Negócios

Seis dicas para abrir uma franquia de sucesso

Muitos brasileiros sonham em ter a sua própria empresa e enxergam nas franquias a chance de investir numa marca já consolidada no mercado. Em tempos de crise com inflação, taxas de juros e dólar altos, além da diminuição de crédito, empreender está cada dia mais difícil e o empresário precisa estar preparado para os possíveis desafios e obstáculos ao longo do caminho. Rogério Gabriel, presidente e fundador do Grupo Prepara, uma das maiores redes de franquias educacionais do país, dá algumas dicas para esse tipo de empreendimento ser rentável e de sucesso. Confira!

1) INVISTA EM REDES CONSOLIDADAS: escolha marcas que são referencias no segmento desejado dão maiores garantias de retorno;

2) PARTICIPE DOS TREINAMENTOS: Uma das grandes vantagens de se investir em franquias é contar com toda a infraestrutura oferecida, como os treinamentos que proporcionam noções administrativas eficientes orientam na diminuição de custos, a prospectar, etc.

3) CONHEÇA O MERCADO: A chave para o sucesso pode estar em trabalhar em mercados conhecidos. Se você tem maior afinidade com algum setor, como educação, por exemplo, considere franquias da área. Mas lembre-se: o crescimento vem de muito suor, trabalho e resiliência.

4) GENTE BOA É TUDO: A consolidação da empresa não depende apenas da marca ou do dono do estabelecimento, mas, também, da formação de uma boa equipe com profissionais qualificados para desempenhar a função. Por isso, escolha bons colaboradores e invista no desenvolvimento dos funcionários;

5) VISITE OUTRAS UNIDADES: Conheça as instalações de outras lojas da rede. Converse com o franqueado. Além de voltar com novidades, você conseguirá enxergar as falhas e os acertos na administração;

6) ESTEJA DISPOSTO A TRABALHAR MUITO: Para ter seu próprio negócio é preciso ter muita dedicação e disciplina. A vitória depende do seu esforço. Não é porque se tornou “patrão” que o trabalho será menor, ao contrário, pois até a sua loja se consolidar, o expediente é longo e intenso.

Read More...

Negócios

Para ganhar força no Brasil, aplicativo Fyuse busca parceiros

Embora o Brasil já figure em segundo na lista de países que mais baixaram o aplicativo e rede social Fyuse, a empresa californiana quer muito mais. A ideia é estreitar laços com grandes marcas e eventos no país, para que o público conheça a tecnologia que vem caindo no gosto de usuários em todo o mundo.

Com o diferencial de oferecer uma experiência única ao usuário, proporcionando gerar fotografias imersivas – em até 360 graus –, o app ganhou fama após especialistas sobre o universo digital o qualificarem como um concorrente a altura do já consagrado Instagram.

Para Cecilia Bissoli, gerente de marketing da Fyusion Inc., dona do aplicativo, o Brasil apresenta um enorme potencial para que a rede expanda. “O brasileiro é certamente um dos mais aficionados por redes sociais e fotografias. Nossa tecnologia oferece algo nunca visto e, caso a massa passe a utilizar no dia-a-dia, a tendência é que isso cresça de forma orgânica, como ocorreu com todas as outras novidades anteriores”, avalia.

Ações de marketing

Cecilia revela que já iniciou conversas com diversas agências produtoras de eventos pelo Brasil e também já mantém negociação com marcas, artistas e celebridades. “Estamos em busca de influenciadores que possam impactar positivamente na imagem do Fyuse”, conta.

A ideia da marca é estar presente com ativações em que estejam presentes potenciais usuários. A grande meta do ano no Brasil é poder gerar um buzz durante os Jogos Olímpicos do Rio, que acontecem em agosto. Para isso, Cecilia está aberta a propostas de interessados em uma eventual aliança.

Com sede em São Francisco, a Fyusion Inc. criou soluções que geram imagens profundamente envolventes, que fundem as características de uma foto tradicional, uma panorâmica, a captura de movimento, e o 3D, para criar uma experiência de fotografia mais completa e cativante. Formada por uma equipe de especialistas em visão computacional, robótica e Machine Learning, a Fyusion lançou seu primeiro aplicativo comercial, o Fyuse, para os sistemas iOS e Android. A empresa é financiada pela University of Tokyo Edge Capital (UTEC), pela New Enterprise Associates (NEA), bem como por investidores anjo, entre eles o cofundador da Sun Microsystems Andreas Bechtolsheim, Lior Susan da Lab IX/Flextronics e James Joaquin, o ex-executivo-chefe da Ofoto.

