Dicas

Saiba como manter sua vida financeira em ordem

Uma dica é organizar as finanças em planilhas

No Brasil, infelizmente, educação financeira ou gestão financeira não faz parte do currículo escolar. Por conta disso, a organização financeira é um grande desafio para boa parte da população. Ter consciência da renda, despesas, investimentos e saber a forma com que o dinheiro está sendo gasto é importante para uma vida financeira equilibrada. O planejamento mensal garante segurança e possibilita que os planos estabelecidos sejam realizados. Veja dicas para pôr em prática a organização das finanças pessoais:

Organize suas finanças em planilhas

As planilhas podem ajudar de inúmeras formas. Registrando ganhos e gastos, despesas fixas, despesas emergenciais e até aquele dinheiro que foi gasto para comprar um lanche. Pode até parecer exagero, mas o controle funciona. Ao visualizar esses valores, a pessoa passa a ter uma base de como o seu dinheiro tem sido gasto. Dessa forma, é possível priorizar os gastos que realmente importam. Atualmente, existem modelos de planilhas disponíveis na internet e diversos aplicativos que podem te ajudar a organizar sua vida financeira.

Renegocie as dívidas

Às vezes, os gastos podem ultrapassar o esperado fazendo com que as pessoas adquiram dívidas indesejadas. Nessas horas, é preciso se organizar, estabelecer estratégias e prazos para que tudo seja devidamente pago. Renegociar pode ser um excelente negócio. É possível conseguir descontos para pagamento à vista e juros mais baixos para pagamentos a prazo. Faça o exercício constante de rever as prioridades e comece sempre pelas dívidas de maior valor.

Controle seus gastos com o cartão de crédito

Para quem quer uma vida financeira organizada, a utilização do cartão de crédito pode ser um empecilho. Compras parceladas realizadas com os cartões podem se transformar em verdadeiras bolas de neve, por conta dos juros altos. Para solucionar esse problema, pague sempre o valor total das faturas e não ultrapasse o limite da sua capacidade de pagamento. 

Read More...

Destaques, Dicas

Filhos podem e devem participar do planejamento financeiro familiar

Mães e pais quebram a cabeça mensalmente pensando nas contas da família. Balancear os gastos básicos como comida e transporte se torna infinitamente mais difícil quando filhos entram na fórmula. Afinal, só quem arca com despesas como mensalidade, materiais escolares, presentes de aniversário (e Natal, e Dia das Crianças), entre outros, sabe o quanto tudo isso pode pesar no bolso.

É comum pensar que o planejamento financeiro familiar é um problema exclusivo dos pais, em razão da pouca idade das crianças. Porém, existem maneiras, sim, de conscientizar seus filhos – mesmo os pequenos -a pensar criticamente sobre dinheiro, investimentos e poupanças, o que trará apenas benefícios à saúde fiscal e também ao futuro de seus filhos.

Com as dicas abaixo, você pode colocar seus pequenos no dia a dia econômico de sua casa e aproveitar todos os frutos disso.

1 – Ofereça uma mesada

É extremamente importante que a criança tenha seu próprio dinheiro. Assim, ela vai aprender, muitas vezes por si própria, o real valor que ele tem. A frequência da mesada e seu valor fica à critério dos pais, sempre. Alguns preferem um regime semanal, enquanto outros recorrem ao mais tradicional pagamento mensal. Quanto à quantidade, uma boa dica é oferecer um valor baixo no início, e depois aumentar gradativamente.

2 – Ensine o valor de economizar agora para ganhar depois

Convenhamos que jovens não gastam milhares de reais. Seus gastos são esporádicos e momentâneos, como lanches ou passeios no cinema. Todos esses trazem prazeres instantâneos e dificultam o ensinamento da importância de economizar. O papel dos pais aqui é mostrar que um salgado a menos na hora do recreio pode significar, talvez, um jogo de videogame no final do mês.

3 – Recompense boas práticas

O aumento de mesada pode ser feito através da recompensa de boas práticas. Por exemplo: se seu filho realizar todas os deveres de casa, ganha um “bônus” naquele mês. Ou, se ele conseguir economizar metade de sua mesada, ganha um passeio de sua escolha (bancado pelos pais, claro). O importante aqui é passar a lição de que, com grandes esforços, é possível lograr bons resultados financeiros. É o primeiro passo para que eles aprendam sobre a importância do trabalho.

4 – Faça compra com seus filhos – de vez em quando

Apesar de não ser aconselhável levar os filhos para as compras do supermercado todas as semanas, a experiência pode ser positiva se feita com moderação. Mostrar a eles que seus alimentos diários têm um preço e que você, também, faz um planejamento financeiro para isso (leia-se: uma lista de compras) que vai ajuda-los a desenvolver sua capacidade financeira.

A habilidade para o planejamento financeiro deve ser treinada desde cedo nas crianças, assim como a leitura, a escrita e até a matemática. Não deixe este importante aprendizado apenas para a sala de aula. O dia a dia com a família também é crucial para que seu filho cresça com boas práticas financeiras.

*Texto escrito por Dora Ramos (orientadora financeira e terapeuta complementar/holística) para o Portal N10

Read More...

Destaques, Dicas

As melhores opções para cartões de crédito pré-pagos

Com agilidade na adesão e com muitos benefícios, os cartões de crédito pré-pagos estão ganhando força entre os consumidores brasileiros. Eles se tornaram uma boa opção alternativa ao tradicional cartão de crédito para compras no exterior, trouxeram maior facilidade para utilização do transporte público e movimentaram o mercado de jogos eletrônicos com novidades interessantes.

O interessante é que há empresas sérias e de credibilidade lutando pelos holofotes nesse mercado e com condições bem acessíveis, já que um número considerável delas não exigem aprovação de crédito dos clientes e nem conta bancária para terem os serviços. Afinal, o pagamento é pré-pago. Além do mais, como as bandeiras dos principais cartões de crédito pré-pagos são MasterCard e Visa, eles são aceitos em praticamente todo tipo de comércio mundo afora.

>> CC BY 2.0″/>

Com forte concorrência entre grandes empresas, não é fácil escolher qual a melhor opção para adesão de um crédito pré-pago e compreender as próprias necessidades é um ótimo passo para não errar na escolha. Contudo, separamos as principais opções disponíveis no mercado brasileiro e com suas respectivas vantagens e desvantagens.

Mercado Pago

Uma das melhores opções disponíveis atualmente, o cartão de crédito pré-pago do Mercado Pago tem bandeira MasterCard e é aceito no Brasil e no exterior. Ele não tem anuidade, não possui taxa de adesão ou fatura e nada é cobrado para ativação ou recarga.

Por outro lado, é cobrado R$ 9,90 para saques nacionais ou internacionais — o IOF sobre transação internacional é de 6,38%. No Brasil, há duas maneiras de sacar: via Banco 24Horas ou em casas lotéricas.

Para saques e pagamentos nacionais, há um limite de R$ 3 mil por dia. Já para saques e pagamentos internacionais, o limite é de R$ 670 por dia. Pelo app do Mercado Pago, além de poder controlar todas as transações, também é possível realizar de pagamentos de contas e fazer recargas no celular.

GamesCard

Para os entusiastas do poker e dos games eletrônicos, uma ótima opção é o GamesCard. Com bandeira MasterCard, emitido no Brasil e com validade internacional (IOF de 6,38% sobre cada transação fora do país), esse cartão pré-pago possibilita fazer cargas e saques de créditos em sites de games, eSports e poker online — deixando todo o processo bem simples e sem burocracia.

Por apenas de R$ 9,90 mensais, os gamers têm acesso ao clube de benefícios do GamesCard e o valor (único) da adesão do cartão é de R$ 15 — tanto para 1ª via quanto para 2ª via. A recarga via transferência bancária tem valor mínimo de R$ 50 e limite mensal máximo de recarga é de R$ 10 mil por CPF.

Os saques em caixas eletrônicos e em redes conveniadas têm tarifas de R$ 9,80 a cada saque efetuado. Um detalhe interessante é que a transferência de saldo entre cartões GamesCard é gratuita. Também existe o programa de fidelidades GAMERSPOINTS que em breve estreará a plataforma de torneios.

Assim como a grande maioria dos cartões do gênero, o GamesCard também possibilita pagar boletos bancários, fazer compras e realizar recargas no celular via app.

RecargaPay

Outro cartão da lista com bandeira MasterCard e de validade internacional, o Recarga Pay é sem dúvida uma das melhores opções disponíveis. Ao fazer compras com o cartão físico, o cliente recebe cashback de 1% do valor das compras, no entanto, o valor máximo é de R$ 100.

Para ter o benefício de cashback, adquirir o cartão físico sem custos, fazer recargas online até mesmo sem internet, é necessário aderir ao RecargaPay Prime, que tem valor mensal de R$ 9,99.

Também é possível fazer revendas e receber comissão em recargas de celular (5% de comissão a cada recarga), em recargas de cartões de transporte de público (2% de comissão a cada recarga), em aplicativos da Google Play (5% de comissão) e receber comissão em pagamentos de contas (comissão de R$ 0,50 por conta paga acima de R$ 20).

Os saques podem ser feitos em caixas eletrônicos do Banco 24 Horas, rede Cirrus e nas Lotéricas. A cada saque efetuado em casas lotéricas há uma tarifa de R$ 5,90. Já nos caixas eletrônicos o valor é de R$ 7,90 por saque.

Read More...

Dicas

Já tentou economizar dinheiro?

Não precisa ficar horrorizado com a manchete, todo mundo sabe que o dinheiro anda bem curto, que mal dá para pagar as contas, mas é preciso criar estratégias e tentar economizar um pouco de dinheiro, seja para uma eventualidade de saúde, para realizar a viagem dos seus sonhos, comprar um automóvel próprio, ou apenas para poder gastar no futuro.

Pessoas dos mais variados países conseguem fazer um pouco de economia, mesmo com suas realidades problemáticas ou crises financeiras. O problema não é esse: existe uma falta de cultura financeira no país. Quase 70% dos brasileiros não guardam dinheiro, segundo pesquisa do Banco Central.

