Séries

Há 32 anos estreava a série animada “Caverna do Dragão”

Sucesso absoluto em meados dos anos 80, a série Dungeons & Dragons (Caverna do Dragão) fazia sua estreia no dia 17 de setembro de 1983 na rede de televisão norte-americana CBS, sendo depois transmitida em vários países. No Brasil, teve sua estreia em 1986 pela Rede Globo, onde obteve uma enorme audiência. A série possui 27 episódios divididos em três temporadas

Coproduzida pela Marvel Productions, TSR e Toei Animation, Dungeons & Dragons é baseada no jogo de RPG do mesmo nome. A trama da envolvente história é em torno de seis crianças/adolescentes que estão em um parque de diversões e embarcam em uma montanha-russa chamada Dungeons & Dragons. No meio do passeio, abre-se um portal e o grupo é transportado para um mundo completamente diferente e mágico, com dragões, feiticeiros, orcs, fadas, unicórnios entre muitos outros.

História

Os garotos e garotas do grupo (Hank, Eric, Diana, Sheila, Presto e Bobby) recebem novas roupas e armas mágicas. Elas são entregues pelo Mestre dos Magos, que servirá de guia dos novatos em seu novo mundo, chamado simplesmente de “Reino”. Nesta jornada, também está o unicórnio Uni, que será adotado especialmente por Bobby, um menino de oito anos. O principal objetivo do grupo é retornar para o seu lar, mas para isso terão que enfrentar inimigos como o feiticeiro Vingador, a deusa-dragão Tiamat e o Demônio das Sombras, que serve de informante do Vingador.

Requiem é o episódio final de Caverna do Dragão e foi escrito pelo roteirista Michael Reaves. De todos os vinte e oito episódios, este foi o único a não ser produzido, embora o roteiro oficial tenha sido criado. O episódio relata os acontecimentos finais da jornada dos seis garotos. Em 2010, uma versão não oficial do roteiro adaptada para os quadrinhos foi feita pelo cartunista brasileiro Reinaldo Rocha.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Reino

Não se sabe ao certo qual foi o cenário de Dungeons & Dragons utilizado para ambientar o seriado. Greyhawk, um dos primeiros cenários de Dungeons & Dragons e cuja autoria é de Gary Gygax, um dos criadores do desenho animado, teve alguns de seus personagens utilizados ao longo da série, dentre os quais: Warduke (Duque Guerreiro), Tiamat, o Beholder (Observador) e Lolth (os três últimos passaram a, posteriormente, compor o universo básico de Dungeons & Dragons).

Por outro lado, Hank e Bobby são citados no vídeo-jogo para computador Baldur’s Gate 2, que é ambientado no mundo de Forgotten Realms.

O mundo de Caverna do Dragão é simplesmente chamado de “O Reino” (Realm of Dungeons & Dragons, no original). Há diversas cidades pequenas (vilarejos ou burgos) espalhadas pelo Reino, chefiadas por pessoas denominadas “prefeitos” (ou burgo-mestres). Há cidadelas maiores, cercadas por grandes muros e governadas como um principado ou um reino. A maioria das aglomerações urbanas tem ciência do Vingador e muitas demonstram temor e obediência a ele. No geral, essas sociedades organizam-se como feudos ou monarquias absolutistas, apesar de, especialmente nos pequenos vilarejos, ser observada uma organização mais democrática. Entre os reis e rainhas que aparecem na série, destacam-se: Rahmoud, Travar, Tasmira, Solinara, Syrith, Zinn e Varen, além do Vingador.

A variedade de raças encontradas é enorme, a maioria podendo ser vista na primeira versão do Livro dos Monstros de D&D. A produção não é, todavia, totalmente fiel aos cânones de D&D. Em especial, nota-se que anões e gnomos são mostrados frequentemente como povos escravizados ou atemorizadas pelo Vingador ou por outros acólitos. Também, não existem clérigos, druidas ou deuses. Os produtores acharam que tais elementos tornariam a série alvo de religiosos. Existe apenas um último remanescente adulto dos dragões dourados no Reino; os dragões dirigem-se ao Cemitério dos Dragões para morrerem. Os unicórnios, em grande parte, vivem em um local secreto chamado Vale dos Unicórnios. Há, ainda, orcs, meio-orcs, fadas e halflings, entre outras raças.

Existem quatro sóis no Reino e pelo menos duas luas. Ao longo da série, é possível observar toda sorte de bioma – de florestas a desertos, apesar de se notar uma quantidade maior deste último tipo.

Não raro, são descobertos portais para outras dimensões, ou surgem criaturas advindas de outros mundos, muito similar ao que ocorre em Planescape, outro cenário de aventuras de D&D. Ao longo do seriado, são encontradas outras pessoas originárias da Terra. Aparentemente, o tempo no Reino corre de maneira diversa ao tempo em nossa realidade.

Violência

O nível de violência da série causou polêmica entre a audiência dos Estados Unidos à época da estreia, e o script de um episódio, O Cemitério dos Dragões, quase foi arquivado devido às conjecturas dos protagonistas em matar sua nêmese, o Vingador. Em 1985, a Coalizão Nacional sobre Violência Televisiva (National Coalition on Television Violence) exigiu que a FTC colocasse um aviso a cada transmissão afirmando que Caverna do Dragão relacionava-se a mortes violentas.

Quer receber as principais notícias do N10 Entretenimento no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo