Destaques, Dicas, Economia

Cinco dicas para aproveitar saque do FGTS e negociar dívidas

A Caixa Econômica Federal começa a liberar nesta sexta-feira (dia 13 de setembro) o saque emergencial de R$ 500 das contas ativas e inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), aos trabalhadores que têm poupança na instituição. A liberação dessa quantia está prevista na Medida Provisória do governo federal que alterou as modalidades de saque do benefício, num esforço de injetar dinheiro na economia brasileira. Para especialistas, muitos beneficiados deverão utilizar esse dinheiro para o pagamento de dívidas e, assim, sair da situação de inadimplência.

“Muitos devedores vão aproveitar essa oportunidade ou para quitar totalmente o valor devido ou negociar para pagar parcialmente esse montante. Essa preocupação aumenta ainda mais com a proximidade do Natal, pois muitos querem estar com a situação regularizada para ir às compras”, avalia José Moniz, head de Negócios Digitais do Serviço de Cobrança Digital Negocia Fácil. Em meio a esse contexto, ele alerta para os consumidores tomarem cuidado e, dessa forma, não caírem na reincidência da inadimplência.

A análise é feita com base na pesquisa que traçou o comportamento dos brasileiros em situação de inadimplência, divulgada recentemente. O levantamento foi feito pelo Instituto Locomotiva em parceria com o Negocia Fácil. De acordo com esse estudo, 77% dos consumidores têm algum compromisso em atraso. Desse universo, 60% já haviam se endividado antes e é reincidente. Além disso, 50% dos inadimplentes contam com dívidas de até R$ 4 mil.

servidores rn
Foto: USP Imagens

A liberação faz parte de um cronograma completo, organizado pelo governo. Inicialmente, a medida se inicia com as pessoas com conta poupança na Caixa que nasceram entre os meses de janeiro a abril. A partir do dia 27 de setembro, será a vez dos trabalhadores com aniversário entre maio e agosto. Para os aniversariantes de setembro a novembro, o saque estará liberado a partir de 9 de agosto.

Já para os trabalhadores com poupança em outros bancos, o cronograma será a partir de 18 de outubro aos nascidos em janeiro. A liberação prossegue até o início de março, quando receberão esse valor os aniversariantes de dezembro. Cerca de 96 milhões de pessoas devem ser contemplados com a MP expedida pelo governo.

De acordo com a Caixa, são aproximadamente 260 milhões de contas e inativas do FGTS. Esse número é maior que a quantidade de assalariados porque muitos deles têm mais de uma conta vinculada ao fundo. Deste número, 80% têm valores de até R$ 500.

Especialista em renegociação de dívidas, o head de Negócios Digitais do Negocia Fácil apresenta cinco dicas de como o trabalhador pode aproveitar o saque para pagar as dívidas, seja a quitação ou amortizar o valor pendente. Além disso, ele mostra como se adaptar seu orçamento a partir do valor extra do FGTS para deixar a condição de inadimplente. Confira:

1 – Organize as dívidas abertas: Antes de sacar o FGTS, faça uma lista com as suas dívidas pendentes e busque mais dados sobre isso. Confira as informações sobre os valores atualizados, prazos de pagamento e também sobre as taxas de juros praticadas. A partir daí, é possível definir quais desses compromissos são prioridade na hora de fazer o pagamento.

“É preciso ter essas informações para verificar qual delas cobra mais juros e onera o orçamento do consumidor. Com isso, a pessoa consegue escolher qual dívida deve ser renegociada. Afinal, isso fica muito mais fácil quando alguém está com um certo valor em seu poder”, destaca Moniz.

2 – Negocie as dívidas: Com as informações sobre as dívidas, o próximo passo do trabalhador beneficiado com a liberação do FGTS é negociar prazos, descontos e até novas taxas de juros. O head da Negocia Fácil ressalta que as financeiras, operadoras de cartão e até empresas de cobranças oferecem condições especiais. E a tendência é uma possível intensificação dessa prática, de olho nesse valor adicional.

“Não deixe de negociar e peça benefícios, pois fica mais fácil o consumidor solicitar isso com uma certa quantia na mão. O poder de barganha por parte do devedor fica maior quando tem uma quantia como o saque adicional do FGTS. Muitas financeiras e instituições chegam a tirar parte dos juros para receber ao menos o saldo devedor”, explica.

