Bandeira tarifária permanece verde no mês de abril

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, dia 21 de maio, uma resolução que estabelece as faixas de acionamento e os adicionais das bandeiras tarifárias com vigência em 2019. A proposta aprovada altera o valor das bandeiras tarifárias a partir de 1º de junho e, de acordo com o órgão, o encarecimento foi motivado pelo “pelo déficit hídrico do ano passado”, que são as baixas do volume de água nas hidrelétricas.

A faixa que teve maior alta foi a amarela, que ficará 50% mais cara. As vermelhas 1 e 2 que já têm preços maiores terão ajuste de 33,3% e 20% respectivamente. Confira os novos valores por 100 kWh:

  • Bandeira amarela passa a R$ 1,50 (antes era R$ 1,00) a cada 100 (KWh);
  • Bandeira vermelha no patamar 1 custará R$ 4,00 (antes era R$ 3,00) a cada 100 (KWh);
  • Bandeira vermelha no patamar 2 custará R$ 6,00 (antes era R$ 5,00) a cada 100 (KWh).

Em nota, a Aneel explica que “o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica”. Esse custo, segundo a agência, “é pago de imediato nas faturas de energia, o que desonera o consumidor do pagamento de juros da taxa Selic sobre o custo da energia nos processos tarifários de reajuste e revisão tarifária”.

Na metodologia das bandeiras tarifárias as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

Assine nossa Newsletter e receba as principais notícias do Portal N10 em seu Whatsapp totalmente grátis. Clique no ícone do WhatsApp para ser incluído (não se esqueça de salvar nosso número na sua lista de contato!).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.