Read More...

Negócios

Cinco dicas para impedir que a crise atinja seu negócio

Atualmente um dos assuntos mais discutidos é sobre a retração econômica que o Brasil vem enfrentando nos últimos meses. Período de demissões em massa e fechamento de muitos negócios são dois pontos que assustam os brasileiros. Abrir uma empresa e se manter no mercado atual é um grande desafio. Dados da Neoway em parceria com a GS&Inteligência – GS&MD, apontam que em 2015, a taxa de mortalidade de empreendimentos quase triplicou em relação à de 2014, chegando a 9,26%.

Ainda segundo a pesquisa, mesmo com este momento de retração, ainda surgem mais empresas do que encerram, com a taxa de natalidade batendo os 12%.

“Estamos com a crise instalada no Brasil o que torna um cenário desafiador, porém não é impossível empreender e ter sucesso nesta jornada”, comenta Ricardo Marcondes, gerente de expansão da rede Tip Top.

A Tip Top com 64 anos no mercado, investiu no mercado de franquias em 2008 e hoje conta com 106 lojas espalhadas por todo o Brasil. Sendo referência no mercado de vestuário infantil, Marcondes dá cinco dicas para prosperar com seu negócio e ter sucesso neste momento de instabilidade sem ser afetado. Confira:

1. Intensifique os treinamentos

Focar em treinamento é essencial para desenvolver a equipe e manter a empresa alinhada. “Nós, da Tip Top, estamos focando em treinamentos constantes com as equipes de vendas. É um benefício para a marca, onde otimiza o trabalho e aumenta a produtividade, além dos resultados”.

2. Fidelize os clientes

Fidelizar os consumidores é muito mais vantajoso do que muitos imaginam. Um bom atendimento sempre é encarado como um diferencial. Ter uma atenção especial com envio de lembretes e newsletters também são exemplos de como mostrar um cuidado da marca com seu cliente, além de programas de descontos especiais para estes consumidores fieis.

3. Crie ações de ponto de venda

“Mimar” o cliente também é uma forma de fidelizar além de atrair novos consumidores. Então crie ações nas lojas, por exemplo, com brindes em datas especiais ou benefícios quando atingem um determinado valor de compra. Produtos promocionais sempre são uma ótima saída para chamar a atenção do consumidor para melhorar as vendas e resultados.

4. Reforce o marketing da sua empresa

Trabalhe divulgações em mídias e nos pontos de vendas. Esteja presente no dia a dia do seu cliente. As redes sociais também são um caminho para reforçar o marketing da marca e estar presente na vida dos consumidores de uma forma leve, tirando dúvidas, sugerindo assuntos e oferecendo uma interatividade maior com a empresa.

5. Reforce o apoio a equipe

Apoiar e estar mais presente com a equipe nas lojas, com os franqueados, por exemplo, acompanhar os resultados e as melhorias necessárias. Veja sua equipe como parceiros. Estar presente no dia a dia da operação, contribui no processo como um todo e no sucesso do negócio.

Read More...

Negócios

Professor do Vale do Silício prevê o desenvolvimento dos alimentos artificiais

As próximas décadas apresentarão mudanças radicais para a indústria alimentícia com o desenvolvimento dos alimentos artificiais, produzidos de forma muito mais rápida e barata. A previsão é do professor do Vale do Silíco José Luis Cordeiro, fundador e docente da Universidade da Singularidade da Nasa, que atualizou o público sobre os estudos científicos mais inovadores do mundo durante a palestra “O Futuro do futuro: As promissoras perspectivas para a raça humana”, realizada na 32ª edição da APAS 2016 – Feira e Congresso de Gestão Internacional, evento promovido pela Associação Paulista de Supermercados (APAS).

Pautado pelos avanços tecnológicos dos últimos anos e pelos investimentos globais no desenvolvimento de novas tecnologias para as áreas de medicina, alimentação e comunicação, Cordeiro afirma que nos próximos 20 anos a humanidade irá vivenciar mais mudanças do que as vistas ao longo dos últimos dois mil anos. “A tecnologia avança exponencialmente e, em três décadas, teremos desenvolvido aparelhos mais complexos do que o cérebro humano”, afirma o professor. Para ele, a tecnologia do futuro parece magia aos olhos do presente. “A ficção hoje é a realidade de amanhã.”