Uma das melhores maneiras de conseguir economizar, nem que sejam alguns poucos reais ao mês, é investir em alguma coisa seja difícil de conseguir mexer depois. Quem tem um pouco mais de dinheiro sobrando costuma adquirir imóveis. Já aquele que não quer administrar aluguéis e inquilinos, coloca sua grana em fundos de investimento de longo prazo.

Uma das alternativas mais populares, nos últimos tempos, têm sido as moedas criptografadas e a mais famosa delas é o Bitcoin. É um dinheiro virtual, você precisa contratar uma agência para administrar com um pouco mais de segurança.

facebook bitcoin

Foto: JayDeep / Pixabay

Se interessou? É aconselhável ler muito, até tomar cursos sobre este investimento. E não pensar neste dinheiro tão cedo porque ele é como uma bolsa de valores, sujeita a variações diárias. Se você for do tipo nervosinho e quiser vender na baixa, vai acabar perdendo dinheiro.

O ideal, a um investidor de pequeno monte, é que ele espere juntar um pouco mais de recursos antes de tentar entrar nesta seara. Quem foi esperto e comprou bitcoins quando ainda eram muito baratos conseguiu ficar milionário, há até alguns bilionários no setor.

A moeda começou a ser vendida como valor inicial muito baixo. Se você tivesse investido 100 dólares em 2010, quando o negócio começou a se tornar concreto, teria hoje “apenas” 238 milhões de reais. Consegue acreditar? Em 2017, apenas 1 bitcoin chegou a custar 10 mil dólares! Foi o auge do mercado, que acabou se normalizando depois.

Read More...

Destaques, Dicas

Confira dicas para comprar o material escolar do seu filho e não estourar o seu orçamento

Quem tem filho sabe que, quando começa um novo ano, é hora de comprar o material escolar. São livros, mochila, lápis de cor e uma série de outros itens que pesam no bolso. A lista é grande, mas sempre é possível economizar e conseguir desconto nas compras. E adquirir os itens que são mais importante fora da temporada pode ser uma opção para quem quer economia.

Carla dos Santos, de 33 anos, é estudante de Enfermagem e mãe de dois filhos, Elber Silva, de 14 anos e Caique Santos, de 6 – ambos no ensino fundamental.  O filho mais velho estuda em uma escola pública, mas ela ainda precisa arcar com a mensalidade escolar do filho mais novo. Segundo Carla, além dos gastos com a mensalidade, sempre que se aproxima o começo do ano, ela já começa a se preocupar com o material dos meninos. “Faço uma pesquisa de preço antes de ir às compras. Eles sempre querem materiais com temáticas de times de futebol ou desenho e esses são os mais caros”, pontuou a estudante.

Quando pode, Carla não deixa de agradar os seus filhos mas está sempre atenta a toda forma de economia. Ela prefere comprar os livros do filho caçula na própria escola onde ele estuda. “O preço pelo qual a escola revende os livros é muito próximo aos das livrarias, e lá, eu ainda tenho a possibilidade de parcelar o pagamento”. Outro aspecto que Carla considerado por Carla é a economia de tempo. “Prefiro comprar na escola também, porque acabo poupando o meu tempo. Nem sempre encontramos todos os livros em uma única livraria”, conclui.

Vários gastos envolvem a volta às aulas. Desde a lista de material escolar, até as taxas de rematrícula e a compra de uniformes. Programar-se com antecedência pode garantir que o valor dos produtos realmente não esteja tão alto, além de diluir o investimento no orçamento. Outra dica é o reaproveitamento de objetos usados nos anos anteriores por colegas que já passaram pela série a ser cursada.

Você também pode se juntar a outros pais para comprar em atacado. Isso pode aumentar as chances de negociar preços menores com as livrarias e papelarias. Dependendo do número de pais envolvidos, é possível gastar até 30% menos. E mesmo comprando em atacado, procure ir em áreas de grande concorrência e que tenha uma maior diversidade de oferta dos mesmos produtos.

Sem cobranças abusivas

Em outubro de 2016, o Conselho Estadual de Defesa do Consumidor (CEDC) publicou uma deliberação com diretrizes para a adoção de material escolar pelos estabelecimentos de ensino da rede privada. A deliberação proíbe que conste na lista de material escolar itens de expediente de escritório específico da atividade administrativa escolar ou de uso genérico. As escolas também não podem exigir que os materiais escolares sejam comprados no próprio estabelecimento, o que é considerado prática abusiva.

A três meses do início das aulas, já tem gente se preparando para comprar o material escolar dos filhos. Mas escolher uma escola de qualidade com mensalidades acessíveis também é uma das preocupações dos pais. Com desejo de investir em uma educação de melhor qualidade para os filhos, muitas famílias estão recorrendo a programas de apoio, como o Educa Mais Brasil, que concede descontos de até 50% na educação básica. Acesse o site do Educa Mais Brasil e confira todas as oportunidades disponíveis na sua região. A inscrição é gratuita.

Read More...