Mundo

China e EUA definem ‘bases’ para acordo comercial

Rodada de negociações ocorreu entre 7 e 9 de janeiro

(ANSA) – A China diz ter definido com os Estados Unidos as “bases” para resolver a disputa comercial entre os dois países, durante as negociações realizadas entre os dias 7 e 9 de janeiro, em Pequim.
    Por meio de uma nota, o Ministério do Comércio do país asiático falou em “diálogos amplos, profundos e detalhados” e disse que foram feitos “avanços em temas estruturais”, como “transferência de tecnologia e proteção da propriedade intelectual”.
    “Foram definidas as bases comuns para enfrentar as questões de mútua preocupação”, afirmou o porta-voz da pasta, Gao Feng. Em 1º de dezembro passado, os presidentes Donald Trump e Xi Jinping assinaram uma trégua de 90 dias na guerra comercial entre os dois países.
    Se não houver acordo nesse período, ambos os governos podem estabelecer sobretaxas alfandegárias de 25%. Ao longo do ano passado, Trump já havia sobretaxado em 10% cerca de US$ 250 bilhões em produtos chineses, enquanto Pequim reagiu com a mesma tarifa, mas sobre US$ 110 bilhões em itens americanos.
    Essas taxações foram mantidas, apesar da trégua. O país asiático possui um superávit comercial com os EUA avaliado em US$ 375 bilhões.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias em seu e-mail. O artigo continua após o formulário!

Mantemos seus dados privados e os compartilhamos apenas com terceiros que tornam esse serviço possível. Veja nossa Política de Privacidade para mais informações.

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.