17 personagens amados dos quadrinhos que são LGBT+ e talvez você não saiba

17 personagens amados dos quadrinhos que são LGBT+ e talvez você não saiba

Ao longo dos anos, o coletivo LGTB+ (lésbicas, gays, transgêneros, bissexuais, entre outrxs) fez seu caminho para os quadrinhos. Há uma pluralidade cada vez maior gêneros nas HQ’s. Por ocasião do Dia Internacional contra a Homofobia, que ocorre nesta semana (17 de maio), decidimos elencar 17 personagens LGTB+ dos quadrinhos, ou pelo menos os que melhor representam o movimento, para reuni-los na mesma lista. São personagens de quadrinhos que servem de exemplo para milhões de leitor@s.

Neste artigo você encontrará mais de uma dezena de heróis e heroínas (e algum ser humano comum, mas que se mistura entre os super-seres) que vivem sem medo e muito orgulhosos de sua sexualidade.

Possivelmente, muitos dos personagens que mencionamos nem sabiam que eram homoafetivos. Outros decidiram não esconder mais a realidade, mas vivê-la de maneira plena. Em todo caso, você também encontrará alguns nomes de personagens bastante famosos, que a menos que você conheça os quadrinhos, certamente nunca teria considerado sua orientação sexual ou sua identificação com a comunidade LGTB.

1 – Estrela Polar

Um dos membros fundadores da Alpha Flight (Tropa Alfa) foi originalmente concebido como gay, mas devido à censura da época, nunca foi tornado público abertamente. Nos anos 1990, durante uma história em quadrinhos com o objetivo de aumentar a conscientização sobre a AIDS (visão errada da época de que existia uma relação entre os fatos, felizmente a sociedade superou esse estigma), Jean Paul Beaubier (nome verdadeiro do personagem) admitiu abertamente sua orientação sexual.

2 – Mulher Maravilha

Como já dissemos em outros artigos sobre a Mulher Maravilha, a amazona da DC Comics é abertamente bissexual, o que faz bastante sentido, uma vez que Themyscira é uma ilha de mulheres.

O escritor Greg Ruck oficializou essa orientação sexual, que Grant Morrison canonizou em Mulher Maravilha: Terra Um.

3 – Mística

Raven Darkhölme é conhecida por ser uma metamorfa extremamente habilidosa sendo por vezes mulher e por vezes homem, nada mais natural que perceber essa mudança também em seus amantxs, tanto homens quanto mulheres. Seu relacionamento mais antigo foi com Irene Adler, mais conhecida como Sina.

Junto com sua amante, ela liderou conjuntamente a Irmandade dos Mutantes por um tempo. Ambas foram algumas das primeiras antagonistas lésbicas da Marvel.

4 e 5 – Apolo e Meia-Noite

Eles eram parecidos com Superman e Batman no Universo Wildstorm. Dois dos membros mais temíveis do supergrupo conhecido como ‘A Autoridade‘ eram parceiros de longa data e casados. A tal ponto que, ao longo do tempo, adotaram a pequena Jenny Quantum, destinada a ser o espírito do século 21, guardiã da Terra.

No Novo Universo DC, o relacionamento foi reconectado, embora eles ainda sejam um casal de fato, e também um dos primeiros casamentos gays dos quadrinhos.

6 – Aaron

Aaron é um personagem de The Walking Dead, cuja relação com seu namorado Eric marcou a normalização dos personagens LGTB+ na realidade das HQs de zumbi, após a apresentação anterior do casal formado por Dexter e Andrew.

Na verdade, Aaron, Eric, Dexter e Andrew não são os únicos personagens LGTB+ em The Walking Dead. Se você der uma olhada tanto na série quanto nos quadrinhos, ou na série de videogames, encontrará outros representantes do coletivo.

7 e 8 – Wiccano e Hulkling

Em alguns países, como no Brasil, a HQ chegou a sofrer censura

Wiccano (Billy) um dos dois filhos de Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, foi um dos membros fundadores do grupo conhecido como Jovens Vingadores. Nas páginas desta história em quadrinhos foi estabelecido que o herói adolescente era homoafetivo e apaixonado pelo Hulkling (Teddy), um híbrido Kree-Skrull, filho do Kree Mar-Vell (Capitão Marvel) com a filha do Imperador Skrull, Princesa Anelle. Os dois eram o casal adolescente mais conhecido da Marvel na última década.

9 – Wanda Mann

Wanda Mann (nascido Alvin Robert Gales Mann) foi uma das primeiras personagens transexuais (uma mulher não cis, que nasceu no corpo de um homem) dos quadrinhos. Ela apareceu na história em quadrinhos de Neil Gaiman, The Sandman, durante o Volume 4, intitulado A Game of You.

Wanda era uma personagem meramente secundária, mas com certo impacto na comunidade de leitores. Por isso, queremos lembrá-la neste relatório.

