Ebola: Vacina passa no primeiro teste de segurança

Ebola: Vacina passa no primeiro teste de segurança

Ebola: Vacina passa no primeiro teste de segurança

Romário Nicácio novembro 30, 2014 Saúde

Está sendo desenvolvida uma vacina experimental em combate ao vírus Ebola sendo produzida pela GlaxoSmithKline, ela não causou efeitos colaterais graves e gerou imunidade no organismo de todos os 20 voluntários saudáveis que fizeram parte da fase inicial de um estudo clínico, conforme cientistas publicaram na revista New England Journal of Medicine.

A experiência teve inicio em 2 de setembro e acompanhará os voluntários durante 48 semanas, e é destinada ao objetivo de avaliar a segurança da vacina. Mas a resposta imune nos proporciona a esperança de que será positivamente eficaz no combate a doença.

“O perfil de segurança é encorajador, assim como a constatação de que uma maior dose da vacina nos levou a crer que existe uma resposta imune semelhante àquela que protegeu completamente animais (de laboratório) do Ebola”, disse o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID), doutor Anthony Fauci, que está orientando a experiência em Bethesda, Maryland.

A vacina intramuscular foi fabricada no NIAID e na Okairos, uma empresa de biotecnologia adquirida pela GlaxoSmithKline. Nela é contido o material genético de duas cepas do Ebola Zaire, sendo o maior causador pelo atual surto na África Ocidental e Sudão, mas nenhum vírus, por isso não pode causar a doença.

Por ser considerado um ato antiético expor os voluntários ao Ebola, os pesquisadores procuram diagnosticar se as candidatas a vacinas são eficazes na produção de anticorpos contra o Ebola e de células-T do sistema imunológico.

Os voluntários do estudo clínico tem idades entre 18 e 50 anos. Metade deles recebeu uma dose mais baixa e metade uma dose maior. Todos os 20 desenvolveram anticorpos anti-Ebola em quatro semanas, e os que tomaram uma dose maior proporcionaram uma produção de mais anticorpos.

O doutor Daniel Bausch, da Universidade de Tulane, considerou os resultados prósperos, mas alertou que antes que a segurança e eficácia da vacina sejam estabelecidas, ainda existem muitos desafios pela frente.

Outra vacina da GlaxoSmithKline, contra a cepa Zaire, está passando por testes de segurança na Inglaterra, Mali e Suíça, e outra da NewLink Genetics, sediada em Iowa, nos Estados Unidos, está sendo testada em Maryland.

Nesta semana, a Merck anunciou que comprará os direitos da vacina da NewLink por 50 milhões de dólares. Testes de uma vacina contra o Ebola da Johnson & Johnson deverão ter inicio em janeiro.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos