Portal N10

Batman: O Cavaleiro das Trevas é tese de mestrado de aluno da UFRN

O Batman é um personagem de ficção que surgiu originalmente em uma revista em quadrinhos americana de 1939. O seu perfil de homem-morcego e herói mascarado que combate o crime na caótica cidade de Gotham City, atrai a atenção e o apreço de milhões de fãs em todo o mundo desde sua criação, tornando ele um dos personagens mais populares da cultura pop.

Recentemente esse herói acabou virando, também, tema de estudo para um aluno de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia (PPgEM) da UFRN. O título do trabalho é Batman: uma luz sobre o Cavaleiro das Trevas – mediações, midiatizações, transmidiatizações. Seu autor é Dickson Tavares, que além de estudante, jornalista e desenhista profissional, é fã do personagem desde criança e viu na pós-graduação uma oportunidade de se debruçar ainda mais sobre o Cavaleiro das Trevas, desta vez, com um olhar acadêmico.

Dickson conta como surgiu a ideia de estudar o Batman: “Eu acompanho o Batman e os demais personagens das histórias em quadrinhos e da cultura pop desde os meus 11 anos. Dentro de minha ingenuidade infantil, tentava compreender como funcionava a existência de diferentes versões do Batman e que mesmo assim se tratavam do mesmo personagem. Tal indagação sempre me acompanhou e no ambiente acadêmico encontrei a oportunidade de revisitar o Batman, com o olhar de pesquisador com mais evidência que com o lado fã”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O trabalho, que teve orientação do professor e pesquisador do Departamento de Comunicação Social da UFRN, Marcelo Bolshaw, consistiu em examinar processos e conceitos ligados ao campo dos estudos da mídia, tendo o Batman como objeto de análise.

A dissertação contemplou, basicamente, três aspectos midiáticos associados ao personagem e seu universo mitológico e narrativo: primeiro, tratou de como elementos socioculturais influenciaram na criação do Batman; também abordou a maneira como o personagem transcendeu as páginas das revistas em quadrinhos para aparecer em outros tipos de mídia; e, por fim, tentou entender como os valores simbólicos do herói são apropriados e utilizados como forma de ativismo social no mundo real.

Tudo isso foi feito com base no estudo de diferentes fontes, como HQ’s, livros, filmes, animações, itens de merchandising, revistas e publicações especializadas, séries, canais no Youtube e páginas no Facebook, tendo como suporte referências acadêmicas. O mestrando realizou a leitura de todo o material e traçou uma linha do tempo para demonstrar a evolução conceitual e visual do Batman relacionando-o com o ambiente midiático, mostrando como o personagem se multiplicou e se transformou com o passar dos anos.

“Foi uma redescoberta. O olhar agora é outro. Na condição de fã, a visão sobre o Batman e todo o seu universo é carregada de muita passionalidade. Ao revirar e revisitar a trajetória de existência do personagem foi um aprendizado sobre as relações entre a mídia, a cultura e a sociedade”, comenta.

Trabalhar com elementos da cultura pop em pesquisas acadêmicas não é algo novo. Existem inúmeros trabalhos de mestrado e doutorado que seguem essa linha. Dickson concorda com o potencial de análise que este nicho cultural possui: “A cultura pop, seus ícones e valores nos cercam e fazem parte de nossa realidade. A engrenagem que cria, propaga, consome e retroalimenta o universo da cultura pop, está intimamente ligada às relações humanas. Tal condição permite o levantamento de inúmeras possibilidades para se estudar a cultura pop e suas nuances sob a ótica das ciências humanas, fundamentadas no ambiente acadêmico”.

O pesquisador, também, revela que tem planos para dar continuidade ao estudo do Batman, desta vez em nível de doutorado. Ele pretende entender mais detalhadamente como funciona a apropriação do personagem pelo público geral e pelos fãs. Quem quiser conhecer mais sobre o trabalho feito por Dickson Tavares sobre o Batman pode conferir a defesa que acontecerá no auditório do Laboratório de Comunicação (Labcom) da UFRN na segunda-feira, 20, às 10h. O evento é aberto ao público.

You might also like

Leave A Reply

Your email address will not be published.