se separar da navalha, afinal, a estudante vive em estado de alerta dentro e fora da escola, algo que, no fundo, Eliete também sabe. A professora, temendo que a aluna abandone a escola, decide então acobertar Natasha, mesmo sabendo que nada vai mudar.

Enquanto isso, Sônia escreve a sua matéria na lousa, ainda pensativa sobre que aconteceu na entrada da escola. Seu marido Carlos (Otávio Muller) se atrasa mais uma vez para buscar as crianças com a mãe e reage de modo agressivo aos questionamentos da esposa. A cena é presenciada por Reginaldo, um dos alunos, que chega ao colégio no exato momento em que Carlos e Sônia estão discutindo. “Tá tudo bem aí, professora?”, pergunta. Carlos perde ainda mais a paciência. “Tá se metendo por quê”, diz agressivo antes de acelerar o carro com os filhos e sumir da vista de Sônia. Reginaldo não gosta do que vê e diz à professora: ”Desculpe falar, mas acho que a senhora merece coisa melhor”.

Sônia olha para o aluno, sem graça. Com muito custo, ela termina a sua aula e vai descansar na sala dos professores, quando, longe da vista de todos, Reginaldo a surpreende e parece insistir em algo que só existe na sua cabeça: “Se você deixar, eu te trato que nem uma rainha.” Sônia tenta se desvencilhar do estudante, que, cada vez mais agressivo, puxa a educadora com violência, fazendo-a cair: “Pelo amor de Deus! Eu sou sua professora”. Mas Reginaldo não escuta e começa a tirar o cinto da calça. Buscando um minuto de descanso, Marco André entra na sala, vê a cena e parte para cima de Reginaldo, imobilizando-o. O susto mostra a Marco André como as coisas realmente acontecem no ensino noturno.

A exibição para Grande São Paulo, assim como para todo o Brasil, está prevista por volta das 23h20, logo após a novela Filhos da Pátria na TV Globo.

Sobre o autor | Website

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

Deixe um comentário

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.