Angola, Eritreia e Uganda confirmam primeiros casos à medida que o coronavírus se espalha na África

Angola, Eritreia e Uganda confirmam primeiros casos à medida que o coronavírus se espalha na África

março 21, 2020 0 Por Rafael Nicácio

Angola, Eritreia e Uganda confirmaram seus primeiros casos de coronavírus (Covid-19), enquanto as Ilhas Maurício registraram sua primeira morte quando o vírus se espalhou por toda a África, apesar das medidas dos governos para impedi-lo.

Dois residentes masculinos que voltaram de Portugal nos dias 17 e 18 de março deram positivo, disse a ministra da Saúde de Angola, Silvia Lutucuta, enquanto a Eritreia disse que seu primeiro caso foi um cidadão de 39 anos de idade que chegou da Noruega.

O primeiro caso de Uganda foi anunciado pela ministra da Saúde Jane Ruth Aceng. Ela disse que o homem viajou de Dubai para o país neste sábado (21) e estava em condições estáveis.

Mais de 1.000 casos já foram relatados em toda a África, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Há preocupações de que o continente não seja capaz de lidar com um aumento nos casos de coronavírus sem a quantidade suficiente de instalações médicas nas economias menos desenvolvidas.

Outros casos

O Zimbábue relatou seu primeiro caso na sexta-feira e um segundo neste sábado, enquanto as Ilhas Maurício, com 14 casos, relatou sua primeira morte, uma pessoa que havia viajado da Bélgica via Dubai.

Muitos países africanos já fecharam suas fronteiras, escolas e universidades e barraram grandes reuniões públicas.

Na África do Sul, que tem mais casos do que na África Subsaariana, mais cidadãos passaram a usar máscaras e luvas em público, pois o número de casos confirmados aumentou no sábado para 240.

O país mais populoso da África, a Nigéria, planeja fechar seus dois principais aeroportos internacionais nas cidades de Lagos e Abuja a partir de segunda-feira (23) à noite. O número de casos relatados subiu para 22 neste sábado.

Ruanda, que tem 17 casos confirmados, intensificou as medidas preventivas, proibindo viagens entre cidades e outras partes do país por duas semanas, fechando todos os bares e exigindo que todos os funcionários públicos e privados trabalhem em casa.

Ruanda e Uganda anunciaram que fechariam suas fronteiras. As informações são do The star.