Parnamirim

Banco de leite humano necessita de doadoras em Parnamirim

O banco de leite humano do Hospital Maternidade Divino Amor está necessitando de mais doadoras. Em maio deste ano havia 17 doadoras assíduas, porém o estoque da central de coleta se encontra em baixa, visto que, no momento, apenas 10 doadoras estão registradas.

A coordenadora do Banco, Fabíola Marques, explica o processo de manejo do leite doado. “Nós realizamos a coleta do leite ordenhado cru na própria residência da doadora e o trazemos para o banco de leite onde acontece a pasteurização, processamento e o controle de qualidade com rigor. Após esse processo, o leite fica em quarentena num freezer, aguardando 48 horas para poder ser liberado ao consumo”, disse.

De acordo com a coordenadora, o leite coletado abastece os 10 leitos em que se encontram os bebês da UTI Neonatal do Hospital Maternidade. “É de suma importância a doação, pois se trata de um ato de amor. É se doar, doar o próprio tempo com todo um carinho, pois além de estar em um momento delicado com o seu filho, amamentando, existe uma grande dedicação à extração do leite. Além disso, não se trata apenas da doação, nós nos preocupamos com a saúde da mãe e do bebê, e realizamos também um acompanhamento clínico com ambos”, falou.

Quem pode doar?

Mulheres que estão amamentando e produzem um volume de leite além da necessidade do bebê podem ser doadoras do banco de leite.

Como doar?

O Hospital Maternidade do Divino Amor oferece todo o suporte para as mães que querem doar. Um carro com profissionais é disponibilizado para acompanhar e buscar a doação em domicílio. A doadora recebe todas as orientações necessárias. Nesse caso, especificamente, as mães precisam ser cadastradas. Basta que entrem em contato com o Banco de Leite da Instituição pelo telefone (84) 3272-4367, de segunda a sexta, das 7h às 19h.

Serviço

Banco de Leite Humano

Hospital Maternidade do Divino Amor

Avenida Tenente Medeiros, 145, Centro, Parnamirim, RN

(84) 3645 – 5001
(84) 3645 – 4660
(84) 3645 – 6369

Read More...

Destaques, Meio Ambiente, Parnamirim

Maior Cajueiro do Mundo abriga o menor lagarto das Américas

Foi encontrado, recentemente, no Cajueiro de Pirangi, o menor lagarto das Américas: o lagarto-de-folhiço (Coleodactylus natalensis Freire). Esse minúsculo réptil, que mede aproximadamente 22 milímetros de comprimento, foi visto por funcionários do Cajueiro que faziam a manutenção rotineira de limpeza e poda da árvore. O animal, que está na lista de espécies ameaçadas de extinção, foi descoberto no Parque das Dunas pela professora Eliza Maria Xavier Freire, em 1999, durante pesquisa acadêmica na Unidade de Conservação.

O fato inédito no Cajueiro de Pirangi foi comunicado à professora Eliza para que pudessem ser feitos estudos sobre a espécie. Esse pequeno lagarto é remanescente de Mata Atlântica do RN, e é somente encontrado aqui no estado. O animal vive entre o folhiço, que constitui a serrapilheira do substrato da mata.

Segundo a gestora do Cajueiro de Pirangi, Marígia Madje, apesar das características externas indicarem que se tratava de um lagarto-de-folhiço, não se poderia comprovar antes de uma análise mais criteriosa de um especialista. “Os estudos realmente comprovaram que é o mesmo lagarto descoberto no Parque das Dunas, e nós não poderíamos consultar outro pesquisador, além da professora Eliza, por ser a autora desse grande feito no Estado do Rio Grande do Norte, quando fez a descoberta há 20 anos”, afirmou.

A doutora em Zoologia, na área de Herpetologia e professora titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) há 30 anos, fala sobre a descoberta do lagarto no Cajueiro de Pirangi. “A espécie não chegou de repente no Maior Cajueiro do Mundo, ela já estava aqui. Originalmente ela estava distribuída ao longo da Mata Atlântica, e essa mata foi sendo fragmentada ao longo do tempo. Os locais que mantiveram o sombreamento da floresta, o folhiço abundante no chão com alimento e uma umidade mais alta, são os lugares preferidos dessa espécie. O Cajueiro fazia parte dessa área florestada original ao longo da Costa Potiguar, se isolou e manteve uma população de Coleodactylus”, explicou a professora Eliza.

