Covid-19: número de pacientes em estado grave diminui no RN

abril 18, 2020 0 Por Rafael Nicácio
Covid-19: número de pacientes em estado grave diminui no RN

A ocupação de 20% dos leitos de unidades de terapia intensiva e semi-intensiva sobre a oferta destinada aos pacientes de Covid-19, na rede hospitalar estadual, é considerado um aspecto positivo do Governo do Estado no combate ao avanço do novo coronavírus no Rio Grande do Norte. No boletim apresentado em entrevista coletiva neste sábado (18) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), o secretário adjunto Petrônio Spinelli informou que há 80 pessoas internadas, sendo 21 de risco grave. Com relação ao aumento de número de casos positivos, houve redução de 10 casos de ontem para hoje, se comparado ao aumento de casos de quinta para sexta.

No total, 147 municípios têm casos confirmados, totalizando 516 pessoas atingidas pela Covid-19. O número de óbitos subiu para 24, em 11 municípios; o último registrado foi um paciente idoso oriundo da cidade de Encanto, no Alto Oeste, que faleceu no Hospital Regional de Pau dos Ferros. Foram descartados 35 e 10 óbitos estão sendo investigados.

Segundo Spinelli, a diminuição da curva de pacientes de risco mais grave diminuiu, o que é um reflexo das ações que estão sendo tomadas quanto à vigilância sanitária e à assistência hospitalar. “O Governo avançou nas parcerias para abertura de leitos e hoje há 98 leitos críticos nos hospitais do Estado. Isso se deve às medidas de contenção e de isolamento social, contando também com a adesão de uma parcela da população”, disse.

Ele informou que o Estado conseguiu avançar na construção de leitos para atender pacientes críticos e também nas parcerias com os municípios de Mossoró, Parnamirim e São Gonçalo, e nos contratos com entidades de filantropia, à exemplo da Liga Norte-rio-grandense Contra o Câncer (LNCC) e com a APAMIM (Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância de Mossoró), que passa a administrar o Hospital São Luiz naquela cidade. “Estamos interiorizando as ações de combate ao coronavírus. De acordo com nosso plano estratégico de oferta de leitos, toda semana temos que ter mais leitos”, explicou.

Isolamento é necessário

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

O secretário adjunto aponta que o está acontecendo hoje refletirá daqui a 10 ou 15 dias, portanto, a redução do isolamento social – que atualmente está na casa dos 46% – segundo monitoramento realizado pelo LAIS ((Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde/Hospital Universitário Onofre Lopes – HUOL/UFRN), é extremante preocupante. “Precisamos garantir isolamento de pelo menos 60%. Mesmo considerando alguns fatores como as ajudas assistenciais que têm sido pagas e uma corrida ao comércio, nosso objetivo é que pelo menos 60% da população fique em casa. Por isso, queremos fazer um apelo mais uma vez a todos para ficarem em casa”, pediu o secretário.