Dicas

Pesquisa revelou que a área de engenharia apresenta os melhores salários de 2018

Um levantamento feito pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) apontou que a área de Engenharia e Sistema da Informação registram as remunerações mais altas até agora em 2018. No ranking do Caged, o curso que se encontra em primeiro lugar é o de Engenharia Mecânica, cujo o salário médio é de aproximadamente R$ 10 mil. O curso de Sistema da Informação se encontra em segundo lugar e apresenta um salário médio de R$ 8 mil.

O curso de Engenharia Civil também aparece na lista do Caged e o salário médio dessa área está em torno de R$ 7 mil. Isabelle Ferreira Franco, de 17 anos, está no segundo semestre desse curso e, apesar da pouca idade, diz que tomou essa decisão com muita segurança. “Sempre tive aptidão para matérias de exatas durante a minha vida escolar e também sempre me interessei pela a engenharia”, conta. Isabelle admite que a remuneração também serviu como parâmetro para a sua escolha. “Não adianta gostar tanto de uma área e saber que, no futuro, você não será bem remunerado. Como também, não podemos escolher uma área que não temos afinidade. Tudo isso precisa ser colocado em uma balança na hora da escolha”, considerou a estudante.

A pesquisa realizada pelo IBGE também revelou que o salário é proporcional ao tempo gasto com os estudos. O levantamento descobriu que aqueles com 12 anos ou mais de estudo, ganhavam, em média, R$ 27 por hora. Portanto, quem tinha até quatro anos de estudo ganhava, em média, apenas R$ 7. Camila Queiroz, trabalha na área de Ciências Contábeis, profissão que aparece na lista do Caged, mas garante que também não pensou na remuneração ao escolher o seu curso superior. “Hoje em dia, eu gosto muito da área e não me arrependo dessa escolha. Mas o que mais pesou na hora da minha decisão, foi o fato do meu pai já ter uma empresa. Então, eu pensei em fazer um curso, em que eu pudesse ajudá-lo e deu super certo”, contou animada.

Confira seis profissões que apresentam os melhores salários de acordo com o levantamento do Caged:

  1. Engenharia elétrica – R$ 8.140,39
  2. Geologia – R$ 7.345,90
  3. Agronomia – R$ 6.874,74
  4. Física – R$ 6.378,60
  5. Publicidade e Propaganda – 6.063, 96
  6. Direito – 5.284,30

Read More...

Destaques, Dicas

Como investir na bolsa de valores e construir uma poupança com ações?

Investir na bolsa de valores não é algo complicado e muito menos exclusivo para ricos. Com informação confiável e orientação profissional, fica fácil comprar e vender ações, além de ser uma forma de se construir poupança e um patrimônio futuro.

A Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) sugere que os iniciantes “sempre conversem com uma corretora” e “aprendam ao máximo sobre as empresas”. Pensando nisso e até mesmo com forma de ajudá-los, o Portal N10 reuniu algumas dicas para quem pensa em se tornar um investidor no mercado acionário.

Segundo a BM&FBovespa (bolsa brasileira), há pela menos seis vantagens em comprar ações:

  • Não é preciso muito dinheiro para começar;
  • Você recebe dividendos periodicamente;
  • Potencial de boa rentabilidade no longo prazo;
  • É possível comprar e vender as ações no momento que quiser;
  • É possível alugar suas ações e ganhar um dinheiro extra;
  • O imposto de renda é cobrado só na retirada do investimento e se o resgate foi maior que R$ 20 mil.

É importante contar com uma corretora porque elas têm especialistas que acompanham e analisam o mercado financeiro e o desempenho das empresas. Entre os trabalhos feitos por uma corretora está sugerir a compra ou a venda de uma ação, em que quantidade e em qual momento.

Antes de investir seu dinheiro, no entanto, é preciso entender que esse investimento tem alguns custos. Existe uma taxa de corretagem, cujo valor depende da corretora: esse valor pode ser uma porcentagem da operação ou um valor fixo. Além disso, é preciso pagar uma taxa de custódia, que é um valor mensal cobrado pela BM&FBovespa pela guarda das ações. Essa taxa varia entre as corretoras e, em alguns casos, pode ser gratuita.

Imposto de renda e ações

O investidor de ações, além das taxas, precisa pagar imposto de renda, cuja taxa é de 15% sobre a rentabilidade obtida com as ações. Essa percentagem, no entanto, só é cobrada caso o investidor resgate mais de R$ 20 mil; se o saque for menor que isso, a aplicação está isenta. A corretora pode dar orientações mais detalhadas sobre a melhor forma como fazer aplicações e retiradas.

Formas de investir em ações

O investidor tem ainda quatro formas de investir na bolsa. Você pode fazer a compra direta de ações, com ordens transmitidas via internet ou pelo telefone. Há também a possibilidade de aplicar em Fundos de índices ETFs. Esse tipo de investimento tenta alcançar alguns índices do mercado financeiro e permite aplicações inferiores a R$ 200.