3 – Não caia em pressões do telemarketing: Em meio à iminência do início do pagamento do FGTS, as empresas de cobrança via telemarketing devem intensificar a abordagem e as ligações junto aos trabalhadores com dívidas. Segundo Moniz, o serviço mais tradicional chega a pressionar a ponto de constranger o inadimplente, por esse motivo, ele sugere as pessoas procurarem os canais que ofereçam melhores condições, como taxas, quantidade de parcelas e descontos na hora de amortizar parte ou o valor total do saldo devedor.

Na avaliação do executivo, os canais digitais podem ser uma boa alternativa tanto em relação a desconto quanto na forma de negociação. “Os serviços dessa natureza também não fazem aquela pressão em cima do devedor como acontece com o telemarketing. Fora isso, a pessoa pode achar boas condições”, avalia.

4 – Adapte os seus gastos ao que ganha: Após negociar boas condições com o uso do FGTS, é preciso mudar os hábitos a fim de não cair mais na reincidência da inadimplência. Após renegociar ou quitar as respectivas dívidas, é preciso adequar seus gastos ao seu salário e ganhos. Para isso, é preciso avaliar as despesas para ver se algumas delas são ou não necessárias. Em caso de ser algo sem necessidade, é preciso fazer cortes.

“É preciso relacionar esses gastos e verificar se cabem nos seus ganhos. Se a conta ficar no vermelho, chegou mais que a hora de efetuar reduções ou mesmo suprimir algumas despesas. Precisamos aprender a viver de acordo com o que entra no bolso, caso contrário a pessoa vai cair sempre em uma dívida”, salienta Moniz.

5 – Evite o uso de cheque especial e cartão de crédito: Na avaliação de Moniz, os brasileiros têm o péssimo hábito de utilizar o limite do cheque especial ou o cartão de crédito como uma renda disponível. Com isso, o consumidor passa a gastar bem acima do que ganha, no entanto, não consegue arcar com essa despesa mais adiante.

“É errado a pessoa trabalhar para pagar o rotativo. Ou seja, o valor vai sempre aumentar a ponto de não conseguir pagar o uso desse serviço bancário. O ideal é usar somente o valor que ganha e nada mais”, sugere.

Read More...

Destaques, Dicas, Economia, Negócios

Semana do Brasil: 8 orientações para não se endividar

A Semana do Brasil, que começa nesta sexta-feira (06), é uma iniciativa do Governo Federal para aquecer o comércio brasileiro, promovendo descontos em lojas físicas e virtuais em todo o país. Até o dia 15 de setembro, mais de 3.000 lojas cadastradas de diferentes setores terão ofertas e promoções para todos os bolsos.

Com abragência nacional, a iniciativa já toma conta dos meios de comunicação e o segredo para aproveitar melhor as ofertas é se programar para essa data, melhorando as chances de fazer bons negócios.

Mas diante de tantas oportunidades é preciso ficar atento para não comprometer as finanças, fugindo das compras por impulso, que no futuro poderão trazer dívidas desnecessárias.

O presidente da DSOP Educação Financeira e especialista no tema, Reinaldo Domingos, apresenta 8 orientações para poder aproveitar as oportunidades da “Black Friday Brasileira” sem comprometer o orçamento:

1) Não compre se para isso precisar se endividar. Parcelamento também é uma forma de dívida. Se for inevitável, tenha certeza de que cabe no orçamento.

2) Analise se a compra não trará custos extras para a família ou para a pessoa posteriormente.

3) Se antecipe, pesquisando os preços dos produtos que deseja comprar para ver se os descontos que darão realmente são interessantes.

4) Faça uma lista detalhada de tudo que pretende comprar e quem deseja presentear e quanto pretende gastar com cada um.

5) Se estiver em situação financeira problemática, e quiser adiantar as compras de Natal, uma dica é priorizar as crianças. Será mais fácil explicar para os adultos e jovens o motivo de não receberem presentes.

6) Utilize a internet como meio de pesquisa, mas cuidado, só acesse e compre em sites confiáveis, crimes digitais são cada vez mais comuns.

7) Se prepare para ir às compras nas lojas com tempo e roupas confortáveis, além disso é importante uma dose extra de paciência, evitando que se compre rapidamente para acabar com o martírio.

8) Procure, por meio de conversas, saber quais são os reais desejos das pessoas. Muitas vezes se compra coisas caras, sendo que presentes baratos seriam muito mais bem vindos.

