A gasolina mais cara entre as capitais do Brasil está em Natal, diz ANP

A gasolina mais cara entre as capitais do Brasil está em Natal, diz ANP

Após os últimos reajustes, Natal passou a ter oficialmente e vergonhosamente a gasolina mais cara entre as capitais brasileiras. De acordo com a mais recente pesquisa da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a capital do Rio Grande do Norte encerrou a semana passada (entre 24 e 30 de janeiro) com um preço médio nas bombas de R$ 5,172 por litro do produto para o consumidor final.

A pesquisa da ANP foi realizada ao longo da semana. A agência visitou postos da cidade e fez uma média dos valores cobrados. Em Natal, 27 postos foram visitados de segunda a sexta. O maior valor encontrado foi R$ 5,19 e o menor, R$ 4,97.

Em janeiro, a maioria dos postos de combustíveis de Natal elevou o preço do combustível para R$ 5,19, – cerca de 30 centavos a mais do que o valor anterior. O aumento é consequência do reajuste feito pela Petrobras nas refinarias.

Preço da gasolina entre as capitais do Brasil

  • NATAL/RN R$ 5,172
  • RIO BRANCO/AC R$ 5,161
  • RIO DE JANEIRO/RJ R$ 5,089
  • PALMAS/TO R$ 5,02
  • TERESINA/PI R$ 4,865
  • GOIÂNIA/GO R$ 4,849
  • MACEIÓ/AL R$ 4,841
  • BRASÍLIA/DF R$ 4,841
  • PORTO ALEGRE/RS R$ 4,826
  • CAMPO GRANDE/MS R$ 4,811
  • PORTO VELHO/RO R$ 4,79
  • BELÉM/PA R$ 4,777
  • ARACAJU /SE R$ 4,773
  • JOAO PESSOA/PB R$ 4,743
  • BELO HORIZONTE/MG R$ 4,742
  • RECIFE/PE R$ 4,74
  • FORTALEZA/CE R$ 4,728
  • SALVADOR/BA R$ 4,664
  • SAO LUÍS/MA R$ 4,662
  • CUIABÁ/MT R$ 4,614
  • MANAUS/AM R$ 4,579
  • FLORIANÓPOLIS/SC R$ 4,565
  • BOA VISTA/RR R$ 4,478
  • SÃO PAULO/SP R$ 4,406
  • CURITIBA/PR R$ 4,356
  • MACAPÁ/AP R$ 3,989

De acordo com o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, o fato de Natal ter a gasolina mais cara do Nordeste não tem relação com os impostos cobrados pelo Governo do Estado. “As alíquotas de ICMS que incidem sobre os combustíveis no RN são iguais às cobradas nos demais estados do Nordeste. Portanto, não é a tributação estadual que justifica essa discrepância”, afirmou em entrevista à rádio 98 FM.

Esta notícia foi interessante para você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: