Agora, Cinema

Tom Cruise encara o trânsito de Paris para filmar cena de ‘Missão: Impossível – Efeito Fallout’

É de conhecimento público que o ator Tom Cruise dispensa dublês para as suas cenas de ação. Mas, a cada filme da franquia, a estrela mostra toda a sua capacidade de superação – e disposição – para rodar as cenas mais difíceis. Em Missão: Impossível – Efeito Fallout, não foi diferente. Em vídeo inédito, o ator e a equipe do filmam revelam como a perseguição de moto foi rodada em um dos pontos turísticos mais visitados do mundo, o Arco do Triunfo, em Paris. Dirigido por Christopher McQuarrie, o longa estreia dia 26 de julho.

“Passei muito tempo treinando para as cenas com motos. Nós tínhamos um equipamento de segurança para essa cena, mas ele simplesmente não funcionou. Eu disse: temos que filmar, temos que ir, temos que fazer. Vamos filmar lá fora, capturar a perseguição e eu vou virar a esquina o mais rápido possível. Essa oportunidade de ir a Paris, filmar essa sequência, foi incrível”, revela Tom Cruise.

Distribuído pela Paramount Pictures, o sexto filme da franquia traz Ethan Hunt (Tom Cruise) e sua equipe do IMF (Alec Baldwin, Simon Pegg, Ving Rhames), na companhia de aliados conhecidos (Rebecca Ferguson e Michelle Monaghan), correndo contra o tempo depois que uma missão dá errado. “O filme te leva a lugares onde você nunca esteve, mostra coisas que você nunca viu e te coloca com ele nessa experiência”, conta McQuarrie.

Além de Tom Cruise, Simon Pegg e Ving Rhames, o elenco ganha um reforço de peso: Henry Cavill, Angela Basset e Vanessa Kirby se juntam ao time. Cruise também é produtor do filme, ao lado de Jake Myers, J.J. Abrams e do diretor Christopher McQuarrie, que ainda assina o roteiro e a direção de produção.

TRAILER

Read More...

Agora, Mundo

Johnson & Johnson é condenada a pagar US$ 4,6 bilhões por talco que pode ter causado câncer

A Johnson & Johnson foi condenada a pagar US $ 4,69 bilhões para 22 mulheres e suas famílias que alegaram que o amianto nos produtos de talco da empresa fez com que desenvolvessem câncer de ovário.

Um júri de um tribunal do Missouri, nos EUA, concedeu US $ 4,14 bilhões em indenizações punitivas e US $ 550 milhões em danos compensatórios para as mulheres, que acusaram a empresa de não avisá-las sobre os riscos de câncer associados ao produto. O veredicto é o último resultado de uma série de milhares de ações apresentadas contra Johnson & Johnson relacionadas ao talco.

A Johnson & Johnson, fabricante do talco Baby Powder, disse em nota que ficou “profundamente desapontada” com o veredicto e planejou apelar. A gigante farmacêutica – que nega as acusações, enfrenta cerca de 9 mil processos judiciais envolvendo o talco que fabrica para bebês, de acordo com o The New York Times.

“Depois de um julgamento de seis semanas, o júri em St. Louis deliberou sobre os danos compensatórios por oito horas, mas decidiu sobre os danos punitivos em cerca de 45 minutos”, disse Mark Lanier, o advogado das mulheres.

Johnson & Johnson

Seis das mulheres morreram; quase todo o resto, junto com amigos e parentes, estavam no tribunal na última quinta-feira (12). “Um dos queixosos está passando por quimioterapia e estava doente demais para comparecer”, disse Lanier.

“Havia pessoas chorando, pessoas se abraçando”, acrescentou. “Foi uma cena bastante emocionante.”

Mark Lanier disse que “a Johnson & Johnson passou 40 anos encobrindo evidências de amianto em alguns de seus produtos à base de talco e deveria marcar esses produtos com rótulos de alerta ou focar em pós feitos com amido de milho”.

“Os danos punitivos estão entre os maiores já concedidos em um caso de responsabilidade pelo produto”, disse ele. As ações da Johnson & Johnson caíram 1,4% no início do pregão de sexta-feira devido a decisão do tribunal.

Em nota, a Johnson & Johnson disse que “continua confiante de que seus produtos não contêm amianto e não causam câncer de ovário e pretende buscar todas as soluções de recursos disponíveis”. A empresa ainda disse que “as preocupações sobre o talco estar ligado ao câncer são baseadas em pesquisas inconclusivas”. Vale salientar que o talco é um mineral que, às vezes, pode ser encontrado no solo próximo ao amianto.

Outras decisões

Em outubro de 2017, uma Corte de Apelações de Los Angeles barrou uma decisão que condenava a Johnson & Johnson a pagar 417 milhões de dólares, assinalando que os argumentos dos demandantes eram insuficientes e vagos.

Read More...