Atividade industrial potiguar cai pelo 5º mês consecutivo

Atividade industrial potiguar cai pelo 5º mês consecutivo

A Sondagem das indústrias Extrativas e de Transformação do Rio Grande do Norte, elaborada pela FIERN, revela que, no mês de abril, a produção industrial potiguar registrou declínio pelo quinto mês consecutivo. Acompanhando o desempenho negativo da produção, o nível médio de utilização da capacidade instalada (UCI) passou de 74% para 69%, e foi considerado pelos empresários consultados como abaixo do padrão usual para meses de abril, comportamento que se vem repetindo ininterruptamente desde agosto de 2018. Em linha com a queda da produção, o emprego industrial também recuou entre março e abril.

Os estoques de produtos finais, por sua vez, registraram aumento e ficaram acima do nível planejado pelo conjunto da indústria. Os empresários também reavaliaram suas expectativas, o que resultou em queda do otimismo com relação à demanda, às compras de matérias-primas e ao número de empregados, e esperam queda na quantidade exportada nos próximos seis meses, após cinco meses indicando perspectivas positivas.

Apesar do quadro de deterioração do desempenho, mostrado acima, a intenção de investimento registrou alta pelo segundo mês consecutivo. Quando comparados os dois portes de empresa pesquisados, observam-se, em alguns aspectos, comportamento mais desfavorável para as indústrias de menor porte. Ou seja, as pequenas indústrias apontaram queda na produção e nos estoques de produtos finais; preveem recuo no número de empregados e nas compras de matérias-primas; e estabilidade nas exportações nos próximos seis meses.

As médias e grandes empresas, por sua vez, assinalaram que a produção se manteve inalterada e os estoques de produtos finais subiram; esperam crescimento no número de empregados e nas compras de insumos; e redução da quantidade exportada para os próximos seis meses. “Comparando-se os indicadores avaliados pela nossa Sondagem Industrial com os resultados divulgados em 22/05 pela CNI para o conjunto do Brasil, observa-se que, de um modo geral, as avaliações convergiram, com a diferença de que na indústria nacional a perspectiva com relação à quantidade exportada se mantem positiva, embora menos otimista; e a intenção de investimento se encontra em queda pelo terceiro mês seguido”, afirma relatório da FIERN.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: