Apenas um em cada dez brasileiros terá renda para quitar dívidas no começo de 2020

Uma pesquisa realizada e divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), em parceria com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), aponta que apenas um em cada dez brasileiros terá renda suficiente para quitar as dívidas e contas do início do ano — 11% ao todo. De acordo com o levantamento, pelo menos 26% das pessoas que participaram do estudo precisaram economizar nas festas e presentes do final do ano para conseguir pagar em dia as contas de 2020.

A pesquisa mostra ainda que 14% das pessoas vai precisar de trabalhos extras para complementar a renda e não passar o mês de janeiro com a conta no vermelho. Segundo o professor do curso de Economia do Centro Universitário Internacional Uninter, Cleverson Pereira, os dados são reflexo de 2019. ‘‘Foi um ano difícil. Além de fatores como o aumento de contas básicas como água e luz, aumento no número de desemprego e queda na renda, o brasileiro não tem o hábito de planejar’’, diz.

Para não repetir o aperto financeiro do começo de 2020, o professor dá dicas. ‘‘Procurar ter uma educação financeira é um bom começo. Além disso, é preciso colocar as contas no papel e acompanhá-las’’, afirma.

O especialista ainda fala sobre impostos como o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) e o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Para ele, a melhor opção é guardar os valores durante o ano anterior para pagá-los à vista. ‘‘Ao pagar à vista, a pessoa entra no ano seguinte com o orçamento em dia. Fazendo o pagamento desses impostos de uma só vez, o desconto será muito atrativo e valerá mais a pena’’, finaliza.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.