Mundo

Bolsonaro diz ter ‘afinidade’ com príncipe acusado de homicídio

Bolsonaro em visita aos Emirados Árabes Unidos, etapa anterior à Arábia Saudita (foto: EPA)

(ANSA) – Em visita à Arábia Saudita, o presidente Jair Bolsonaro disse sentir “certa afinidade” com o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, líder de facto do país e suspeito de ser o mandante do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi.

Crítico do regime saudita, o repórter foi torturado, morto e esquartejado no consulado de seu país em Istambul, na Turquia, em outubro de 2018. Segundo uma relatora das Nações Unidas (ONU), há “indícios verossímeis” de que Bin Salman é o mandante do crime.

“Tem uma certa afinidade entre nós dois desde o último encontro em Osaka [na reunião do G20]”, disse Bolsonaro, ainda antes de se encontrar com o príncipe. Bin Salman lidera uma operação de maquiagem para vender uma imagem mais aberta da Arábia Saudita, monarquia ultraconservadora sunita que restringe direitos de mulheres, homossexuais e opositores.

Apesar desse histórico, Bolsonaro acrescentou que “todo mundo gostaria de passar a tarde com um príncipe, principalmente as mulheres”. A Arábia Saudita é a última etapa da viagem de 12 dias do presidente pela Ásia e pelo Oriente Médio, que tem como objetivo buscar investimentos estrangeiros para o Brasil, especialmente em privatizações e obras de infraestrutura.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!). Fale conosco!

You Might Also Like

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.