Hacker deixa Coreia do Norte sem Internet enquanto assiste à saga Alien

Hacker deixa Coreia do Norte sem Internet enquanto assiste à saga Alien

Sem dúvida, o título pode valer o início de um filme de Hollywood, embora se pensarmos bem, parece difícil que seja um roteiro baseado em fatos reais. Seria realmente possível? De acordo com um artigo da Wired, foi exatamente isso que aconteceu.

O hacker desta história, que por razões óbvias não recebe um nome, é conhecido no mundo como P4X. Aparentemente, a Coreia do Norte começou a ter interrupções misteriosas em sua rede. Estes foram se intensificando até culminar no final de janeiro, quando a rede ficou literalmente en apagão total.

Embora não tenha ficado totalmente claro o que causou o acidente, houve especulações de que a rede norte-coreana pode ter sido vítima de ataques cibernéticos e hacks de espiões. No entanto, esta queda foi colocada no lombo de uma pessoa: P4X, e como explicou à Wired, derrubou a “ditadura comunista” porque ele próprio foi atacado por alguns dos hackers do país.

Na verdade, foi o trabalho de um homem americano de camiseta, calça de pijama e chinelos, sentado em sua sala de estar noite após noite, assistindo a filmes de Alien e comendo lanches, e periodicamente entrando em seu escritório para verificar o progresso dos programas que ele estava executando para atrapalhar a internet de um país inteiro“.

Aparentemente, em janeiro deste ano, um relatório do Grupo de Análise de Ameaças do Google (TAG) revelou uma campanha de hackers “em andamento” direcionada a pesquisadores de segurança envolvidos em pesquisa e desenvolvimento de vulnerabilidades. A fonte da campanha, ao que parece, foi uma “entidade apoiada pelo governo baseada na Coreia do Norte”.

E é aí que aparece o P4X, que estava entre o grupo de pesquisadores de segurança envolvidos na investigação (e posteriormente vítimas do ataque). O hacker explica que o FBI entrou em contato com ele para informá-lo de que ele havia sido alvo de um ataque, mas, segundo ele, disse que a conversa não foi satisfatória, momento em que decidiu agir por conta própria. “Eu senti que era a coisa certa a fazer”, disse ele à Wired. “Se eles não virem que temos dentes, eles continuarão saindo.”

E o que ele fez? O P4x explorou uma série de vulnerabilidades, fazendo com que vários dos principais servidores e roteadores do país fossem rastreados por meio de ataques de “negação de serviço”. O hacker explica que grande parte do software usado pelo governo norte-coreano está “extremamente desatualizado“, tornando-o um alvo fácil.

Desta forma, ele conseguiu derrubar a maioria dos serviços baseados na internet do país, embora não esteja claro que tipo de consequências isso teve, já que a maioria dos norte-coreanos nem tem acesso à internet, e a maioria das redes que operam no país são usados ​​apenas para espalhar propaganda.

E até onde possa parecer, a Wired relata que as gravações de tela fornecidas pelo hacker, bem como a análise da atividade da NK na web durante os supostos ataques, parecem confirmar tais alegações. De acordo com o portal:

Registros do serviço de medição de tempo de atividade Pingdom mostram que em vários pontos durante o hack P4x, quase todos os sites norte-coreanos estavam inativos. (Alguns dos que ficaram, como o site de notícias Uriminzokkiri.com, estão sediados fora do país.) Junade Ali, pesquisador de segurança cibernética que monitora a Internet na Coreia do Norte, diz que começou a observar o que pareciam ser ataques misteriosos e em larga escala na Internet do país a partir de duas semanas e tem acompanhado de perto os ataques desde então sem saber de nada. ideia de quem os estava realizando“.

A propósito, aparentemente as ações do P4X devem ter violado várias leis dos EUA, embora algo me diga que não acontecerá muita coisa com o hacker.

Quer receber as principais notícias do Dinastia Nerd no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Rafael Nicácio

Rafael Nicácio

Co-fundador e redator do Dinastia, é um dos responsáveis pela administração do site. Conta com a experiência de ter atuado nas assessorias de comunicação do Governo do Estado do Rio Grande do Norte e da Universidade Federal do RN. Trabalha com administração e redação em sites desde 2013 e, atualmente, também administra a página oportaln10.com.br.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.