Ciência

“Dilema de Darwin” pode ser resolvido por cientistas norte-americanos

Charles Darwin se preocupava com um possível furo na sua teoria da evolução, mas alguns cientistas americanos podem ter entendido essa brecha. Por cerca de um bilhão de anos após a vida na Terra, os organismos não evoluiu tanto assim.

Em seguida, cerca de 600 milhões de anos atrás, veio a “explosão cambriana”. Tudo mudou de forma relativamente rápida, com todos os tipos de plantas e animais emergentes que não parecem se encaixar bem com a teoria de Darwin da mudança lenta, daí o “dilema de Darwin”. segundo a ABC News, agora dois novos estudos publicados poderiam explicar a mudança.

Um deles, por cientistas de Yale do Instituto de Tecnologia da Geórgia, sugere que os níveis de oxigênio podem ter sido muito menores na atmosfera antes da explosão cambriana do que os especialistas pensavam. O ar pode ter sido apenas 0,1% de oxigênio, o que não poderia sustentar organismos complexos de hoje.

Em um estudo separado, um professor da Universidade do Texas, explica que o estouro de oxigênio pode ter vindo de grandes mudanças tectônicas. Essa mudança teria colocado mais oxigênio para a atmosfera, e trouxe água rica em nutrientes do fundo do oceano para águas pouco profundas, ajudando a fomentar novas formas de vida.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.