Lojas participantes da Semana do Brasil

Lojas participantes da Semana do Brasil

Até o momento, mais de 3.000 mil empresas se cadastraram no site da campanha. Além das lojas varejistas, consumidores poderão encontrar promoções e descontos em hotéis, lojas de automóveis, instituições financeiras, agências de viagens, restaurantes, lojas de departamento e ações em segmentos.

Grandes lojas de departamento também aderiram à iniciativa do governo. As promoções variam de acordo com cada estabelecimento e a categoria de produtos. O Ponto Frio, que integra a Via Varejo, por exemplo, promete até 80% de desconto em aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, assim como as Casas Bahia. Já a Havan garante facilidade no pagamento, além de promoções em notebooks, jogos, eletrônicos e itens para a casa. A Ricardo Eletro, por sua vez, promete descontos de até 70% e a Fast Shop garante até 45% e pagamento em até 12 vezes sem juros.

As promoções, no entanto, não se restringem ao e-commerce e abrangem diversas categorias de produtos. A loja de móveis Etna promete produtos até 50% mais baratos, e a Sephora, que vende cosméticos, também entrou na campanha com descontos de até 40% em maquiagens. A lista completa dos estabelecimentos participantes está disponível no site da campanha (http://www.brasil.gov.br/semanadobrasil/participantes/).

Read More...

Destaques, Dicas, Economia

Corte alguns hábitos que podem estar levando seu dinheiro embora

É notório. Certos hábitos de consumo são armadilhas para quem pretende economizar. “São as compras no cartão de crédito, que vão virando uma bola de neve, a saidinha semanal com os amigos, depois do expediente… Esses e outros hábitos ajudam a sabotar o orçamento”, diz o presidente executivo do IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação, João Eloi Olenike.

Recentemente, o IBPT lançou o aplicativo Citizen. “Nosso App funciona como um auxiliar do consumidor em seus hábitos de consumo. Ao cadastrar as notas fiscais de suas compras no aplicativo, o usuário fica sabendo quanto do valor pago foi abocanhado pelos tributos. Após seis meses de uso constante, registrando compras em supermercados, farmácias, lojas, postos de combustíveis e restaurantes, o aplicativo identifica a inflação pessoal do usuário”, conta Olenike.

Disponível nas plataformas Android e iOS, após baixar o aplicativo e fazer o cadastro inicial, o usuário faz a leitura do QR Code da Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e) ou do código de barras do DANFE da NFe (Nota Fiscal Eletrônica) de cada compra, podendo também lançar notas fiscais de meses anteriores. No Citizen é possível controlar os gastos por categoria, data, valor total, estabelecimento onde comprou e pesquisar a evolução do valor unitário de cada bem ou mercadoria.

O IBPT identificou 10 hábitos que contribuem para que seu bolso fique vazio antes do mês terminar. São eles:

Saidinha semanal com os amigos

Nada contra! Depois de uma semana estressante, você tem sim o direito de aproveitar com os amigos. Mas aproveitar contando os trocados não é diversão. Então, que tal trocar a saidinha semanal por uma saída por mês?

Fuja dos congelados

Sim, essas refeições são uma “mão na roda”, mas você já parou pra pensar no que está embutido nesse custo? “Toda vez que compramos algo pré-cozido ou congelado, diferente do produto in natura, estamos pagando não só pelos ingredientes que compõem o prato, mas também pelo serviço da pessoa que nos promoveu tal comodidade”, afirma Olenike.

Compras por impulso

Tá aí um dos maiores erros cometidos pela maioria das pessoas. As compras por impulso são responsáveis pela maioria dos arrependimentos dos consumidores, porque geralmente o item adquirido fica lá, num canto qualquer, e o dinheiro… Bem, esse já era.

Empurrar as contas para o mês seguinte

Muitas vezes, você está com o dinheiro contadinho para as contas do mês e ainda tem uma “gordurinha” pra queimar, mas caiu em tentação e pensou: ‘Ah, mas essa conta de luz pode esperar para o mês que vem. Não vão me cortar a energia!’

A energia pode até não ser cortada, mas lembre-se, a próxima fatura virá com juros e se acumulará a do mês seguinte. Vale a pena?

Parcelamento da fatura do cartão de crédito

É um looping infinito. “O pagamento mínimo e o parcelamento da fatura do cartão de crédito são dois hábitos que comprometem a renda do cidadão. Ao pagar o mínimo, aquele valor restante soma-se ao da fatura do mês seguinte e aos juros. No outro mês, você opta por parcelar, parcela essa que se acumula à próxima fatura, e sair desse buraco negro de dívida leva tempo, pois os juros do cartão de crédito são muito altos; torna-se um caminho sem volta”, revela Olenike.

