Destaques, Viral

Condom Challenge: o perigoso “desafio do preservativo” está de volta!

Parece ridículo demais para ser verdade, mas infelizmente inalar preservativos é a atual modinha viral que prevalece na Internet. O besteirol consiste em colocar um preservativo nas narinas e aspirá-lo até que ele possa sair pela boca. Começou como uma piada, mas infelizmente se expandiu através das redes sociais e se tornou uma tendência entre o público adolescente.

Ao contrário do que acontece em outros desafios virais, o Condom Challenge [ou desafio do preservativo] é extremamente perigoso para a saúde. O preservativo pode ficar preso nas vias aéreas e causar problemas pulmonares ou até mesmo a morte por asfixia.

De acordo com a FOX, o desafio não é novo (pode ter começado em 2013), mas continua preocupando as autoridades norte-americanas ao ponto de algumas escolas dos EUA falarem dele em “aulas” especiais para pais sobre estes desafios na Internet.

Os perigos do desafio do preservativo

Além de ficar sufocado, que é, sem dúvida, um dos principais riscos do desafio, outros possíveis danos também são alarmantes. Segundo a Dra. Wendie Williams, do Colony ER Hospital, no Texas, as membranas das vias aéreas podem ser infectadas pelo contato com lubrificantes de látex e preservativos.

Além disso, os lubrificantes de preservativos que não estão preparados para o sexo oral podem causar intoxicações graves quando ingeridos. Existe também o perigo de o preservativo ficar preso na área do pulmão, o que causaria uma infecção grave que pode eventualmente colapsar o pulmão onde ele está alojado.

Tentando reduzir o número de jovens em busca de audiência, o YouTube tentou excluir vídeos relacionados ao Desafio do Preservativo para evitar que a tendência se espalhe ainda mais. Porém, de nada adiantou, pois vários usuários continuam upando os vídeos e enviado através de grupos do WhatsApp.

Read More...

Destaques, Viral

A verdade por trás do vídeo que exibe um “rato tomando banho”

Se nos últimos dias você gastou alguns minutos no Facebook ou até mesmo no WhatsApp, certamente achou o curioso e estranho vídeo onde um rato “toma banho como os humanos”.

Este vídeo confundiu muitos internautas porque … Bem, o que um rato faz quando se banha? Além disso, é um rato muito estranho, não é? Seu corpo não parece com o desses roedores e até mesmo seus movimentos são diferentes.

Isso ocorre porque, na realidade, este animal não é um rato, mas um pacarana ou paca: um roedor nativo da América do Sul.

Em uma entrevista com a Newsweek, o biólogo evolutivo Dallas Krentzel, confirmou a verdadeira identidade desse “rato”. A chave é o tamanho grande, a cabeça alongada e a ausência de cauda. Mas ele também apontou o perigo que este peludo poderia ter em um vídeo que, aparentemente, é inocente e divertido.

É claro que um animal selvagem não sabe o que é tomar como humanos. Portanto, é provável que alguém tenha ensaboado a pacarana, para simular uma cena de banho. O que vemos no vídeo não é um animal que está se banhando, é um ser que está tentando remover algo estranho que cobre seu corpo.

Krentezel, que investiga roedores na Universidade de Chicago, disse que esse hábito de higiene não é natural nessa espécie, então esse ato viola a segurança da pacarana e pode até ser considerado desumano.

Pacaranas são animais terrestres que gostam de escalar e podem ser noturnos ou diurnos. Eles se alimentam de plantas e em cativeiro conseguem viver mais de 10 anos. Conforme observado na Enciclopédia Britânica, pouco se sabe sobre este roedor que vive em florestas tropicais.

Na próxima vez que um vídeo ou fotografia de um animal captar nossa atenção fazendo algo estranho, pode ser conveniente para nós pararmos e analisarmos a situação antes de compartilhá-la com nossos amigos. Pois a verdade por trás do vídeo pode não ser tão engraçada.

Read More...

Viral

Meteorito cai perto de Detroit, nos EUA, e provoca terremoto

Um meteorito caiu perto da cidade de Detroit, nos Estados Unidos, provocando um pequeno tremor de intensidade 2 na escala Richter. O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) confirmou a queda, que ocorreu nesta terça-feira (16).

O tremor ocorreu por volta das 20h09 no horário local, e pôde ser ”visto e ouvido” em uma área próxima da cidade. Várias pessoas gravaram e compartilharam em suas redes sociais o fenômeno ocorrido, com uma chama de luz seguida supostamente de uma pequena explosão.

O meteorito pode ser visto também em Ohio (EUA) e Ontário, no Canadá, segundo agências meteorológicas do local. A localização, de onde aproximadamente ocorreu a queda foi a oito quilômetros de New Haven, que tem 4,6 mil habitantes e fica nos arredores de Detroit, e também perto do lago St. Clair, fronteira com o Canadá.

O Serviço Meteorológico Nacional (NWS), afirmou logo após a circulação dos vídeos, que a luz vista por todos não se tratava de simples raios, ou apenas um trovão. E sim que se tratava de um meteoro. Por enquanto não há registro de vítimas.

Com informações da Agência ANSA*

Read More...

Destaques, Viral

Um tubarão de 512 anos? A notícia que não é inteiramente verdade

Um tubarão da Groelândia, também chamado de tubarão do norte e encontrado nas águas do Atlântico, foi a pauta de vários meios de comunicação que se apressaram em comunicar uma suposta grande descoberta do mundo da ciência: o animal foi divulgado como tendo pelo menos 512 anos.

O próprio tubarão em questão tem vários séculos de idade, mas, em primeiro lugar, o estudo citado pela mídia nesses últimos dias não é nada novo: foi publicado na revista Science em agosto de 2016. Em segundo lugar, os cientistas que participaram dessa investigação e que analisaram a possível idade de 28 fêmeas de tubarões boreais nunca chegaram a conclusão de que elas ultrapassaram os 500 anos.

Em relação ao seu tamanho, o maior animal entre eles (502 centímetros) poderia ter 512 anos, mas os pesquisadores, presos à verdade científica, limitaram-se a dizer que sua idade poderia variar entre 272 e 512 anos e, finalmente, eles estimaram isso em 392 anos.

O investigador principal do estudo, Julius Nielsen, confirmou ao portal LiveScience que os tubarões examinados tinham pelo menos 272 anos e que sua idade máxima poderia ser de 512 anos, embora o valor mais provável fosse 390. Dada a imprecisão, ele ressaltou que há um certo grau de insegurança em relação a essas estimativas.

“Mas, mesmo com o limite inferior desta faixa etária – pelo menos 272 anos – os tubarões da Groelândia tornam-se os vertebrados mais velhos, vivos e conhecidos pela ciência”, disse o biólogo marinho dinamarquês.

In exactly 1 hr and 7 minutes a satellite tag will pop-off from this Greenland shark female, it will float to the surface and establish contact with an Argos satellite. It will then transmit information on position as well as occupied temperatures the past 3 months. By tomorrow morning I will hopefully have the data which just can make it into my PhD before ending in four weeks. All of this (except handing in PhD in four weeks) will however only happen IF 1) the shark is not under sea ice (which would inhibit satellite transmission), 2) the sea is not too rough where the shark is which could lead to that the tag cap can’t be exposed properly in the air or 3) that the shark has not been deeper than 2,000 m which would have crushed the tag and destroyd it…. it also requires that there is no annoying animal eating the tag before we get the data which happened to us on a previous deployment. FINGERS CROSSED🤞🏻#greenlandsharkproject Photo credit: Takuji Noda 📸

Uma publicação compartilhada por Julius Nielsen (@juniel85) em

Read More...