Dinastia Literária: 4 livros para apaixonados por investigação

Dinastia Literária: 4 livros para apaixonados por investigação

Ora, ora! Temos aqui um Xeroque Rolmes… Bem, difícil é achar quem não goste de um bom mistério, e que nunca tenha creditado a si um “q” do pitoresco investigador criado pelo célebre sir Arthur Conan Doyle. O fato é que suspense, mistério e investigações são artifícios que permeiam a mente de uma grande parte das pessoas, e que por isso rendem as mais incríveis tramas e enredos, principalmente na literatura, onde histórias de crimes e detetives surgem em profusão. Pensando em auxiliar o leitor que se inicia nesse riquíssimo gênero, o Dinastia Literária traz 4 livros essenciais para apaixonados por investigação. Então pegue seu cachecol, cachimbo e casaco, e mãos a obra!

NÃO FALE COM ESTRANHOS (HARLAN COBEN)

Não Fale Com Estranhos (2015)

Se você conhece ou já ouviu falar em Harlan Coben sabe que grande parte dos seus livros fazem o leitor não querer largar o livro até que a última página seja virada e o mistério que percorreu toda a história seja completamente revelado. Não Fale Com Estranhos não foge desse seleto grupo de livros do Coben. Inclusive, ele entra para a minha lista de preferidos do gênero.

Na trama o autor cria uma teia de segredos, mentiras e chantagens que leva a desaparecimentos, desespero, paranoia e assassinatos ao mesmo tempo que culmina em revelações surpreendentes e inesperadas. O senso de urgência do leitor é acentuado com o desenrolar da trama, e é impossível não se sentir compelido a tentar desvendar por conta própria o desenrolar da trama.

Em livros como esse o melhor é embarcar sabendo o menos possível, inclusive, a o autor trabalha atualmente em parceria com a Netflix transformando vários de seus livros em séries e minisséries, incluindo o próprio Não Fale Com Estranhos que tem sua série já disponível na plataforma.

FÁBRICA DE VESPAS (IAIN BANKS)

Fábrica de Vespas (1984)

Fugindo um pouco do tema, mas ainda dentro dele, esse livro é inquietante e cheio de nuances.

Bizarro, forte e surpreendente, Fábrica de Vespas é dono de um final que, com toda certeza, o leitor não espera em momento algum durante a leitura. Ele te faz temer o personagem ao mesmo tempo que nutre um sentimento de revolta contra as atitudes e em paralelo te deia interessado ao ponto de querer saber até onde ele pode chegar.

Banks deixa uma pergunta clara: já pensou como é a mente de um psicopata enquanto está crescendo?

OUTSIDER (STEPHEN KING)

Outsider (2018)

Você já sentiu aquele arrepio nos pelos do corpo ou um calafrio descendo pela espinha quando começa a imaginar o que há lá fora, no escuro do mundo, nos espreitando enquanto seguimos nosso dia-a-dia? Imaginamos uma infinidade de coisas e, neste livro, King nos apresenta uma delas.

Entre citações ao grande Poe e homenageando um dos escritores de romance policial que mais adoro, Harlan Coben, King entrega um livro muito bom que o leva a misturar investigação e sobrenatural mais uma vez. Stephen King entrega uma de suas melhores histórias, para mim, ele faz com que você se envolva e se importe com os personagens e traz bastante daquela pegada mais violenta e brutal dos livros antes de 2000.

Se você já leu a trilogia Bill Hodges (Mr. Mercedes) vai estar familiarizado com a escrita dele neste livro e também com um importante personagem que retorna aqui. Caso não tenha lido a trilogia e vá começar por esse, é possível, porém, você receberá spoilers.

O livro tem um bom ritmo apesar da quantidade de páginas poder assustar um pouco, tudo passa muito rápido e o final é agridoce de uma maneira que King já é profissional em fazer e deixa algumas questões para o próprio leitor imaginar, afinal, não há fim para o universo que existe na cabeça de cada leitor.

O HOMEM DE GIZ (C. J. TUDOR)

O Homem de Giz (2018)

Digo sem medo que Tudor merece um lugar na estante junto de King!

Primeiro de tudo, esse livro é uma grande homenagem ao mestre. Em um momento você vai sorrir (por mais terrível que a história seja) e lembrar de uma cena muito semelhante em O Cemitério do Stephen King. A escritora não enrola e desenvolve uma boa história em quase 300 páginas.

É possível se apegar aos personagens e ela conseguiu fazer algo que poucos escritores me fizeram feliz no quesito: escrever sobre crianças, infância e todo essa fase de transição para a adolescência de maneira nostálgica e satisfatória.

Minhas expectativas eram pouquíssimas e me surpreendi. Não vejo a hora de ler mais da Tudor.

Não deixem a oportunidade passar; é um suspense que te faz devorar uma página atrás da outra alternando entre a infância nos anos 80 e o presente em 2016, com os personagens já adultos na maior vibe IT! E isso não é em nada ruim.

É creepy, levemente bizarro e com um drama deliciosamente traumático.

Mas e aí, pronto para sair em busca da verdade? Você acha que tem a perspicácia necessária? Conta pra gente nos comentários, e não deixe de conferir mais conteúdo como esse aqui no Dinastia N. Para mais novidades e conteúdos sobre filmes, séries, livros, jogos, e tudo que envolve o universo Nerd/Geek confira também nossas redes sociais!

TextoAntônio Gomes
Edição: Augusto “Clark” Miranda

Quer receber as principais notícias do Dinastia Nerd no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Redação do Dinastia N

Redação do Dinastia N

O Dinastia Nerd traz as novidades do mundo Geek/Nerd de forma dinâmica, precisa e com muita interatividade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.