Segundo a especialista, o fato do Cajueiro de Pirangi abrigar o menor lagarto das Américas, é sem dúvida, uma notícia positiva. “Como minha pesquisa há 20 anos foi realizada no Parque das Dunas e nos anos seguintes a espécie só tinha sido vista por lá, era considerada endêmica do Parque, mas atualmente a espécie é endêmica de remanescentes florestais do Estado do Rio Grande do Norte. Isso é atribuído ao isolamento, à fragmentação da floresta, que vai deixando algumas áreas relevantes que possuem as exigências do animal”, disse.

A semelhança da vegetação entre o Parque das Dunas e o Cajueiro de Pirangi é um fator em comum para a existência do lagarto. A vegetação do cajueiro que fez parte da paisagem da Mata Atlântica, a sombra da árvore, o folhiço no chão que possui umidade e o alimento para o animal são as condições favoráveis para a existência da espécie. A preferência do ambiente é o folhiço sombreado de área florestada, composição identificada em todos os locais em que ele foi visto no Rio Grande do Norte.

A primeira coleta do Coleodactylus natalensis no Cajueiro foi realizada por João Leocádio, Otoniel Miranda e Micaela Carbonni, integrantes que atuam no Cajueiro de Pirangi. “O fato de ter sido encontrado pela equipe é algo importante, pois o saber popular os levou a terem essa sensibilização, esse cuidado na observância durante a rotina do trabalho também. Alguns profissionais têm um olhar acadêmico, mas é importante saber que as pessoas comuns, sem esse olhar acadêmico, as vivências, os saberes locais, são fundamentais para a sociedade. É de extrema necessidade inserir a população no processo de conservação ambiental”, afirmou a professora Eliza.

A gestora do local considera que, “mesmo sem saber, eles nos ensinam sobre atenção. Eles poderiam está somente fazendo o trabalho de limpeza e poda da árvore, mas eles se sentem responsáveis e parte de tudo isso. A atual gestão do cajueiro inicia um processo de integrar a comunidade, de fortalecer a relação com a sociedade, de fazer desse ponto turístico, um local de pesquisa e que nossa equipe se sinta pertencente. O foco não é apenas o visitante turista, mas queremos muito mais”, finalizou a gestora do Cajueiro, Marígia Madje.

De acordo com a professora Eliza Freire, a partir de agora o Cajueiro tem um atrativo a mais, porém, fica o alerta da preservação do local. A área de mata não pode ser pisoteada, mas deve manter a visitação e trilhas fora do folhiço, como já acontece atualmente. “É importante divulgarmos um fato como este para ressaltarmos a importância de se preservar o local para que tenhamos mais informações sobre nossa biodiversidade e possamos lutar pela adoção de políticas públicas e ações estratégicas voltadas à conservação”, ressaltou.

O Lagartinho-de-folhiço

Um dos menores lagartos da América do Sul, da família dos Sphaerodactylidae, é uma espécie endêmica remanescente da Mata Atlântica potiguar. Medindo em média 22 milímetros de comprimento, a espécie recebeu o nome científico de Coleodactylus natalensis e foi catalogada em 1999, pela professora e pesquisadora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Eliza Maria Xavier Freire, quando utilizou o Parque das Dunas como laboratório vivo para seus estudos. O Coleodactylus natalensis já foi encontrado no Parque das Dunas, Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, Parque Estadual Mata da Pipa (PEMP) e Mata do Jiqui.

Cajueiro de Pirangi

Cajueiro de Pirangi fica na praia de Pirangi do Norte, em Parnamirim, cidade da Grande Natal, e cobre uma área de aproximadamente 8.500 metros quadrados, com um perímetro de aproximadamente 500 metros. O Cajueiro é aberto todos os dias da semana, das 7h30 às 17h30. A entrada custa R$8,00. Crianças, de sete a 12 anos, pagam meia entrada, assim como estudantes e professores, portando carteira comprobatória.

Read More...

Destaques, Parnamirim

Avenida Maria Lacerda terá modificações no tráfego

As obras de saneamento básico em Parnamirim seguem avançando. Na próxima segunda-feira (11), às 8h, a Avenida Maria Lacerda Montenegro sofrerá alterações no seu tráfego no trecho entre a Rua Carmindo Quadros e o Supermercado Extra. As duas faixas da via que dá acesso à BR 101 serão interditadas para a realização de um serviço de escavação profunda que deve durar cerca de 20 dias.

Essa parte da Maria Lacerda possui uma via com duas faixas no sentido Ayrton Senna – BR 101 e outra com mais duas faixas no sentido oposto. Quem se desloca em direção à BR 101 vai passar a trafegar na via oposta, que ficará com duplo sentido, ou seja, as duas faixas da via passarão a funcionar com mão dupla, uma mão em direção à BR e outra no sentido contrário.

