800 milhões de trabalhadores serão substituídos por robôs até 2030, diz estudo

Saiba quais trabalhos estão próximos de serem automatizados

Um novo estudo da empresa de consultoria McKinsey Global Institute (MGI), revela que até um terço dos trabalhadores dos Estados Unidos e 800 milhões de trabalhadores em todo o mundo poderiam perder seus empregos até 2030, como um resultado direto da automação.

O novo relatório, intitulado “Empregos perdidos, empregos adquiridos: transições da força de trabalho em um momento de automação”, baseia-se em pesquisa anterior do MGI publicada em janeiro de 2017. A empresa de consultoria agora estima que entre 400 milhões e 800 milhões de pessoas em todo o mundo poderiam ser deslocados pela automação e precisariam encontrar novos trabalhos. O relatório ainda sugere que até 375 milhões de trabalhadores ou 14% da força de trabalho global terão que trocar categorias profissionais como resultado da automação inteligente.

“Mesmo que haja trabalho suficiente para garantir o pleno emprego em 2030, as principais transições estão à frente e podem igualar ou mesmo superar a escala de mudanças históricas da agricultura e manufatura”, diz um relatório do McKinsey Global publicado este mês. “Mesmo que provoque declínios em algumas ocupações, a automação mudará muita coisa: 60 por cento das ocupações e pelo menos 30 por cento das atividades de trabalho constituintes que podem ser automatizadas”.

De acordo com os pesquisadores do MGI, os trabalhos mais suscetíveis à automação incluem os físicos em ambientes previsíveis, como operar máquinas e preparar fast food. “Coletar e processar dados são duas outras categorias de atividades que cada vez mais podem ser feitas de maneira melhor e mais rápida com as máquinas. Isso poderia deslocar grandes quantidades de mão-de-obra, por exemplo, em originação de hipotecas, técnico jurídico, contabilidade e processamento de transações de back-office”.

O relatório diz que os empregos “imprevisíveis”, como jardineiros, encanadores, cuidadores de criança e idosos, estão entre os que enfrentam menos riscos da automação na próxima década, pois não irão gerar lucros por normalmente não terem salários altos.

Este efeito discriminatório sobre a força de trabalho gerou uma certa preocupação de que a desigualdade de renda possa continuar a piorar nos Estados Unidos.

“A polarização da renda poderia continuar nos Estados Unidos e outras economias avançadas”, observou a pesquisa. “Se o recrutamento for lento, o desemprego provavelmente aumentará no curto prazo e os salários poderão enfrentar uma pressão descendente”.

Para permanecer viável, os trabalhadores devem adotar a reconversão em diferentes campos. No entanto, os governos e as empresas precisarão ajudar a melhorar o que poderia ser uma transição rochosa e proporcionar uma ampla reconversão profissional para ajudar os trabalhadores deslocados, além de oferecer incrementos de renda mais generosos.

“Além da reciclagem, uma série de políticas podem ajudar, incluindo o seguro desemprego, a assistência pública na busca de trabalho e os benefícios portáteis que acompanham os trabalhadores nos empregos”, bem como “soluções possíveis para complementar os rendimentos, como políticas de salário mínimo mais abrangentes , renda básica universal ou ganhos salariais ligados à produtividade”, escreveram os pesquisadores.

Apesar dos desafios futuros, os trabalhadores que estão dispostos a desenvolver novas habilidades devem conseguir encontrar novos empregos.

“As terríveis previsões de que os robôs estão tomando nossos empregos são exageradas”, disse Susan Lund, um parceiro do McKinsey Global Institute e co-autor do relatório. “Sim, o trabalho será automatizado, [mas] haverá empregos suficientes para todos na maioria das áreas”.

Além disso, o relatório enfatiza que não vê a automação levando ao desemprego em grande escala. “É importante notar, no entanto, que mesmo quando algumas tarefas são automatizadas, o emprego nessas ocupações pode não diminuir, mas os trabalhadores podem realizar novas tarefas”, diz McKinsey.

Fonte: CNBC

você pode gostar também

Deixe um comentário

error: Conteúdo protegido, entre em contato ([email protected]) para solicitar a matéria!