Assinatura de TV a cabo

Ok, sem radicalismos, mas você já parou pra pensar em quanto tempo você realmente passa dentro de casa? Sai cedo para o trabalho, muitas vezes emenda na faculdade à noite, e qual tempo sobra para assistir à programação da TV por assinatura? Atualmente, com a internet cada vez mais veloz, opções não faltam para assistir àquele filme ou programa que você gosta. Experimente!

Telefonia celular

Se o seu celular é o seu melhor amigo de trabalho, a gente entende. Mas será que você está realmente consumindo pelo menos metade daquilo a que seu pacote dá direito? Verifique a possibilidade de substituir seu pacote por outro, ou quem sabe, trocar de operadora por uma que ofereça planos e vantagens melhores.

Salão de beleza

Não precisa ser tão xiita, mas salão de beleza toda semana é para quem tem dinheiro sobrando, e não pra quem deseja economizar ou está com a grana curta. Considere investir em um bom creme e fazer a hidratação dos cabelos em casa, ou então, arrisque naquele esmalte lindo e faça as unhas você mesma! A internet está repleta de tutoriais que ensinam até mesmo as pessoas mais descoordenadas a fazerem as suas unhas.

Almoçar fora todo dia

Essa é uma daquelas arapucas que a gente não consegue fugir. Os colegas de trabalho convidam e você não consegue negar o convite. E no final do mês, fica tentando “esticar” o dinheiro. Opte por levar a própria marmita para o trabalho. Por que não? Dessa forma, você evita os gastos extras, além de se alimentar de maneira saudável.

Pare de colecionar

Se você é daquelas pessoas que possuem diversos itens iguais, várias peças de vestuário semelhantes no guarda-roupas, está na hora de fazer um dinheirinho extra com aquilo que não usa e, quem sabe, encontrar uma outra peça para chamar de sua em um brechó. Pense nisso!

Read More...

Destaques, Dicas, Economia

Aplicativo auxilia cidadão em seus gastos e promove a educação financeira

O brasileiro faz mágica para sobreviver. Com o salário mínimo estabelecido em R$ 998,00, tudo deve ser colocado na ponta do lápis. “É o aluguel, o transporte, as compras do mês, o plano de saúde, quando dá para pagar, e aqueles gastos que nem sempre são previstos e nos pegam de surpresa”, diz o presidente executivo do IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação, João Eloi Olenike.

É um verdadeiro malabarismo. Quem ganha um salário mínimo passa a maior parte do ano se equilibrando na corda bamba das contas e esperando pelo décimo terceiro salário ou as férias para desafogar as finanças. “Nem sempre é possível colocar em prática os planos que fazemos com o dinheiro, por isso é fundamental que o cidadão fique de olho nas suas finanças, se não há gargalos ou torneiras abertas. Às vezes, alguns hábitos precisam ser mudados e alguns cuidados devem ser redobrados”, diz Olenike.

Protagonista em assuntos que estão diretamente ligados ao cotidiano do consumidor e contribuinte brasileiro, o IBPT vê a educação financeira como principal fator de mudança de comportamento e uma maneira mais consciente de poupar dinheiro. “Diante de um cenário tributário complexo no país, recessão, inflação e oscilação de preços, é importante que o contribuinte fique atento às suas finanças e não comprometa sua receita com itens que, no momento, podem esperar um pouco mais para serem adquiridos”, afirma o especialista.

De olho no dinheiro

13º salário dinheiro economia
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Para que as finanças pessoais não fujam do controle, o cidadão brasileiro pode contar com o aplicativo Citizen, do IBPT, para gerenciar suas contas e não passar o mês no vermelho. Gratuito e disponível nas plataformas Android e iOS, de interface simples, ao fazer a leitura do QR Code da Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e) ou do código de barras do DANFE da NFe (Nota Fiscal Eletrônica) de cada compra, o cidadão consegue separar por categorias os itens adquiridos, e ao longo do tempo de uso, o aplicativo delineia o seu perfil consumidor e a sua inflação pessoal. Por meio do Citizen, que disponibiliza gráficos de leitura simples e intuitiva, é possível controlar os gastos por categoria, data, valor total, estabelecimento onde comprou e pesquisar a evolução do valor unitário de cada bem ou mercadoria.

Diferente de outros aplicativos, o Citizen não solicita e não armazena informações pessoais do usuário, como salário e CPF.

