Foto: Nilson Bastian / Câmara dos Deputados

Sem a necessidade de quórum e com apenas cinco deputados na sala de reunião marcada para esta terça-feira (28), o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados instaurou processo contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ).

Os deputados Zé Geraldo (PT-PA), Wellington Roberto (PR-PB) e Valmir prascidelli (PT-SP) foram sorteados e poderão relatar o caso. O presidente do colegiado, deputado José Carlos Araújo (PR-BA) ainda deve conversar com cada um dos parlamentares antes de escolher um nome, o que só deve ocorrer na próxima semana. Após a designação do relator, este terá prazo de dez dias úteis para apresentar um relatório preliminar aceitando ou não a representação.

A escolha dos nomes levou em conta que o relator não poderá ser do mesmo estado, partido nem coligação de Bolsonaro.

A representação contra Bolsonaro foi apresentada pelo Partido Verde, que acusa o deputado de quebra do decoro parlamentar durante a sessão da Câmara que aprovou a abertura do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff em abril. Para o PV, Bolsonaro fez apologia ao crime de tortura ao homenagear o coronel Brilhante Ustra, já reconhecido pela Justiça como torturador no período da ditadura militar.

Jair Bolsonaro já se defendeu em público com o argumento de que ainda não há condenação definitiva para Ustra e que os deputados têm imunidade parlamentar por seus votos e palavras.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.