Três títulos mundiais, três Libertadores e Três Campeonatos Brasileiros, um currículo invejável para qualquer um isso é só um pouco da história de Rogerio Ceni com a camisa tricolor. O goleiro artilheiro é para muitos o maior jogador da história do São Paulo. Com todo esse retrospecto ficou difícil para o presidente Leco dizer não ao “Mito”. E com Ricardo Gomes fazendo um trabalho inconsistente em 2016 o nome do ídolo foi aclamado ao posto, porém o time ainda não engrenou.

Esquema revolucionário.

Logo nos primeiros dias o novo treinador impôs o esquema do 3-4-3, o esquema ofensivo deu certo e o time venceu os jogos treino e de quebra ainda foi campeão do torneio da Florida vencendo o arquirrival Corinthians nos pênaltis. Parecia que o ano iria ser de muitos gols e com Sidão fechando o gol, mas…

Problemas no gol.

É até engraçado falar sobre isso, mas desde que Rogerio se aposentou ficou obvio falar que o principal problema do São Paulo está no gol. Nessa temporada o time trouxe Sidão que havia feito um bom campeonato pelo Botafogo-Rj, mas apesar do começo animador o goleiro tomou muitos gols e ainda se machucou. Denis até fez bons jogos porém voltou a falhar a terceira opção Renan Ribeiro também não mostrou segurança. Sendo assim 2017 promete ser um ano e emoções embaixo das traves são-paulinas.

Defesa insegura.

Outro problema que se manteve em 2017 é a defesa tricolor, Rogério tentou 3,2, até 4 zagueiros, mas não tem como dar segurança para a meta tricolor. Lugano não marca nem consulta, Breno não consegue ficar em forma, Lucão ainda está inseguro por conta das vais, Douglas acumula falhas e Lyanco foi vendido para o Torino. Com isso o time ficou com Maicon e Rodrigo Caio como titulares absolutos, mas Maicon mostra muita lentidão e também acumula falhas enquanto Rodrigo se envolveu em uma polemica por conta do lance de Fair Play e teve atuações ruins. Para o restante da temporada o time precisa de jogadores para a posição.

 

Jogadores do meio pra frente rendendo abaixo.

 

Cicero, Wellington Nem, Luiz Araújo, Chavez, eram as principais armas do tricolor para fazerem uma equipe forte e completar o ataque com Cueve e Pratto, mas Cicero oscilou muito, Nem não foi “Nem” de longe o jogador do Fluminense e Luiz Araújo caiu muito de rendimento, enquanto Chavez esse ai foi mal em todas as oportunidades. Se não bastasse essa inoperância desses atletas Cueva ficou mais de um mês fora por lesão, e Pratto foi convocado para a seleção, o que maquiou essa dificuldade foi Gilberto o atacante que foi mal no ano passado fez muitos gols e foi aprovado pela torcida em 2017, ele pode ser a motivação para os jogadores citados acima darem a volta por cima no Brasileirão. Além disso o São Paulo trouxe Marcinho e Moratto, esse estreou muito bem contra o Cruzeiro e também pode ser a solução.

Pobreza de jogadas e eliminações.

 

Rogerio, trouxe dois auxiliares internacionais, um da França e um da Inglaterra, porém o time ainda sofre muitos gols e no ataque abusa das jogadas áreas, contra o Corinthians foram 46 cruzamentos e o time não acertou nenhum, sendo assim se esperava mais do time que sofreu muito no primeiro semestre por não ter repetido o time. Mas se esperava um repertorio maior de jogadas e menos gols sofridos. Sendo assim cabe ao treinador aproveitar um mês de treino que o São Paulo terá para arrumar os erros e se transformar em um time de verdade.

 

 

 

 

 

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.