Bye bye money

Além do aplicativo, que pode ser uma “mão na roda” para que o cidadão saiba de que maneira está gastando seu dinheiro, é fundamental observar alguns hábitos financeiros nem tão saudáveis. São eles:

Investir na poupança

Sobrou um dinheirinho e lá vai o cidadão, investir na poupança. Esse é um erro cometido pela maioria dos brasileiros. Atualmente, a caderneta de poupança não oferece rendimentos atraentes, mas por desconhecimento, o contribuinte acredita que ela é o único fundo de investimento, quando na verdade, o Tesouro Direto é mais atrativo para quem pretende aplicar seu dinheiro e vê-lo render.

Comprar por impulso

Fuja das compras por impulso. Elenque prioridades. A pergunta a ser feita é: eu preciso mesmo desse item agora? “Essas perguntas ajudam o cidadão a repensar a forma como gasta seu dinheiro”, diz Olenike.

Cartão de crédito

De mocinho a vilão, o cartão de crédito deve ser usado com cautela. “Priorize utilizá-lo naquelas situações imprevistas, em que você não tem dinheiro na hora. Também é válido fazer uso dele para planejar e parcelar aquela viagem há tanto tempo sonhada, desde que não comprometa a sua renda e não o leve ao endividamento”, ressalta Olenike.

Não pesquisar antes de comprar

“Gostei, vou levar!”

Alto lá! Com a facilidade proposta pela internet, só compra de primeira quem não quer pesquisar. “Se são itens que o cidadão não tem o hábito de comprar, uma boa pesquisa ajuda muito na busca e aquisição de produtos por um valor menor. Para quem faz compras habituais e registra as suas notas no Citizen, basta acompanhar seu gráfico de consumo e identificar nele onde o produto que está buscando foi adquirido por um preço menor”, lembra o presidente do IBPT.

Pequenos gastos frequentes

O cafezinho depois do almoço, o chocolate para adoçar a vida e pronto, isso tudo, somado diariamente, levou parte do seu dinheiro. “Pequenos hábitos diários reduzem o dinheiro, então, é prudente observar para onde está indo esse dinheiro. Sempre nos apoiamos no: ‘é baratinho, não pesa’, mas quando esse baratinho se multiplica, aí sim começa a pesar”, conclui Olenike.

Read More...

Destaques, Dicas

Reforma da Previdência: 5 motivos para poupar de forma independente

Na última semana, foi aprovado em primeiro turno o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, que altera as regras de aposentadoria.

A votação ainda deve ser concluída e os debates devem continuar nos próximos dias ou até meses, porém, independente da aprovação, é fundamental que o brasileiro poupe para garantir uma aposentadoria tranquila.

Veja abaixo 5 motivos para poupar dinheiro pensando no seu futuro, segundo Reinaldo Domingos, do canal Dinheiro à Vista:

1- O salário do INSS é muito importante para os brasileiros e um direito do trabalhador. Entretanto, o valor não é suficiente para manter o padrão e a qualidade de vida. Em consequência, 21% dos idosos que já se aposentaram continuam trabalhando para complementar a renda, segundo pesquisa do SPC Brasil e da CNDL.

2- Será que para viver dignamente você precisará da ajuda de parentes ou de outras pessoas? Infelizmente, isso acontece com milhões de brasileiros. É importante ter consciência que mesmo tendo trabalhado a vida toda com carteira assinada, contribuindo para o INSS, a quantia recebida dificilmente será suficiente.

3- Ao que tudo indica, os trabalhadores se aposentarão cada vez mais tarde, por conta do crescimento da expectativa de vida do brasileiro. Para deixar de trabalhar no momento que quiser – ou passar a trabalhar apenas por prazer – é preciso poupar parte da renda durante o período produtivo.

4- Quanto antes começar a pensar em seu futuro, poderá poupar quantias menores e se beneficiar dos rendimentos ao longo dos anos. Há diversos investimentos adequados para a aposentadoria, como Previdência Privada e Tesouro Direto. Vale a pena conhecer um pouco mais a respeito.

5- Poucas pessoas têm o hábito de pensar no longo prazo (acima de dez anos), com receio de que o objetivo não seja atingido. Mas é possível conquistar a renda que garanta o padrão de vida desejado. Há uma planilha automatizada que indica o quanto se deve poupar mensalmente para conseguir, baixe gratuitamente clicando aqui (Cálculo de Aplicação para Independência Financeira).

Read More...