DestaquesNetflix

Como deve funcionar o “controle de senhas” na Netflix?

Entenda como a empresa pode controlar o acesso de usuários extras agora que irá cobrar assinantes que compartilharem suas senhas

Após a Netflix anunciar que irá cobrar assinantes que compartilharem suas senhas com pessoas fora da mesma casa, muitos usuários passaram a se perguntar como a plataforma irá controlar os acessos extras e determinar as taxas de cobranças.

A questão surge, principalmente, para famílias com mais de uma casa ou amigos que compartilham os custos de uma única assinatura.

De acordo com Fabro Steibel, diretor-executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS-Rio), muitos mecanismos podem ser utilizados, mas nenhum possui a precisão necessária para aplicação de cobranças extras.

Apesar das especulações, a Netflix ainda não divulgou quais serão os mecanismos utilizados pela operadora de streaming para realizar o controle de usuários. No primeiro momento, especialistas sugeriram que a empresa utilizasse ferramentas de rastreamento a partir dos aparelhos conectados. Entretanto, a medida poderia ser um pouco quanto invasiva para os assinantes.

Pouco tempo depois, após o anúncio oficial da expansão global das cobranças, rumores apontavam que o endereço de IP – código de identificação presente em redes de internet – poderia ser a solução mais eficiente para o problema. Entretanto, Steibel explica porque a medida pode não ser tão eficaz.

É possível fazer esse controle pelo IP, mas o registro captado por aplicativos não é dos dispositivos, mas, sim, do seu ponto de internet. Então quando você está dentro de uma empresa ou utilizando a internet do condomínio, esse endereço pode ter variações”, afirma.

Segundo o especialista, o uso do endereço cadastrado no momento da assinatura poderia ser uma alternativa. “O Spotify já utiliza isso em seus planos familiares”, destaca. Entretanto, apesar da possibilidade, usuários que utilizam o aplicativo da plataforma em aparelhos móveis podem ter problemas ao assistirem filmes e séries durante trajetos em movimento.

Apesar da incerteza dos mecanismos que serão adotados pela Netflix, Fabro acredita que o streaming não deve ser tão duro com seus assinantes quanto se espera. “Os brasileiros gostam de compartilhar. A questão aqui não é excluir usuários, mas buscar assinantes que estão dispostos a pagar mais pelo compartilhamento de senhas”, diz.

A queda da Netflix

A Netflix divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2022 na última terça-feira (19 de abril) e apresentou uma queda histórica em seu número de assinantes, totalizando uma perda total de 200 mil usuários da plataforma. Após a publicação do reporte, as ações da empresa apresentaram uma queda de 26% no after market da bolsa de Nova York.

Com o declínio, a Netflix passou a buscar alternativas para o aumento de sua receita. A criação de assinaturas mais baratas com apoio de anúncios e a cobrança de assinantes que compartilham suas senhas com familiares e amigos são algumas das soluções estudadas pela empresa no momento.

Com informações do Money Times*

Quer receber as principais notícias do Portal N10 no seu WhatsApp? Clique aqui e entre no nosso grupo oficial. Para receber no Telegram, clique aqui

Siga o Portal N10 no Google News para acompanhar nossas notícias. Clique na imagem abaixo!

Rafael Nicácio

Co-fundador dos canais Portal N10, Jerimum Geek e do Tudo em Dicas. Já trabalhou na Assecom (Assessoria de Comunicação do Governo do Rio Grande do Norte) e na Ascom (Assessoria de Comunicação da UFRN). E-mail para contato: rafael@oportaln10.com.br

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Olá pessoal! O acesso ao nosso site é gratuito, porém precisamos da publicidade aqui presente para mantermos o projeto online. Por gentileza, considere desativar o adblock ou adicionar nosso site em sua white-list e recarregue a página.