Vista-do-Maracanã-da-casa-do-Balbau
Foto: Reprodução

O Sistema de Alerta e Alarme da prefeitura do Rio de Janeiro funciona em locais que foram apontados por mapeamento elaborado pela Fundação Instituto de Geotécnica (Geo-Rio), identificando as comunidades situadas em áreas com alto risco de deslizamento. Atualmente, 103 comunidades contam com 165 sirenes e 194 pontos de apoio. As comunidades mapeadas têm cerca de 7 mil representantes capacitados pela Defesa Civil para atuar em situações emergenciais até a chegada dos técnicos.

A ações contam ainda com um radar meteorológico com alcance operacional de 250 quilômetros, auxiliando no monitoramento e informando o volume de água e as regiões que serão atingidas. Outras informações são coletadas no Centro de Operações Rio, que monitora a cidade durante 24 horas. Caso a Defesa Civil e o Alerta Rio identifiquem um grande volume pluviométrico, que pode provocar deslizamentos nos locais mapeados, as sirenes são acionadas diretamente do Centro de Operações.

A partir daí, as equipes da Defesa Civil ficam de prontidão para atender às ocorrências enquanto os agentes comunitários e líderes locais recebem mensagens de texto (SMS) nos aparelhos celulares cedidos pela prefeitura para orientar os moradores. Em situações críticas, os agentes são auxiliados pelo toque do alarme e por mensagens pré-gravadas, orientando os moradores a deixar suas casas e se dirigir a locais seguros, previamente definidos.

As ações abrangem ainda os alunos das escolas da rede municipal próximas às áreas que dispõem do sistema de alerta e que participam também dos exercícios simulados. Com informações da Agência Brasil.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.