A terceira opção é entrar em um clube de investimentos, que é um grupo de pessoas que se reúne para aplicar o dinheiro em ações. A vantagem é que os ganhos, as perdas e as taxas são divididas entre todos os integrantes. A quarta opção é aplicar em um fundo de ação, que é administrado por uma corretora ou banco. Nesse caso, o cliente não precisa fazer qualquer negociação, o fundo aplica o dinheiro e oferece uma rentabilidade.

Investir em ações é uma forma de se construir poupança e um patrimônio. No Brasil, essa prática tem se tornado cada vez mais comum e as aplicações, somadas, chegaram à casa do trilhão de reais. Apenas os investidores de São Paulo têm aplicado R$ 89,61 bilhões em ações.

Read More...

Dicas

Dia dos Namorados: como presentear sem se endividar?

O dia 12 de Junho está chegando e, como em todos os anos, a “corrida” para comprar aquele presente especial no Dia dos Namorados já começou. Mas como alinhar o desejo de presentear e demonstrar sentimentos com um orçamento apertado? De acordo com o presidente da DSOP Educação Financeira, Reinaldo Domingos, é possível agradar sem comprometer as finanças.

“É um engano pensar que o presente deve representar o sentimento; o amor é imensurável. Gestos simples e criativos, muitas vezes, valem mais do que qualquer coisa, portante equilibre a vontade de agradar com seu orçamento atual. Na hora das compras, faça pesquisas em pelo menos três lojas diferentes e fuja de parcelamentos, compre com consciência”, orienta Domingos.

Se o desejo for ir a restaurantes, presentear e até mesmo viajar, além de romantismo, é preciso ter um preparo financeiro. Confira abaixo orientações para aproveitar a ocasião sem entrar em dívidas:

Realize sonhos

Se o desejo é realizar um sonho, como fazer uma viagem, trocar de celular ou mesmo de carro, é imprescindível traçar um planejamento antecipado, com orçamento e poupança.

Caso não tenha feito e seja preciso se endividar para realizar este sonho, prefira se planejar para surpreender no próximo ano com segurança financeira, fazendo agora algo mais simples. Afinal, a data se repete todos os anos e é preciso combater o hábito de acumular dívidas.

Pesquise preços

As lojas oferecem diversas opções, com grande variação de preços, portanto este é o momento para, ao invés de comprar de forma rápida e imediata, fazer pesquisas em pelo menos três lojas diferentes.

Se os valores estiverem melhor nas lojas online, confira se ainda dá para comprar e receber a encomenda em tempo hábil.

Seja criativo

surpresa dia dos namorados

Foto: Pixabay

Que tal cozinhar um prato especial em casa e assistir a um filme ou ouvir uma boa música? O que mais vale nesta data é o sentimento, portanto a criatividade é bem-vinda e ajuda a manter o equilíbrio financeiro.

Diversas são as opções de presentes do tipo faça você mesmo, como colagens de fotos, poesias e até mesmo escrever uma carta a mão. Para os mais despojados, que tal fazer uma declaração de amor por vídeo?

Se antecipe

Como neste ano o Dia dos Namorados cai em uma terça-feira, muitos casais atrasam as comemorações para o final de semana. Então se for a restaurantes, é válido fazer reservas com antecedência e se preparar para pegar filas eventualmente.

Invista em vocês

Caso o casal tenha dificuldade em planejar, cortar gastos e guardar dinheiro para conquistar seus sonhos, são indicados presentes relacionados a educação financeira. Livros e até mesmo cursos em casal sobre o tema podem ser o primeiro passo para conquistarem mudanças juntos.

Teste para casais: Vocês realizarão muitos sonhos a dois?

Baixe aqui o e-book de Dia dos Namorados e façam juntos o teste elaborado pela DSOP Educação Financeira para saber se vocês têm potencial para realizar muitos sonhos.

Read More...

Dicas, Empregos e Estágios

Trabalho freelancer ganha mais espaço no mercado de trabalho

O trabalho freelancer tem caído na graça de muita gente por oferecer várias vantagens. Porém, mesmo tendo conhecimento dessa informação, várias pessoas param e se questionam: o que realmente é um freelancer? Nada mais do que um termo utilizado para identificar profissionais que trabalham de forma independente, que geralmente atua nas áreas de Comunicação e Tecnologia da Informação. São profissionais que exercem a profissão sem vínculo empregatício e as garantias asseguradas pela carteira assinada.

Entre as vantagens é possível escolher o local e horário de trabalho, ter mais opções de conciliar com a rotina pessoal. Por isso, vem ganhando cada vez mais espaço e se tornando mais popular atualmente. Muitas vezes, o freela é visto como uma fonte de renda extra para tentar chegar mais tranquilo ao final do mês.

A Designer de Interiores Caliandra Menezes decidiu ir por esse caminho por conta própria. Ao perceber, desde a graduação, as dificuldades até para estagiar, escolheu ser freelancer e se adaptou bem à modalidade. “Decidi fazer alguns serviços por conta própria e, com o tempo, fui percebendo que isso era bom. Eu ia ter uma liberdade maior”, avalia.