10 – Homem de Gelo

Bobby Drake, revelou-se gay recentemente, liderado (e libertado) pelo escritor Brian Michael Bendis. Aparentemente, durante anos ele teve vergonha de ser um mutante, por isso também mascarou o fato de sentir-se atraído por homens, o que considerou como motivo a mais para sofrer preconceito.

Com a ajuda de Jean Grey e uma versão mais jovem de si mesmo, ele foi capaz de se aceitar. Além de ser considerado um mutante ômega, Bobby também é um dos heróis mutantes mais queridos do público.

11 – John Constantine

John Constantine nas HQs

O mago mais desonesto e trapaceiro da DC Comics também se junta à nossa lista. Não é nenhum segredo que John Constantine, o bruxo vivo que mais flertou do que fez magia, é bissexual.

Na verdade, quando foi dito que sua sexualidade não poderia ser explorada em sua série de televisão (como ocorria nos quadrinhos), houveram controvérsias. Felizmente, o Arrowverse corrigiu isso, exibindo seu interesse por homens e mulheres na série Legends of Tomorrow (Lendas do Amanhã), o que só deixou o personagem ainda mais amado e carismático (principalmente ao lado de Sara Lance, a Canário Branco – que também é bissexual).

12 e 13 – Quasar e Serpente da Lua

Formaram um casal de lésbicas durante os eventos de Aniquilação: A Conquista e Guardiões da Galáxia. Elas também foram um dos primeiros casais do mesmo sexo da Marvel nos anos 2000.

No entanto, devemos observar que o tom excessivamente dramático de seu relacionamento também é considerado um estereótipo negativo dentro da indústria de quadrinhos. Mesmo assim, quereremos acreditar nas boas intenções dos roteiristas.

14 – Batwoman

Embora a Batwoman original fosse um personagem coadjuvante de Batman na década de 1950, quando ela foi reintroduzida nos quadrinhos em 2006, ela recebeu uma reviravolta. Kate Kane era uma personagem de ascendência judia e abertamente lésbica, que estava prestes a se casar com sua namorada.

Uma adaptação deste evento é mencionada em Batman Arkham Knight. Mas também é mais um exemplo de personagem bem aceita e adaptada ao Arrowverse.

15 – Miss América

Uma das mais recentes adições ao Universo Marvel. A atual Miss América da Marvel Comics é América Chavez, uma jovem adolescente da comunidade LGBT+.

Como detalhe, América Chávez é uma personagem com quem a Marvel busca identificar tanto mulheres quanto membros do coletivo LGTB, bem como jovens de origem latina. Tudo isso em linha com sua estratégia de conscientização e exposição às minorias. Ainda sim, o esforço na representatividade é válido.

16 – Arlequina

A ex-assassina do Coringa já teve namorados e namoradas. Embora ela tenha sido associada ao Palhaço do Crime, Harley Quinn teve muitos outros relacionamentos. Por isso, é considerada um ícone bissexual.

Sendo um dos relacionamento femininos mais duradouros com a vilã Hera Venenosa, o que ocorre durante o tempo no qual elas eram parte das “Sereias de Gotham“.

17 – Deadpool

Deadpool foi objeto de controvérsia não muito tempo atrás, quando seu atual roteirista Gerry Duggan apontou que o personagem era pansexual, algo que seu criador Fabian Nicieza parecia ver de forma um pouco diferente. A polêmica passou a existir não exatamente por causa de sua sexualidade, mas porque sua orientação sexual foi atribuída às mudanças hormonais que ocorreram em seu cérebro como resultado de tantos tiros, golpes e eviscerações recebidas.

Fabian chegou a descrever Deadpool, não como pansexual (o que poderia dar o entendimento de que ele se sentiria atraído por qualquer coisa, mesmo de outras raças ou inanimadas), mas que na verdade ele seria um personagem de gênero-fluido, ora se sentindo atraído por homens, como seus “amigos” Cable e Homem Aranha, ora por mulheres como as suas amadas, Vanessa e “Senhora Morte“.

Esperamos que com esse texto você possa ter entendido mais sobre esses amados personagens, que representam nos quadrinhos, não só boa parte do público LGBT+, mas alguns dos personagens mais queridos de qualquer bom leitor de quadrinhos. Isso claro, independente de sua identificação de gênero. O mais importante sempre é manter o respeito, aceitar e acolher quaisquer diferenças e claro, ser feliz como você é. O Dinastia N vai estar sempre aberto a todxs!

OBS: “X” e “@” são formas de escrever, sem discriminar o gênero, por isso usamos em alguns momentos de forma respeitosa.

Por: Hiago Luis e Rafael Nicácio

Quer receber as principais notícias do Dinastia Nerd no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Redação do Dinastia N

Redação do Dinastia N

O Dinastia Nerd traz as novidades do mundo Geek/Nerd de forma dinâmica, precisa e com muita interatividade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.