Foto: Divulgação/Kleber Alepereira

Abordando a morte como tema central, o padre Fábio de Melo está lançando seu novo livro “A hora da essência”, que traz lições de valor neste momento de muitas perdas, e a importância de valorizar a vida antes que seja tarde demais. “Queria sobretudo falar da oportunidade que temos de viver a essência nas mais pequenas coisas”, comentou o autor Fábio de Melo sobre o livro, que conta a história de uma paciente em estado terminal e sua cuidadora.

O autor mergulha em profundas reflexões sobre a morte a partir de um encontro entre uma enfermeira e uma paciente. O novo livro é, na verdade, uma ode à vida. Em A hora da essência, o sacerdote analisa a importância de reconciliar-se com si mesmo e valorizar a vida antes que seja tarde demais.

Morrer requer liturgia. Da verdade. Viver o rito que nos põe diante de nós. Caem as escamas, vedam-se os caminhos, não sobrando mais respiro para as caricaturas que criamos de nós mesmos. Morrer requer coerência. Fazer o caminho de volta, redescobrir o sabor do manancial da verdade, estar em si, inteiramente reconciliado com as escolhas que lhe tornaram quem é. (…) O resultado de quem sacrifica e celebra é a vida na essência. Nada pode ser mais realizador. Não espere a morte para conquistar tão nobre riqueza. (A hora da essência, p. 3 )

A história começa antes mesmo de Sofia conhecer sua companheira de quarto, que espontaneamente, sem mais explicações, decide dedicar parte de suas férias para cuidar da paciente recém-chegada. Internada às pressas, a protagonista se depara com a notícia de que não irá sobreviver ao câncer, diagnosticado inicialmente no pâncreas, mas que acometeu também outros órgãos.

O que tenho é a vida, este tempo verbal enfadonhamente
conjugado pelo meu corpo, fadado ao estreitamento
que me leva a deixar de ser. O que tenho é o doído da solidão.
Saber-se aprisionada em mim. Ninguém a notar o que no interior
do coração se passa. O pensamento sem um espaço para
a partilha. O todo da angústia no estreito do peito. A lágrima
que ninguém vê, o grito que ninguém escuta, a dor que ninguém
percebe. Passado e presente. É com eles que preciso me
ajeitar. O futuro que me espera será tão breve quanto o respiro
que agora realizo. (A hora da essência, p. 38 )

Imagem: Divulgação/Planeta

Após estes momentos iniciais de solidão, já com a presença da enfermeira ao seu lado, Sofia passa a refletir sobre o passado, emergindo boas lembranças, mas também às cicatrizes deixadas por escolhas que hoje percebe equivocadas. Após um casamento de muitos anos terminar, ela passou erroneamente a culpar o único filho, que acabou fugindo de casa.

Por conta da doença inesperada, Sofia então não teve tempo de conseguir informações sobre o paradeiro do filho, aumentando o tormento naquele que seria seu leito de morte. Neste processo, ela toma atitudes para recuperar o que havia deixado para trás e encontrar sua verdadeira essência.

A hora da essência é um lançamento da Editora Planeta, responsável pela publicação dos outros títulos do padre Fábio de Melo. Um dos maiores autores best-sellers do Brasil, o sacerdote se dedica à evangelização também por meio da arte, como escritor, cantor e compositor, e, ainda, como professor universitário.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.