Para o professor, mudanças substanciais na indústria em geral, como na alimentícia com a criação e popularização dos alimentos artificiais, vão contribuir para uma produção mais ecológica e humana, além de gerar economia de tempo e custo. Para o agronegócio como o conhecemos hoje, essa perspectiva não é positiva. “A carne artificial deve, em 10 anos, acabar com o agronegócio brasileiro”, afirma Cordeiro. Além disso, ele prevê grandes transformações no mundo do trabalho. Segundo ele, “o trabalho também irá se transformar radicalmente, uma vez que não há futuro para o trabalho tradicional. Estes serão mais criativos e divertidos”.

Hoje já vemos exemplos disso no mercado atual, ao qual houve uma transferência de valor do processo de manufatura para o que ele denomina como mentefatura, em que os produtos possuem um valor agregado pelas ideias.

Read More...

Negócios

Mudança de hábito dos brasileiros impulsiona redes de corte e costura

O atual cenário de incerteza econômica no Brasil tem sido bastante perceptível para diversos setores, principalmente, no caso da população que tem se reinventado com relação aos hábitos de consumo e comportamento. Diante desse panorama, muitos brasileiros se viram obrigados a diminuir o volume das compras e reaproveitar o que já tem em casa, uma opção bastante viável para conter custos, fato que tem beneficiado empresas de alguns segmentos.

A primeira rede do franchising a oferecer cursos profissionalizantes no segmento de confecção e moda, a Sigbol Fashion tem observado um importante movimento do mercado que tem impulsionado a procura pela formação em moda, especialmente nos cursos voltados à área de confecção, entre eles o de corte e costura, trazendo à tona novamente a profissão de costureira, uma das mais antigas e tradicionais, uma vez que algumas pessoas estão enxergando a oportunidade de investir no próprio negócio e até mesmo complementar renda com o crescimento na procura por consertos, customizações e roupas de pequenas confecções. O que antes era uma questão de consumo consciente e sustentável, hoje é impulsionado pelo fator econômico, movimentando ainda mais os negócios.

No primeiro bimestre de 2016, a rede já registra um crescimento de 26% no número de matrículas, em relação ao mesmo período de 2015,em seus cursos voltados para o segmento de confecção e moda, com destaque para o curso de corte e costura sob medida ou industrial. Segundo o diretor da rede de franquias, Aluizio de Freitas, o setor de moda, por ser bastante promissor e amplo em seu campo de atuação, desperta cada vez mais o interesse dos jovens. “Esse público enxerga a moda como uma oportunidade de carreira. A valorização do estilo pessoal e a possibilidade de atuar em um mercado que permite a confecção de peças para se diferenciar da massa. Além disso, esses alunos enxergam a chance de ganhar dinheiro não apenas com a confecção de roupas, mas também com os pequenos reparos e customizações, que estão ganhando cada vez mais força em função do cenário de crise”, afirma o empresário.

Embora a franquia registre alunos das mais diversas idades matriculados em suas unidades, a faixa etária de maior destaque está entre os 19 e 45 anos, que representam 66% dos alunos. O aumento nesta procura também está relacionado à procura por formas de economizar em casa, além da geração de renda, para isso, as pessoas estão apostando na profissionalização para atender a demanda do mercado e também como possibilidade de confeccionar as próprias roupas e da família.

Como é o caso da aluna Fernanda Trentin, de 23 anos, que é estilista e está sempre em busca de novas formações na escola, com o intuito de se profissionalizar ainda mais e desenvolver seus trabalhos no segmento de corte e costura. Além de confeccionar suas próprias roupas, gerando economia, ela ainda trabalha por conta própria e está investindo em diversos segmentos de moda, como o voltado para os pets. “Já trabalhava customizando camisetas e calças, e assim que os meus clientes souberam do curso que estou fazendo eles se empolgaram em comprar também para seus animaizinhos. Já estou recebendo muitas encomendas e vejo um futuro promissor nesse nicho. Hoje em dia consigo faturar 50% a mais com as customizações pet”, garante a jovem.

Para 2016, a Sigbol Fashion estima um crescimento de 35% no número de matrículas nos cursos oferecidos pela rede e espera ampliar seu faturamento em 20%. Ao longo dos 47 anos de existência a empresa já formou mais de 100 mil anos, sendo 70% deles pessoas interessadas na formação com foco em objetivos profissionais. Além disso, a companhia pretende inaugurar 10 novas unidades em todo o Brasil, com destaque para as regiões do interior de São Paulo e os estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Hoje, a rede de franquias conta com 19 unidades e obteve faturamento de R$ 8 milhões em 2015.

Read More...