Cosern desativa “gatos” de energia em 3 academias de Natal

Cosern desativa “gatos” de energia em 3 academias de Natal

Cosern desativa “gatos” de energia em 3 academias de Natal

Estabelecimentos nos bairros do Alecrim, Capim Macio e de Lagoa Seca desviavam energia por meio de fraudes nos medidores (Fotos: Cosern/Divulgação)

Rafael Nicácio agosto 13, 2021 Plantão Policial

Equipes técnicas da Cosern, com apoio das polícias Civil e Militar, desativaram ligações clandestinas de energia (o popular “gato”) em três academias de Natal ao longo desta semana.

Os estabelecimentos, que ficam localizados nos bairros do Alecrim, Capim Macio e de Lagoa Seca, desviavam energia por meio de fraudes nos medidores.

No último caso, nesta sexta-feira (13), o responsável pela academia, localizada na rua Antônio Farache, no bairro de Capim Macio, foi conduzido pela polícia para a 10ª Delegacia de Polícia para prestar depoimento.

O gato de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena para o responsável pela fraude pode chegar a oito anos de reclusão. Além de crime, o “gato” representa risco de morte a quem faz e a quem está próximo. A ligação clandestina também provoca perturbações no fornecimento de energia da região e pode causar a queima de eletrodomésticos dos vizinhos.

É muito importante que os potiguares saibam que todos nós pagamos pelo prejuízo causado pelos gatos de energia”, alerta o Superintendente de Relacionamento com Clientes da Cosern, Júlio Giraldi. “Todos os anos, no momento de definir o valor do reajuste tarifário, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) inclui no cálculo um pequeno percentual relativo à esses furtos”, complementa Júlio.

Os consumidores que se sentirem lesados com essa prática criminosa (uma vez que o prejuízo causado pelos desvios é dividido por todos) podem denunciar, de forma totalmente anônima, por meio do telefone 116, WhatsApp (84) 3215-6001 e pelo site da Cosern.

A fraude é quando o consumidor já é cliente da Cosern e manipula o medidor de energia com o objetivo de reduzir o consumo faturado”, explica Gilmar Mikeias, Gerente de Recuperação da Receita da Cosern. “Já o furto consiste em desviar energia diretamente da rede elétrica da Cosern sem a medição do consumo e o conhecimento da distribuidora”.

Números do primeiro semestre

A Cosern recuperou 12,5 milhões de kWh de energia com as ações da “Operação Varredura” no primeiro semestre de 2021. Nesse período, foram realizadas 24.251 inspeções, identificadas 2.354 irregularidades (entre fraudes e defeitos na medição) e cinco pessoas foram presas pela polícia em todo estado.

Esse volume seria suficiente para abastecer, por um mês, um município do porte de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal, por exemplo, ou quase 82 mil unidades consumidoras. Para se ter uma ideia, o consumo médio de uma residência potiguar em junho foi de 153 kWh.

Entre os casos de maior repercussão no primeiro semestre, técnicos da Cosern desativam 40 ligações clandestinas de energia na Ceasa, em Natal, em fevereiro, e autuaram pela segunda vez em menos de seis meses um parque de diversões que fazia uso de energia elétrica de forma clandestina em Parnamirim, em maio, colocando em risco a segurança dos frequentadores.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial.

Outros artigos