O canteiro central da Maria Lacerda será aberto e concretado para possibilitar a passagem dos veículos para a via correta. Trabalhadores da empresa responsável pela obra ficarão responsáveis pela orientação da entrada e saída de veículos no Condomínio Miami Beach I. Quando a obra avançar mais, até chegar à frente do Condomínio Guarujá I, o mesmo modelo de entrada e saída será adotado para o local.

Read More...

Parnamirim, Plantão Policial

MPRN consegue prisão preventiva de servidor que vendeu túmulos de forma ilegal

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu a decretação de prisão preventiva de um servidor público de Parnamirim que era responsável por gerir o Cemitério São Sebastião pelo cometimento de crime de corrupção passiva. Djair Pereira da Silva solicitou e recebeu vantagem indevida e ilegal para vender uma cova. Ele foi preso na quarta-feira (6).

O Juízo da Vara da comarca também levou em consideração as informações do MPRN de que o denunciado fez ameaças ao coordenador dos cemitérios do Município, pondo em risco a integridade física dessa testemunha.

A venda ilegal de um lote do cemitério ocorreu em 2017 quando a vítima procurou Djair Pereira. O denunciado ofereceu diversas opções de preços para a aquisição do lote, começando por R$ 500 até R$ 3 mil. A pessoa que queria adquirir um túmulo para a família dela optou pelo menor valor. Com essa ação, ele cometeu o delito de corrupção passiva ao valer-se da condição de servidor público municipal e com cargo comissionado de gestor interino local do Cemitério São Sebastião, solicitando indevidamente uma quantia para a vítima.

No ato do pagamento dos R$ 500, Djair emitiu um recibo sem apontar a quadra ou lote para o sepultamento e disse que posteriormente entregaria os documentos referentes à aquisição da cova. Somente depois, a vítima descobriu que o túmulo que foi lhe vendido sequer poderia ter sido negociado. Primeiro porque é ilegal, segundo porque já pertencia a outra família.

Além disso, o coordenador dos cemitérios de Parnamirim relatou ao MPRN que recebeu reclamações de que outras pessoas também foram lesadas pelo denunciado em negociações indevidas de túmulos. Essas informações foram confirmadas pelo novo gestor do Cemitério São Sebastião, que sucedeu Djair na função.

O coordenador dos cemitérios, inclusive, registrou um boletim de ocorrência junto a uma delegacia, relatando as ameaças que sofreu de Djair Pereira por ser testemunha desse processo. O MPRN entendeu que essas não foram simples ameaças a uma pessoa qualquer, mas a um gestor direto significando, então, uma ameaça também à própria administração municipal e à regular instrução processual.

Baseada nisso, a Justiça acatou o pedido do MPRN, por entender que se o denunciado ficar livre para agir, pode gerar uma situação de risco real para a integridade física do coordenador dos cemitérios de Parnamirim e ainda comprometer a instrução processual por haver coação da testemunha.

Read More...

Parnamirim

Cursos profissionalizantes populares são realizados no centro de Parnamirim

Com objetivo de proporcionar qualificação para o mercado de trabalho com baixo custo para a população, o Projap Cursos está com vagas abertas em Parnamirim. As aulas ocorrerão aos sábados, a partir do dia 09/11, no Gênesis Colégio Cursos, que fica na Av. Comandante Petit, 182 Centro. As matrículas continuam abertas na Escola Estadual Eliah Maia do Rego, na Rua Brigadeiro Souto, Boa Esperança.

A taxa de inscrição, de R$ 49,90, é o único valor que o interessado pagará, como explica o coordenador dos cursos, Paulo Revorêdo. “Este pagamento é a única taxa paga durante todo o curso. O inscrito terá material didático, certificado de conclusão e orientação de como montar o currículo. A nossa intenção é democratizar o acesso ao ensino profissional, pois reconhecemos que profissionais capacitados tem melhores oportunidades no mercado”, explica.

Operador de caixa, auxiliar administrativo, inglês, telefonista, recepcionista de clínicas, técnicas de secretariado, auxiliar de serviços gerais e portaria, cabeleireiro, eletricidade residencial e predial, cuidador de idosos e primeiros socorros são alguns dos cursos oferecidos em Parnamirim.

A programação de cursos profissionalizantes acontece em parceria com a Gardenprou Cursos e conta com apoio das escolas públicas de Parnamirim. Para informações sobre inscrição e outros detalhes, os interessados devem entrar em contato com o Projap Cursos por ligação ou mensagem WhasApp nos números: (84) 99461-4903; (84) 99420-7464; (84) 98816-7902; e (84) 98712-5818.

Read More...