Mundo

Contra terrorismo, premier britânico quer proibir WhatsApp

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, estaria analisando a possibilidade de bloquear os serviços do WhatsApp, iMessage e FaceTime, como medida antiterrorismo no país considerado o mais vigiado do mundo.

Segundo o Daily Mail, esses e outros serviços de comunicação on-line não podem ser controlados pelas agências de inteligência, o que facilita conversas criptografadas entre radicais islâmicos. No entanto, a medida iria contra aos direitos e liberdades individuais.

O site informou ainda, que a proibição consta na proposta de reforma das leis de espionagem eletrônica antiterrorista na Grã-Bretanha, defendida por Cameron.

O tema, porém, deverá ser discutido publicamente apenas depois das eleições de maio, pois já começou a gerar polêmica e um dos opositores ao projeto é o vice-premier Nick Clegg, que considera a reforma “uma carta branca para espiões”, afirmando que invadir a privacidade de terroristas é aceitável, “mas isso não pode significar uma invasão à privacidade de qualquer pessoa no Reino Unido”, disse Clegg.

A questão veio à tona logo após os atentados terroristas em Paris, na semana passada, contra o semanário Charlie Hebdo e contra um mercado judaico.

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Romário Nicácio

Administrador de Redes. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento. Redator de sites desde 2009, passando pelo Notícias da TV Brasileira (NTB), Blog Psafe e vários outros de temas variados. E-mail: romario@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.