Caliandra ainda lista outros pontos positivos na área, como flexibilidade para fazer seu próprio horário, autonomia para definir seu ritmo de trabalho, métodos e padrões de entrega para o cliente. Mas também existem desvantagens. “É difícil bancar tudo, não ter um valor fixo ao final do mês na conta. Afinal, em alguns momentos, você tem muitos serviços e ganha muito, já em outros meses não tem quase nada e, consequentemente, fatura pouco”, conta.

Essa é uma preocupação comum entre os profissionais que atuam com freelancer. Dados de uma pesquisa do site trampos.co revelaram que 57% dos brasileiros que atuam dessa forma sentem falta de renda fixa e benefícios assegurados pelas leis trabalhistas. Para 68% dos pesquisados, conseguir clientes é uma grande preocupação. Por outro lado, 35% afirmaram que a flexibilidade gera motivação para a rotina. Um dado curioso: apenas 1% disse ter saudades de ter um chefe.

Bem adaptada ao modelo de trabalho, Caliandra dá dicas para quem quer começar a faturar por conta própria. “É bom, antes de tudo, ter visão de empreendedor. Não encarar como opção, mas sim como escolha. Além de se organizar financeiramente, é preciso guardar um valor para épocas de escassez e fazer um plano de negócios”, recomenda.

Para os freelancers de plantão ou para quem pretende e tem um sonho de trabalhar para si mesmo, vai aí outra dica: é preciso ter boa comunicação, organização e manter os estudos em dia. Atualização é palavra de ordem para quem atua profissionalmente, seja com carteira assinada ou com freela.

É possível investir em especializações economizando dinheiro. Existem programas, como o Educa Mais Brasil, que oferece bolsas de estudo com descontos de até 70%, inclusive para cursos de Pós-Graduação e outros Cursos. O Portal N10 é parceiro e está com as inscrições abertas no http://www.educamaisbrasil.com.br/portaln10

Read More...

Destaques, Dicas

Confira 5 formas de pagar menos no Imposto Renda

Na reta final para a declaração do Imposto de Renda, que vai até a segunda-feira, 30 de abril, ainda tem muita gente que não organizou a papelada necessária para apresentar ao sistema da Receita Federal. O que poucos sabem é que o fisco permite a dedução de muitos gastos, permitindo ao contribuinte pagar menos impostos ou ainda aumentar o valor da restituição.

“São diversas as maneiras de conseguir abatimentos no imposto de renda, mas a declaração precisará ser feita no modelo completo”, alerta Daniel Carvalho, contador e diretor da Rui Cadete Consultores e Auditores Associados. Abaixo, o especialista lista algumas das formas de diminuir a parcela que vai para a boca do leão.

Inclusão de idosos

É possível deduzir impostos com a inclusão no Imposto de Renda, mas a categoria exige cuidados. Podem ser incluídos como dependentes na declaração do Imposto de Renda pais, sogros, avós e bisavós que tenham recebido rendimentos – tributáveis ou não – de até R$ 22.847,76 em 2017 cada um. O declarante pode deduzir até R$ 2.275,09 por dependente.

No entanto, é bom ficar atento, pois o contribuinte deve informar os rendimentos de cada dependente, o que pode aumentar a base de cálculo e elevar o imposto a pagar ou diminuir o valor da restituição. Quanto mais gastos por dependente o contribuinte puder deduzir, maior a chance de aumentar o valor da restituição, alerta Daniel.

Doações

Já pensou em destinar parte dos seus impostos para projetos sociais? Doações podem ser deduzidas até o percentual de 3% sobre o Imposto de Renda devido. Mas é preciso ficar atento, pois a dedução está sujeita ao limite global de 6% do imposto sobre a renda devida apurado na declaração, juntamente com as demais deduções de incentivo no decorrer do ano-calendário, daí a importância de um profissional especializado que administre a declaração.

Educação

Quem tem filhos, já sabe: o pagamento de matrícula e mensalidades escolares permite abatimento no imposto até o limite de R$ 3.561,50. O benefício é válido para ensino infantil, fundamental e médio. O que poucos sabem é que o mesmo é válido para cursos de graduação e pós-graduação, como especializações, mestrados e doutorados.

Saúde

Sem limites para abatimento, gastos médicos, tais como consultas, exames, cirurgias e internações, também podem ser deduzidos. O mesmo acontece com o gasto com plano de saúde, dentista e procedimentos dentários, tratamentos psicológicos, gastos médicos em outros países, fisioterapia e a compra de próteses e cadeiras de rodas. Vale consultar o seu contador para saber quais as condições para cada abatimento.

Reforma de imóveis

Ao reformar e fazer melhorias no imóvel antes de vendê-lo, ocorre uma incorporação ao bem e o contribuinte consegue atualizar o imóvel na declaração e, assim, o lucro demonstrado será menor, o que permite pagar menos Imposto de Renda sobre ele. “Por isso, quem reforma deve guardar todos os comprovantes de gastos, materiais e de mão de obra”, alerta Daniel.

Read More...